(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Reforma da Previdência – Mitos e verdades sobre a nova previdência

Reforma da Previdência – Mitos e verdades sobre a nova previdência

Reunimos neste post os tópicos mais comentados e identificamos se as informações são verdadeiras ou falsas. Confira abaixo!Serão necessários 40 anos trabalhados com carteira assinada para requerer a AposentadoriaÉ falsa a informação de que os profissionais precisarão trabalhar 40 anos, com carteira assinada, para poderem se aposentar. A Reforma diz que são necessários, no mínimo, 15 anos de contribuição para solicitar o benefício, além, de obedecer ao requisito de idade mínima de 65 para homens e 62 anos para mulheres. Segundo as novas regras, o trabalhador que quiser obter 100% do valor da sua aposentadoria terá que cumprir os 40 anos, mas isso não impede que ele peça o benefício antes com um valor menor.A Reforma tornará obrigatória a idade mínima para aposentadoriaÉ verdade! A Reforma da Previdência prevê que as mulheres devam ter 62 anos e os homens 65 anos para requererem a aposentadoria – exceto exceções.Haverá alteração para pessoas com deficiência (PCDs)É falsa, pois a proposta de Reforma não afetará os requisitos de aposentadoria para pessoas com deficiência. As condições atuais permanecerão e dependem do grau de deficiência do indivíduo, como listado abaixo:Grau de deficiência grave:Homens: 25 anos de contribuição;Mulheres: 20 anos de contribuição.Grau de deficiência moderada:Homens: 29 anos de contribuição;Mulheres: 24 anos de contribuição.Grau de deficiência leve:Homens: 33 anos de contribuição;Mulheres: 28 anos de contribuição.Haverá redução no valor do BPCÉ falsa, apesar de ter sido proposta no texto original apresentado pelo governo, não haverá redução no valor do Benefício de Prestação Continuada (BPC). Então, permanece a condição que permite que pessoas sem condições de se sustentarem recebam o valor de um salário mínimo após os 65 anos de idade.Aposentadoria privilegiada do parlamentarÉ falsa a informação de que, com as novas regras, os parlamentares poderão requerer o benefício com apenas oito anos de contribuição e com idades mínimas de 65 anos para homens e 62 para mulheres. Pelas regras atuais, deputados e senadores, se aposentam pelo PSSC (Plano de Seguridade Social dos Congressistas), mas com a Reforma, políticos eleitos não poderão aderir a esta modalidade e deverão ter o mesmo regime de trabalhadores privados (Regime Geral de Previdência Social – RGPS) – salvo os que se encaixam nas regras de transição. Atualmente não existe idade mínima para requerer a aposentadoriaNa verdade, hoje existem dois modelos de aposentadoria. O primeiro é pelo tempo de contribuição que não exige idade mínima, mas os trabalhadores devem contribuir por 35 anos se forem homens e 30 se forem mulheres. E o segundo, leva em consideração a idade mínima (65 para homens e 60 para mulheres) + tempo mínimo de contribuição de 15 anos.A pensão por morte terá corte de 50% com a ReformaÉ verdade! A Reforma prevê que o beneficiário receberá 50% do salário + 10% por dependente, sendo um corte de metade do que antes era previsto (100% do salário como benefício).Servidores públicos se aposentarão com 60% de seu salárioEsta informação na verdade é falsa, pois, assim como os outros profissionais, o valor do benefício irá variar de acordo com o tempo de contribuição do trabalhador, sendo que o valor da aposentadoria inicia com 70% do salário (e dois pontos percentuais a mais para cada ano de contribuição).A Reforma irá reduzir o limite para um salário mínimo para poder ter o benefício do abono PIS/PasepA Reforma irá realmente diminuir a remuneração máxima para requerer o abono do PIS/Pasep. Porém, esse valor é maior que um salário mínimo. Podem solicitar todos aqueles que possuírem renda mensal de até R$1.364,43 reais.A Reforma pretende reduzir o valor do benefício para professores e, ainda, aumentar a idade mínima para estes profissionaisNa verdade, essa informação é um pouco exagerada. Será, na verdade, implementada a condição de que os professores deverão contribuir por 25 anos (para ambos os sexos) e possuírem 57 anos se forem mulheres e 60 se forem homens (após o período de transição). Além disso, o valor total do benefício dependerá do tempo de contribuição do profissional (25 anos de contribuição para receber 70% do salário, e dois pontos percentuais a mais para cada ano de contribuição).Fonte: Jornal Contábil/ConsuprevContabeis.com