(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Aquisição de empresas: o que é importante verificar?

Aquisição de empresas: o que é importante verificar?

Comprar uma empresa pronta pode trazer grandes oportunidades de ganhos e maior probabilidade de êxito. Porém, é preciso tomar alguns cuidados para realizar um bom negócio.

Mas você sabe como funciona a aquisição de empresas? Como selecionar a empresa certa para investir seu capital? Neste artigo, você encontrará informações sobre o que é importante analisar antes de adquirir uma empresa. Confira!

Como funciona a aquisição de uma empresa?

As aquisições de empresas são operações nas quais uma empresa adquirente compra uma outra empresa, geralmente de menor tamanho. Essa aquisição pode ser total ou parcial, majoritária ou minoritária.

Essas operações podem acontecer com a intenção de crescimento de uma empresa, uma vez que acaba sendo mais fácil e benéfico assumir as operações de um negócio já existente do que expandir por conta própria.

No caso de uma incorporação com participação total, a empresa adquirida pode ser extinta e completamente integrada na adquirente. Nesse tipo de operação, a compradora a sucede nos direitos e obrigações.

Por outro lado, a empresa adquirida pode operar de modo independente, com maior ou menor grau de integração entre ambas as partes.

Deve-se observar que a aquisição se distingue da incorporação de empresas, na qual a operação pela qual uma empresa adquire a totalidade das cotas de outra empresa, que simplesmente deixa de existir.

Há também diferenças entre fusão e aquisição de empresas. No processo de fusão, duas empresas são extintas para formar uma terceira empresa. Portanto, a fusão é uma compra em que duas ou mais empresas unem as suas forças para se tornarem um novo negócio, ou seja, uma nova empresa.

Conheça as vantagens de adquirir uma empresa

Adquirir uma empresa já existente normalmente representa menor risco do que iniciar um negócio do zero. Esse tipo de aquisição traz inúmeras vantagens e reduz o número de incertezas com relação ao desempenho do negócio.

Uma delas é que a empresa já existente geralmente tem clientes já consolidados. Por isso, não será necessário prospectar clientes de zero. Além disso, a aquisição tende a aumentar a competitividade da nova empresa, que ganha poder de barganha junto a fornecedores graças ao escalonamento de suas operações.

A diversificação dos negócios é também vantajosa porque possibilita à empresa ter mais de um produto ou serviço e mais de um nicho de consumidores. Desse modo, ela tem mais chances de dominar uma parcela maior do mercado.

Uma vez que o negócio já está em funcionamento, o gestor tem mais subsídios para analisar as oportunidades de melhora e crescimento. Ele pode explorar novos nichos de mercado, investir em tecnologia, lançar novos produtos, reduzir despesas, e assim por diante.

Além dessas vantagens em adquirir uma empresa já existente, podemos citar:

  • Sinergias decorrentes da aquisição;
  • Crescimento para obter economia de escala;
  • Diversificação geográfica;
  • Redução de custos;
  • Consolidação da marca no mercado;   
  • Acesso a know-how e ativos de capital humano;
  • Redução da concorrência ao se adquirir um concorrente;
  • Aquisição de tecnologias ou patentes.

Entenda a distinção entre preço e valor

O economista Benjamin Graham, autor dos livros Security Analysis e The intelligent investor, afirma que o investidor deve priorizar a compra de participações ou ações de empresas nas quais o preço seja substancialmente inferior ao valor. Essa metodologia de investimento é chamada de value investing – em português, investimento de valor.

O autor destaca que preço e valor são conceitos diferentes. Para ele, o investidor precisa estar preparado para se beneficiar de preços que estão desconectados de seus valores reais. Para tanto, ele deve comprar apenas ações com uma margem de segurança abaixo do valor intrínseco da empresa.

Nota-se que o mercado de ações é propenso a flutuações selvagens. Por isso, Graham defende que o investimento seja feito com base numa análise técnica, e não influenciado pela emoção ou pelos humores do mercado.

Segundo ele, o investimento em valor significa simplesmente desenvolver uma estratégia para estabelecer o preço para um ativo com base nas finanças da empresa, desempenho passado, gerenciamento e perspectivas de futuro.

Para isso, o investidor deve usar o preço para tomar decisões de compra e venda. Ele deve comprar ações quando tiverem um preço abaixo do seu valor justo e vendê-las quando avançarem acima do valor justo.

Entenda os riscos envolvidos numa aquisição

A compra de uma empresa já existente sempre deve adicionar valor tanto para a empresa adquirente quanto para a adquirida. Porém, Quando uma sociedade de capital aberto anuncia uma aquisição, o mercado normalmente a pune com uma diminuição de sua cotação. Após o anúncio, o adquirente tende a perder valor de mercado.

Estima-se que cerca de 50% a 80% dos casos de aquisição e fusão não agregam o valor esperado para as empresas e não produzem resultados significativos. Isso pode causar sérios danos nas questões financeiras.

Outra desvantagem em adquirir uma empresa já existente é que o valor do investimento pode ser bem maior do que aquele necessário para iniciar uma empresa do zero. Além disso, a aquisição pode ser feita com cálculo de valor inadequado ou excesso de valor ofertado.

Saiba quais cuidados tomar para fazer uma aquisição

Antes de comprar uma empresa, você deve se perguntar: qual a probabilidade de que essa aquisição ser o melhor investimento para a minha empresa? Essa aquisição está alinhada com a estratégia da minha organização?

Na etapa de análises da empresa adquirida, é importante que o empreendedor faça a avaliação da empresa estudando quais benefícios e riscos essa transação pode trazer e como se concentra o volume de vendas, receita, custos e balanço.

Analise a solidez do faturamento. Verifique se o faturamento está adequadamente diversificado em número de clientes, se está assegurado por contratos, e também se existem riscos de entradas de novos concorrentes ou novas tecnologias.

Faça um levantamento das despesas fixas e variáveis e analise os números da empresa para entender quando terá o retorno do capital investido.

Observe também se as suas competências estão alinhadas com as atividades realizadas pela empresa. Você tem consegue se imaginar liderando a organização?

Além disso, é importante conversar sobre a situação da empresa tanto com os proprietários atuais quanto com funcionários, fornecedores e clientes.

Veja como calcular o valor da empresa

Após a realização da avaliação, é necessário saber quanto a empresa vale. Para isso, é necessário calcular o valor de uma empresa por meio do Valuation – que utiliza um valor quantitativo para estimar o valor de forma sistematizada.

Cabe ainda observar que a grande maioria das empresas brasileira possui algum tipo de problema ou pendência. Geralmente, a empresa é adquirida com débitos tributários, passivos trabalhistas, entre outros. Por isso, é recomendável fazer um levantamento para comprovar a veracidade de todas as informações da empresa – processo conhecido como due diligence.

Esse levantamento envolve a análise de diversos aspectos da sociedade empresária, como sua área de atividade, as possibilidades e perspectivas de crescimento, o estado de seus ativos financeiros, entre outros fatores.

Além disso, a due diligence fornece poder de barganha para as partes durante a negociação. Se a empresa tiver problemas a serem resolvidos no caso de aquisição, o comprador pode usar isso como argumento para abaixar o preço.

As dívidas devem ser negociadas no momento da aquisição, e não depois. Peça a ajuda de um profissional de finanças para levantar se a empresa possui dívidas e qual o valor. Além disso, é importante tirar certidões negativas do FGTS, INSS, Receita Federal, estadual, entre outros.

Tenha cautela na hora da oferta

Para evitar uma oferta alta nas fusões e aquisições de empresas, é muito importante avaliar a empresa adquirida de modo profissional e conservador. O cálculo deve ser realizado seguindo os conceitos da análise fundamentalista. Ou seja, deve-se calcular o valor presente dos fluxos de caixa operacionais futuros, adicionados pela empresa adquirida uma vez integrada na empresa adquirente.

Também é possível fazer propostas usando a estrutura “earn out”. Isso significa que se paga pela compra, num primeiro momento, de acordo com o quanto a empresa vale, e se deixa um prêmio posterior, caso as expectativas do vendedor sejam atingidas.

Diante da complexidade do processo de aquisição, é muito importante contar com a ajuda de profissionais especializados para aumentar o valor na aquisição. Uma assessoria especializada poderá ajudá-lo a toma as decisões acertadas ao longo de todo o processo de aquisição, de modo a reduzir riscos e otimizar os valores investidos.

A empresa pode ainda realizar um estudo de caso e apontar as melhores soluções para que todos os ganhos sejam otimizados. Além disso, ela consegue enxergar os riscos e ajudar a sua empresa a driblar possíveis problemas. 

Grupo Studio

Fiscal Ti