(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Lavagem de dinheiro porque sua empresa deve se preocupar

Lavagem de dinheiro porque sua empresa deve se preocupar

Sua empresa deveria, sim, ter um amplo projeto de prevenção à lavagem de dinheiro. E sabe por quê? O Brasil é o líder mundial no ranking desse tipo de fraude.

Por consequência, o seu negócio pode ser exposto a essa prática ilícita e criminosa. E é fundamental saber como evitá-la para passar bem longe dos riscos associados a ela.

Para tanto, neste post vamos explicar o que é essa atividade, bem como apontar um guia prático e eficiente para você montar um sistema de prevenção à lavagem de dinheiro. Confira!

O que é a lavagem de dinheiro?

O termo lavagem de dinheiro foi popularizado em meados da década de 1920, quando o criminoso Al Capone usava-o para mascarar a ilegalidade dos seus recursos.

Ele, inclusive, teve a sua incriminação não por crimes violentos — como muitas das autoridades gostariam —, mas por sonegação de impostos. O que não reduz a importância do assunto, é claro.

Por isso, caso você queira aprofundar-se mais na questão da sonegação de impostos, depois desta leitura, já deixe preparado o nosso artigo que fala tudo a respeito do assunto!

Agora, voltando à lavagem de dinheiro. Sabe o que isso significa na prática? Que por meio da lavagem de dinheiro, as pessoas buscam incorporar os recursos ilegais (oriundos de práticas criminosas) na economia do país a partir de um processo dinâmico realizado por empresas legais — o que dificulta o rastreamento desses recursos.

Vamos ver como isso funciona, antes de entendermos como você pode desenvolver uma política de prevenção à lavagem de dinheiro?

Quais são as fases da lavagem de dinheiro?

Como destacamos, o processo de lavagem de dinheiro consiste na recepção de recursos ilegais, para inseri-los de maneira discreta na sociedade.

Para que isso ocorra, entretanto, há uma sequência de etapas bem definidas. E das quais falaremos logo abaixo!

1. Colocação

Trata-se da inserção dos recursos ou bens valiosos em nosso sistema econômico. Isso tem o principal objetivo de mascarar a origem desse valor. Pode ocorrer, por exemplo:

  • por meio de depósitos;
  • por meio da compra de instrumentos negociáveis;
  • por meio da compra de bens.

A prática, inclusive, também é bastante diversificada. O valor aplicado pode ser fracionado ou mesmo inserido em estabelecimentos que lidam bastante com dinheiro em espécie.

É o que dificulta a identificação, inclusive, e consequentemente as melhores ações de prevenção à lavagem de dinheiro: o dinamismo de medidas que dificultam esse diagnóstico.

2. Ocultação

Em seguida, os criminosos exercitam estratégias que dificultem o rastreamento contábil desse dinheiro de origem ilícita.

Uma das ações mais comuns, para isso, é por meio da transferência de recursos de maneira eletrônica para contas anônimas. Normalmente, essas contas estão situadas em países com leis rígidas de sigilo bancário.

É comum, portanto, a inserção de contas abertas em nomes de terceiros (os populares “laranjas”) e também no nome de empresas fictícias ou que sirvam apenas de fachada para a lavagem de dinheiro.

3. Integração

Por fim, os ativos já estão rodando o sistema econômico de maneira disfarçada, mas natural entre tantas transações que ocorrem a cada minuto.

Organizações que lidam incessantemente com a lavagem de dinheiro tendem, inclusive, a trabalharem em parcerias para facilitar a transição desses recursos, a fim de torná-los legítimos em um curto intervalo de tempo.

Então, agora que já deu para ter uma noção de como funciona essa atividade criminosa, vamos descobrir como você pode trabalhar com a prevenção à lavagem de dinheiro?

Como trabalhar a prevenção à lavagem de dinheiro?

Deve ter dado para perceber que esse trabalho preventivo não é simples. Assim como as autoridades já entendem um pouco do processo, as ações criminosas passam a avaliar quais são as medidas de prevenção à lavagem de dinheiro.

E, por consequência, evitam-nas com uma velocidade impressionante.

Para ajudar, temos o Conselho de Controle de Atividades Financeiras — conhecido também como COAF. O órgão do governo é uma maneira de evitar que esses recursos alcancem os nossos próprios estabelecimentos, uma vez que ele já examina e diagnostica transações suspeitas.

No caso dos empreendedores e dos profissionais do setor financeiro, vale a pena ficar de olho em atividades suspeitas e que possam acusar irregularidade. Algo que pode ser prontamente notificado ao COAF, posteriormente, para que uma investigação seja conduzida.

Vamos, agora, às dicas efetivas para lidar efetivamente com a prevenção à lavagem de dinheiro!

Conheça seu cliente

A primeira medida que pode ser adotada é, diante do trabalho em parceria com novos clientes, fornecedores e eventuais parceiros, procure conhecê-los.

Isso pode ser feito mediante a consulta de CNPJ ou, até mesmo, por meio da consulta de CPF — caso seja uma pessoa física. Isso, por si só, já ajuda na redução de riscos para a sua empresa.

Conheça seu funcionário

Outro ponto a ser considerado: o quão bem você conhece os seus funcionários?

Afinal de contas, não adianta ter um contrato de não divulgação de informações e ter um processo de admissão completinho, se você não entende bem quem são seus funcionários, individualmente.

Na prevenção à lavagem de dinheiro, avalie o perfil desejado de colaborador e qualifique os seus recrutadores constantemente. Pois é importante saber quem são os novos membros da sua família, concorda?

Conheça seu parceiro

Por fim, lembre-se que todos os parceiros devem estar alinhados com os valores da sua empresa. São questões que fazem toda a diferença para garantir oportunidades de desenvolvimento para todos.

E sem que, com isso, ações escusas sejam tomadas discretamente, o que pode causar sanções pesadas à sua empresa — mesmo que você não esteja ciente do que esteja acontecendo.

Fonte:Xerpa

Fiscal Ti