(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Extrato bancário aprenda o que é e como consultar?

Extrato bancário aprenda o que é e como consultar?

Embora ele faça parte do dia a dia de muita gente, o extrato bancário é um documento bancário de poucos significados para muitos. No entanto, através dele você criar estratégias para manter a sua educação financeira em dia.

Seja em papel ou digital, esse documento pode facilitar a sua vida quando usado de maneira combinada aos seus objetivos financeiros e necessidades cotidianas.

E, por isso, pensamos neste post justamente para você, que vive de cálculos para terminar o mês com saldo positivo nas contas.

Siga com esta leitura, e descubra conosco tudo o que você precisa saber a respeito do extrato bancário!

O que é o extrato bancário?

Ele é enviado mensalmente, para os clientes, ou pode ser consultado por meio do site ou aplicativo de sua instituição bancária. No extrato bancário constam todas as movimentações feitas em sua conta bancária, em determinado período, o que facilita o seu acompanhamento de entradas e saídas.

Daí, a importância em saber identificar, exatamente, tudo o que consta no documento. Assim, você nunca vai sentir que as contas vieram com surpresas desagradáveis.

Quais são os tipos de extratos bancários?

No geral, eles relatam as mesmas informações, mas podem oferecer perspectivas mais específicas ou amplas, indo de acordo com os seus objetivos ao conferir o extrato bancário. Esses são os principais tipos:

  • comum, com o demonstrativo do cliente de acordo com determinado período;
  • mensal consolidado, contendo a versão de todas as transações efetivadas no período de um mês inteiro;
  • anual consolidado, que corresponde às movimentações que o cliente realizou durante o ano.

Viu como você pode obter um planejamento financeiro melhor sabendo, exatamente, o que diz o seu extrato bancário? Agora, para complementarmos o que falamos aqui, é hora de aprender a “ler” esse tipo de documento!

Como analisar um extrato bancário?

É comum encontrarmos algumas siglas e códigos, ao longo do extrato bancário, que tendem a confundir os clientes das instituições financeiras. Mas com um rápido guia, como o que veremos a seguir, esperamos que você não fique com nenhuma dúvida restante.

Confira, abaixo, o rápido glossário que explica detalhadamente o que significa cada um desses termos:

  • C, que significa o crédito e corresponde às entradas de recursos na sua conta bancária;
  • D corresponde ao débito. Ou seja: são os valores descontados a cada compra, saque ou transferência realizadas. Geralmente, esses valores vêm acompanhados do sinal de (-) à frente, explicando a dedução do valor na conta;
  • C/C é a abreviatura de conta corrente;
  • C/I corresponde à conta investimento que o cliente possui no banco — pode ser uma conta poupança;
  • Dep. Ch. são os depósitos realizados na sua conta por meio de cheques;
  • Dep. Dinh., por sua vez, corresponde ao mesmo objetivo citado acima, mas em dinheiro;
  • (TB) é a abreviatura de transferências bancárias no extrato bancário;
  • (TBI) corresponde às transferências bancárias por meio de aplicativos ou diretamente pelo site;
  • TEDs ou DOCs são os diferentes tipos de transferências existentes;
  • PGTO, PAG, PAGTO ou PG COBRANÇA se referem aos pagamentos de boletos bancários;
  • DA são os valores descontados via débito automático;
  • IOF é o valor correspondente aos custos, a partir do Imposto sobre Operações Financeiras;
  • TRF ou TAR é o sinônimo de tarifa mensal de serviços;
  • ENC, que aparece no extrato quando todo tipo de encargo aparece em sua conta bancária.

Outros dados que podem ser conferidos e, ocasionalmente surgem no extrato bancário, são as datas (que apontam todo o período de observação do extrato) ou CCF, que é o Cadastro de Emitentes de Cheques Sem Fundo. Esse aqui, por sua vez, atua como um registro do Banco do Brasil — via Banco central — para analisar os dados de emitentes de cheques sem fundos.

Como o extrato bancário pode ajudar no controle de gastos?

Você pode usar o extrato para uma série de coisas em seu benefício. Por exemplo: acompanhar todos os gastos e recebimentos ao longo do mês, para comparar o quanto você economiza e o quanto você gasta.

Para um planejamento financeiro, isso é essencial. Além disso, dá para ter uma boa perspectiva das taxas praticadas pela sua instituição bancária e, assim, negociar tarifas melhores caso você esteja em busca de uma relação melhor com o banco.

Vale destacar, ainda, que o extrato serve como um histórico de suas contas. Por isso, se você planeja mexer em seu orçamento mensal e familiar, esse é o documento necessário para ter-se em mãos e compor os seus novos objetivos financeiros.

Inclusive, o extrato bancário tem uma participação ativa nas análises e cálculos de quem convive com a renda enxuta. Para ajudar, aproveite para dar uma lida em outro artigo nosso, que explica detalhadamente algumas situações para você sair do vermelho!

Com o extrato à sua disposição, observe quais foram os custos dos últimos meses e, em seguida, avalie quais deles foram absolutamente necessários. Com base nesses cálculos e projeções, você consegue analisar o quanto a sua renda pode, de fato, ser valorizada ao final do mês, e focar em custos importantes.

Um bom exemplo disso é a facilidade para identificar maneiras de cortar gastos e, assim, priorizar a quitação de dívidas. Ou, até mesmo, aprender como economizar dinheiro com base em algumas compras que foram supérfluas nos últimos meses.

Para ter maior controle sobre as suas finanças, não tenha dúvidas de que o extrato bancário vai ser um de seus mais precisos e confiáveis aliados para a tomada de decisão

Fonte:Xerpa

Fiscal Ti