(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Petróleo Brent continua a cair, mas Bolsas europeias e futuros de NY operam em alta

Petróleo Brent continua a cair, mas Bolsas europeias e futuros de NY operam em alta

coe
(alexsl/Getty Images)

SÃO PAULO – As Bolsas europeias abriram em alta nesta quarta-feira, de olho nos resultados corporativos do primeiro trimestre que serão divulgados no pregão de hoje. Após dois dias de fechamento em terreno negativo por conta do crash nos preços do petróleo, os mercados buscam sinais nos resultados das empresas. Os futuros de Nova York avançam nesta manhã.

Delta Airlines, AT&T e Biogen publicam balanços do primeiro trimestre hoje, informa a CNBC.

Por volta das 6h40, os futuros do Dow Jones e do S&P 500 subiam em torno de 1,5%. O índice FTSE, da Bolsa do Reino Unido, valorizava 1,6X%, enquanto o índice Dax, da Alemanha, tinha alta de 1,5%.

A Bolsa do Japão fechou em baixa de 0,7%, mas a da China terminou o pregão com ganho de 0,6% (acompanhe o comportamento dos mercados em tempo real no Telegram do InfoMoney).

O Senado dos Estados Unidos aprovou na terça-feira um pacote de US$ 484 bilhões em socorro às pequenas e médias empresas. O número de pessoas atingidas pelo coronavírus nos EUA continua a crescer e ultrapassou 820 mil na manhã de hoje, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. O número de mortos pela doença nos EUA superou 43 mil.

No mundo, foram confirmados até agora 2,5 milhões de casos da Covid-19, com 176 mil mortes.

Os preços do petróleo Brent, contrato para junho, caíram ao redor de 10% na madrugada. Por volta das 6h40, a baixa era de 7,5%, para US$ 17,89 o barril. Mas o WTI para junho parece se recuperar e avançava cerca de 3%, em direção aos US$ 20, na manhã de hoje.

O cenário para o setor de petróleo e gás, contudo, continua bastante negativo.

“Nesta semana os investidores percebem que mesmo que a situação da pandemia melhore a curto prazo, os impactos sobre a economia crescem a uma velocidade alarmante. Sem nenhuma demanda por dois meses, os preços da energia desabam enquanto os estoques do petróleo disparam”, disse Jim Paulsen, estrategista-chefe da Leuthold Group à CNBC.

Fonte: Infomoney

Fiscal Ti