(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Os efeitos do coronavírus para bares e restaurantes

Os efeitos do coronavírus para bares e restaurantes

Desde o início do surto de Covid-19 no início deste ano, o coronavírus já causou impactos consideráveis na maior parte dos setores da economia. Além de gerar preocupações que desestabilizam o mercado financeiro e trazem receio para consumidores e investidores, o vírus fez com que muitos estabelecimentos fossem obrigados a fechar as portas.

Para a maior parte dos brasileiros, as medidas de quarentena e isolamento social, com o objetivo de retardar o avanço do vírus, começaram em meados de março. Muitos setores tiveram as suas atividades encerradas ou limitadas ao mínimo. 

Nesse contexto, um dos segmentos mais afetados pelo coronavírus certamente foi o de bares e restaurantes. Isso se deve ao caráter do serviço, que reúne muitos grupos de pessoas em espaços restritos. Além disso, os governos não consideraram esse um setor essencial, o que fez com não tivessem permissão para abrir ao público.

Neste artigo, vamos abordar quais têm sido os impactos do coronavírus para bares e restaurantes e como é possível se adaptar à nova realidade para que o seu negócio continue em funcionamento. Confira!

O efeito coronavírus para bares e restaurantes

O impacto econômico do fechamento de bares e restaurantes é gigantesco. Segundo uma pesquisa realizada Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), somente na cidade de São Paulo, mais de 40% desses estabelecimentos estão sujeitos a quebrar caso medidas para ajudar o setor não sejam tomadas.

Esse problema não é exclusividade de São Paulo, e tem ocorrido em diferentes regiões do país. Isso acontece porque a necessidade de afastamento social e o consequente fechamento dos empreendimentos atrapalham a saúde financeira dos negócios, visto que a maioria não possui capital de giro suficiente para suportar longos períodos sem receita.

Outra consequência que tem aparecido é a massiva demissão de funcionários do setor. Em Brasília, por exemplo, o Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhobar) estimou que mais de 4 mil colaboradores já tenham sido desligados de seus empregos, número que segue crescendo.

A Associação Nacional de Restaurantes (ANR) acredita que, em todo o Brasil, mais de 600 mil funcionários de bares e restaurantes sejam demitidos devido à crise ocasionada pelo coronavírus.

A queda no faturamento também tem impedido que muitos estabelecimentos consigam pagar custos de aluguel de ponto comercial. Nesse caso, a negociação é feita diretamente com os proprietários dos imóveis.

Em São Paulo, entretanto, já houve um caso de intervenção judicial para que um restaurante da capital tivesse uma redução no valor do aluguel durante o período da pandemia.

Diante dessa situação, a Abrasel fez um apelo às instituições financeiras do país para que concedam condições especiais de crédito e pagamentos para que bares e restaurantes consigam recompor o seu capital de giro e enfrentar o período de crise.

Como bares e restaurantes podem se adaptar ao coronavírus 

Apesar dos sérios impactos que a crise do coronavírus tem causado em bares e restaurantes, é possível tomar algumas medidas que ajudam a minimizar as consequências no seu negócio.

Para ajudar os empreendimentos do setor, a Abrasel lançou uma série de conteúdos orientativos que funcionam como guia de boas práticas para bares e restaurantes enfrentarem o surto de Covid-19. É possível acessar os materiais pelo site da associação.

Confira as principais quais são os principais pontos de adaptação. 

Higienizar o espaço adequadamente

A higienização é um dos fatores mais relevantes no que diz respeito à forma como bares e restaurantes lidam com coronavírus. Seja no atendimento presencial ou por delivery, os estabelecimentos precisam estar atentos e tomar medidas para impedir contaminações pela equipe ou clientes. 

As medidas mais eficazes para frear o contágio pelo vírus são lavar mãos e utensílios com frequência, usar máscaras de proteção e evitar ao máximo tocar o rosto, principalmente boca, nariz e olhos. Além disso, é preciso desinfetar o espaço após o uso de cada cliente.

Fazer delivery

Embora já realizada por muitos estabelecimentos, as entregas por delivery ganharam ainda mais atenção depois do início do isolamento social. Elas são uma boa opção para continuar as atividades mesmo nesse momento em que não é possível abrir as portas para o público.

Se o seu bar ou restaurante ainda não faz entregas a domicílio, vale conferir a possibilidade de começar a trabalhar nesse formato. É possível realizar esse serviço usando um aplicativo de entregas, como iFood ou Rappi, ou negociando diretamente com um entregador.

Oferecer vouchers antecipados

Uma saída interessante que muitos negócios têm oferecido é a venda de vouchers antecipados de consumo. Funciona da seguinte maneira: o bar ou restaurante oferece aos clientes a possibilidade de pagar um valor X com antecedência, sendo que só vai realmente consumir no local após a reabertura do estabelecimento. 

Essa é uma boa alternativa para antecipar a entrada de dinheiro e garantir uma renda de segurança durante a crise. No entanto, é importante ficar atento para não comprometer o orçamento futuro do negócio.

Procurar bancos para obtenção de crédito

Para os bares e restaurantes que necessitam obter uma renda extra para garantir capital de giro durante a crise, vale buscar opções de empréstimos em instituições financeiras. 

Dependendo das características do seu negócio, é possível encontrar algumas opções de linhas de crédito com juros mais baixos e parcelamentos especiais. 

No entanto, caso opte por esta opção, esteja atento e verifique se as condições de pagamento são adequadas e não vão trazer prejuízos futuros para a empresa.

Realizar um planejamento fiscal

Outra forma efetiva de melhorar o fluxo de caixa de bares e restaurantes é realizar uma auditoria fiscal. Basicamente, os profissionais responsáveis por esse processo analisam o seu negócio para encontrar as melhores maneiras de organizar o pagamento de tributos da empresa e economizar. 

Dessa forma, é possível reinvestir o dinheiro poupado no próprio estabelecimento, melhorando a lucratividade da empresa, aquecendo o seu fluxo de caixa e deixando-a mais competitiva em seu mercado de atuação.

Essa é uma excelente alternativa na crise do coronavírus porque permite reduzir os gastos fiscais mais onerosos, que podem pesar no orçamento empresarial. Além disso, a revisão tributária tem efeito duradouro, trazendo benefícios futuros. 

A E-Fiscal é pioneira no segmento de auditorias fiscais voltadas para pequenas empresas. Com foco em empreendimentos que adotam o regime do Simples Nacional, a E-Fiscal conta com uma equipe de mais de 70 auditores especializados e segmentados por tributo, além de um  software exclusivo para apuração de créditos tributários.

Quer saber mais sobre como os serviços da E-Fiscal podem ajudar bares e restaurantes a enfrentar a crise do coronavírus

Grupo Studio

Fiscal Ti