(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

O que fazer com o dinheiro da rescisão?

O que fazer com o dinheiro da rescisão?

A menos que o funcionário tenha sido demitido por justa causa, o profissional em registro CLT tem uma série de direitos e benefícios que são recolhidos quando os seus serviços não são mais necessários.

Consequentemente, uma renda inesperada, em muitos casos, aparece na conta bancária. Mas e aí: o que fazer com o dinheiro da rescisão?

Se você chegou a este artigo, a dúvida também persiste na sua cabeça, só que não há motivo para preocupação. Com um bom planejamento, objetivos definidos e disciplina financeira, é possível driblar os temores de uma crise financeira e fazer esse dinheiro render gradualmente.

Para ajudar, veja a seguir os assuntos que trataremos neste artigo sobre o que fazer com o dinheiro da rescisão:

  • Quais são os direitos trabalhistas garantidos em uma rescisão?;
  • o que fazer com o dinheiro da rescisão?;
  • organize-se, em primeiro lugar;
  • abra um negócio próprio;
  • invista o seu dinheiro;
  • pague as dívidas;
  • faça uma viagem;
  • qual é a melhor decisão para o seu dinheiro da rescisão?

Boa leitura!

Quais são os direitos trabalhistas garantidos em uma rescisão?

Como adiantamos, na introdução, a rescisão em um contrato de trabalho formal determina o fim das relações profissionais entre empregador e empregado, culminando nos acertos financeiros pendentes.

E grande parte deles está relacionada aos direitos trabalhistas devidos em caso de demissões (com exceção das dispensas por justa causa, que não garante os mesmos direitos). Vamos ver quais são:

  • saldo do salário de dias já trabalhados;
  • valor proporcional das férias simples e também o período já vencido (acrescidas de 1/3 no valor);
  • aviso prévio proporcional;
  • 13º salário proporcional;
  • FGTS acrescido de uma indenização correspondente a 40% do valor depositado.

Além disso, o seguro-desemprego pode ser solicitado pelo ex-funcionário, ao governo federal, no caso de ter sido dispensado pela empresa onde trabalhava. Os valores e duração do pagamento desse benefício variam. E, para saber tudo a respeito sobre isso, temos um post completíssimo sobre o auxílio desemprego — já abra o artigo e deixe a leitura preparada assim que finalizar este texto!

O que fazer com o dinheiro da rescisão?

Saber o que fazer com o dinheiro da rescisão não é uma decisão simples. Afinal de contas, não existe uma só fórmula que sirva para todos. Para algumas pessoas, esse dinheiro pode servir inteiramente para quitar as dívidas em atraso, da mesma maneira que pode seguir, integralmente, para alguma opção de investimento de curto prazo.

Entretanto, vale a pena conhecer as alternativas mais populares, para que você tenha uma dimensão aproximada de qual destino é o mais indicado para a sua rescisão — e de maneira que esse objetivo se alinhe ao seu planejamento financeiro.

Vamos ver, então, o que fazer com o dinheiro da rescisão?

Organize-se, em primeiro lugar

Nada de animar-se com a quantia depositada em sua conta bancária. É comum que muitos, ao verem as cifras altas em seu nome, queiram comemorar, comprar algo e agir com impulsividade.

Controle todos esses sinais de consumismo desnecessários e, no lugar, considere o que esse valor pode representar para as melhorias de impacto na sua vida — sem em curto, médio ou longo prazo.

Por exemplo: você tem dívidas pendentes? Então, dedique esse valor para quitá-las. Você vai ficar sem renda fixa por alguns meses? Então, considere a economia desse valor para usá-lo no futuro próximo, enquanto você não se recolocar profissionalmente no mercado de trabalho. A casa precisa de reformas urgentes? Por que não priorizá-las?

A organização financeira é elementar para que você saiba, exatamente, o que fazer com o dinheiro da rescisão e evitar que a crise se instaure em sua rotina porque os gastos foram maiores do que o previsto. Aí vão algumas dicas, então:

  • avalie o seu orçamento e compare com as despesas do mês;
  • dedique um valor para usar o dinheiro em questões prioritárias e urgentes;
  • faça planos para o futuro e fragmente a renda obtida na rescisão para usar de maneira consciente.

Acredite, isso reduz os riscos de cair em uma crise financeira e empréstimos enquanto você se organiza — tanto financeira quanto profissionalmente nesse período pós-rescisão.

Abra um negócio próprio

Há quem desenvolva o interesse por abrir o próprio negócio. E, para quem ainda não sabia o que fazer com o dinheiro da rescisão, essa pode ser a oportunidade perfeita.

É claro que, antes disso, todos os cálculos e planejamentos devem ser colocados à mesa. O valor depositado pela empresa é suficiente para que você abra a sua empresa e mantenha-a estável, economicamente, nos primeiros meses. Lembre-se que existem diversos custos de manutenção de uma empresa, e a falta de capital de giro nos primeiros meses pode ser impactante para a sua sobrevivência.

Sem falar que os pequenos negócios são maioria nos processos de falência. Em 2019 uma pesquisa do Boa Vista revelou que 96,5% das aberturas de falência vieram de pequenas empresas.

O planejamento financeiro é, então, tão importante quanto o dinheiro em sua conta corrente para colocar o seu plano em execução.

Invista o seu dinheiro

Pagou as suas contas e, mesmo assim, existe certa estabilidade financeira? Pois então, por que não depositar a sua renda e, com isso, gerar lucros por meio de investimentos?

Muitas pessoas sem um objetivo financeiro imediato pode considerar sobre o que fazer com o dinheiro da rescisão: investir. E existem diversas modalidades que você pode direcionar o seu perfil de investidor e, com isso, rentabilizar de acordo com o prazo que você pretende manter o dinheiro rendendo nas aplicações, como:

Entre tantas outras aplicações do mercado financeiro que, embora tenham similaridades e disparidades, devem ser consideradas para alinharem-se aos seus objetivos e necessidades. Aproveite para dar uma conferida nas características de cada uma delas, clicando nos links que disponibilizamos logo acima.

Uma boa dica, especialmente para quem pouco entende de investimentos, é a contratação dos serviços especializados de uma corretora de valores. Inclusive, o mercado de ações é movimentado por esse tipo de intermediário. Vale a pena para você que ainda não sabe o que fazer com o dinheiro da rescisão e pretende rentabilizá-lo enquanto toma a sua decisão.

Pague as dívidas

Se o grande problema em sua residência é a disciplina financeira ou mesmo o desafio contínuo em equilibrar as contas fixas com a sua renda, e as dívidas se acumularam, não há dúvidas: você já sabe o que fazer com o dinheiro da rescisão.

Mas vamos além na ideia: verifique o quanto de sua renda faltava, mensalmente, para lidar com as contas do dia a dia e planeje-se para que, além de livrar-se da inadimplência, você tenha uma média de orçamento que já preveja o pagamento de todas as despesas sem imprevistos e riscos.

Consequentemente, vale a pena explorar algumas boas ideias de economia doméstica para que você não use toda a rescisão para pagar as suas contas, apenas, mas que sobre algum recurso para ter ambições financeiras para o futuro.

Faça uma viagem

Se os problemas financeiros não bateram à porta e você calculou a existência de uma renda extra para si e também para a sua família, por que não fazer uma viagem?

Especialmente, após o desligamento de suas atividades profissionais. O estresse acumulado pode desaparecer com um período de lazer, mas desde que ele não comprometa as finanças e o orçamento familiar.

Qual é a melhor decisão para o seu dinheiro da rescisão?

Como vimos, existem diversas possibilidades para uso da rescisão trabalhista. O que deve ser considerado, em primeiro lugar, são as questões relativas à sua realidade cotidiana. 

De nada adianta o investimento de cada centavo desse valor se você tem dívidas pendentes, por exemplo, e tampouco o gasto descontrolado é recomendado se você tem contas a pagar e, enquanto não tiver um emprego, esses compromissos financeiros podem se transformar em dívidas rapidamente.

Portanto, não existe uma só boa decisão sobre o que fazer com o dinheiro da rescisão, mas múltiplas possibilidades que devem ser inseridas no seu contexto, sempre pesando os benefícios e riscos de cada escolha que você tomar em conjunto com os seus familiares.

Que essas sejam as últimas dicas que solicitamos a sua consideração antes de tomar qualquer decisão com relação à renda depositada em sua conta bancária pela sua ex-empresa:

  • reúna-se com a família e avaliem todas as possibilidades de uso desse dinheiro;
  • considerem os riscos e o lado positivo de cada decisão;
  • componham um planejamento financeiro no qual todos vão cortar os custos, no período de desemprego do familiar atingido;
  • planejem metas financeiras em curto, médio e longo prazo para que a economia se torne um hábito constante no dia a dia.

E aí, agora que você já deve ter uma boa ideia sobre o que fazer com o dinheiro da rescisão trabalhista, que tal compartilhar este post nas suas redes sociais? Quem sabe, um parente ou amigo pode estar na mesma situação do que você, e este artigo pode servir como uma boa maneira de estimular a troca de experiências entre vocês, iluminando o caminho para as melhores escolhas!

Top 10 bem-estar no trabalho

Fonte:Xerpa

Fiscal Ti