(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Quero Quita: fintech acaba com ligações de cobranças

Quero Quita: fintech acaba com ligações de cobranças

Pagar dívidas muitas vezes é uma tarefa complicada, ainda mais quando o devedor recebe ligações constantes e não possui acesso a condições de negociação.

Pensando nisso, a Quero Quitar buscar dar mais poder aos devedores. A proposta da fintech já atraiu 12 milhões de usuários cadastrados e as instituições de crédito estão em busca de um substituto digital aos call centers.

O marketplace de devedores e instituições de crédito registrou um crescimento de 50% entre março e abril. Para o mês de maio, é esperado um crescimento similar. Sustentada por um mercado de milhões de brasileiros endividados, a Quero Quitar deseja transformar seus 12 milhões de devedores em 40 milhões em dois meses.

 Saiba mais sobre o negócio:

 A Quero Quitar foi fundada em 2013 pelos empreendedores Alencastro Silva, Artur Zular e Marc Lahoud. “Começamos a construir um serviço completamente digital e focado no devedor. O objetivo é que ele quite as dívidas de uma vez por todas”, diz Lahoud.

O Brasil conta com 62 milhões de consumidores negativados. Em 2019, os sócios Daniel Setton, Renato Orlandin e Rubens Ogawa se uniram à fintech.

A Quero Quitar é um marketplace que reúne devedores e instituições de crédito. A fintech atende 20 bancos, varejistas e grupos de telecomunicação atualmente. Exemplos são Pernambucanas, Porto Seguro e Santander.

A Quero Quitar recebe a carteira de crédito a recuperar e faz uma higienização e enriquecimento dos dados. Respeitando a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (ou LGPD), a fintech alimenta a base da instituição com mais informações dos usuários e classifica quem tem mais propensão ao pagamento.

No lugar de ligações constantes, a Quero Quitar atrai esses devedores por meios de comunicação não invasivos. Anúncios pagos em redes sociais, e-mails e mensagens de celular autorizadas são exemplos.

Os 12 milhões de devedores cadastrados hoje na Quero Quitar podem negociar suas dívidas a qualquer hora ou dia pelo celular, comparando as condições de diversos credores. O pagamento vai diretamente do devedor para a instituição. A Quero Quitar apenas manda alertas lembrando os próximos pagamentos.

Para a fintech se monetizar, as instituições pagam uma comissão a cada negociação bem-sucedida entre devedor e credor.

Além do marketplace de crédito, a Quero quitar oferece conteúdos em educação financeira e renda extra.

Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios

Grupo Studio

Fiscal Ti