(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Infidelidade financeira: entenda como isso pode afetar a relação

Infidelidade financeira: entenda como isso pode afetar a relação

Confiança é o pilar de todo relacionamento, quando ela essa é quebrada pode trazer efeitos destrutivos para o casal. Um dos motivos que pode criar esse cenário é a chamada infidelidade financeira.

Para quem não sabe, a infidelidade financeira ocorre quando um dos cônjuges esconde do seu parceiro qualquer tipo de informação relacionada a suas finanças.

Seja de gastos, como compras sem o conhecimento do outro, como qualquer tipo de investimentos ou dinheiro guardado sem que o companheiro saiba.  

Uma pesquisa americana do Creditcards.com revelou que 19% das pessoas admitem esconder do parceiro alguma conta, poupança ou cartão de crédito. Será isso é um problema? Quais atitudes ou sinais que caracterizam a infidelidade financeira? 

Neste artigo vamos revelar todos os segredos sobre essa situação que pode colocar em xeque os relacionamentos. 

Dados do orçamento familiar

51% dos casais mantém seu dinheiro em contas separadas, segundo uma pesquisa da CNDL/SPC Brasil e Banco Central. Além disso, 21% assumem que só conversam sobre o orçamento familiar quando estão com problemas financeiros.

Tem mais, 91% afirmam que tomam as decisões sozinhos, sem ajuda do parceiro. Os gastos que extrapolam as finanças da família aparecem como principal desavença familiar neste caso, ou seja, a chamada infidelidade financeira.

Uma vez que, cerca de 46% dos parceiros brigam por questões financeiras. A mesma pesquisa mostrou que a cada dez pessoas, apenas três, assumem que compartilham seus gastos mensais com seu parceiro.

Atitudes que indicam a infidelidade financeira

Existem diversos motivos que podem levar o casal a praticar a infidelidade financeira, que vão desde a personalidade de um dos parceiros até o medo de sofrer algum tipo de reação agressiva caso conte dos possíveis excessos de gastos

Abaixo selecionamos as principais atitudes que levam os cônjuges a infidelidade financeira.

Falta de confiança

É comum que a desconfiança na responsabilidade do parceiro em lidar com dinheiro gere a infidelidade financeira. Isso faz com que muitos façam uma “reserva escondida”, sem que o companheiro saiba.

Reações agressivas do cônjuge 

Ultrapassar os limites financeiros pode gerar não apenas uma quebra de confiança e uma discussão, mas em alguns casos isso pode exceder para uma reação agressiva. O temor desse possível descontrole do companheiro faz com que muitos escondam seus gastos.

Julgamento do parceiro

Admitir um erro não é fácil, ainda mais quando logo em seguida pode haver um julgamento pelo que você fez e em consequência uma desconfiança na relação. Esse é um dos principais motivos que gera a infidelidade financeira, o medo de ser julgado.

Individualismo

Muitos casais acreditam que mesmo após a união podem tomar as próprias decisões, sem interferência do parceiro, por isso, acreditam que a infidelidade financeira não é nenhum problema e que não precisam se submeter a prestar contas ao cônjuge.

Principais sinais da infidelidade financeira

Se acima citamos alguns dos motivos que podem ocasionar a infidelidade financeira, abaixo fizemos uma lista com os principais sinais que indicam que isso possa estar ocorrendo.

Paranoias 

Cobranças excessivas, pressões sobre gastos mínimos e uma verdadeira paranoia sobre o dinheiro do casal pode ser um sinal de infidelidade financeira. 

É óbvio que o planejamento de gastos é importante, mas quando há excessos, pode ser que um dos cônjuges esteja escondendo alguma conta externa, investimentos ou gastos sem que o outro saiba.

Contas estranhas 

Cada pessoa ter sua própria conta no relacionamento não é problema, a grande questão é se vocês optaram por uma conta conjunta e começam a surgir faturas de um cartão de crédito individual, extratos e etc. 

Qualquer “fator secreto” como esse pode ser um sinal de que há a infidelidade financeira.

Gastos secretos

Diversos presentes, de um dinheiro que você não sabe de onde vem, ou até mesmo compras inesperadas, a infidelidade financeira pode ser o reflexo desses acontecimentos. Quem nunca se perguntou “de onde você tirou esse dinheiro”?

Pois é, se essa pergunta se torna recorrente é bem possível que algo esteja acontecendo sem que um dos cônjuges saiba. Seja em função de ganhos além do que os conhecidos ou economias secretas.

Vitimismo 

É comum que quando a infidelidade financeira esteja ocorrendo, um dos envolvidos se sinta pressionado e acabe utilizando de uma postura defensiva quando questionado. 

É bem possível que haja um vitimismo diante da situação como “eu não sei do que você está falando”, “você não acredita em mim?”, entre outras reações.

As causas da infidelidade financeira

Existem diversas causas que explicam a origem da infidelidade financeira. Ela não representa apenas uma ocultação de gastos, mas também pode ser ocasionada por “rendas secretas”.

Conheça as principais causas da infidelidade financeira.

Esconder ganhos 

40% dos parceiros dizem que não sabem exatamente quando seus companheiros ganham, apontou a pesquisa CNDL/SPC Brasil e Banco Central. A ocultação de renda também é parte integrante da infidelidade financeira, uma das mais comuns inclusive.

Revelar quanto ganha é um grande problema no relacionamento de muitos casais, que preferem ocultar sua renda exata a contar para seu parceiro. Isso ocorre principalmente por:

  • Ego – Muitas pessoas num relacionamento não querem admitir que ganham menos ou mais que o companheiro;
  • Perfil controlador – O parceiro desconfia que o parceiro vai gastar mais do que o necessário se contar que tem algum dinheiro à disposição;

Esconder dívidas

Outra possível origem da infidelidade financeira está relacionada à ocultação de dívidas. 

67% não veem problema e acham até normal gastar um alto valor sem ter que dar satisfação ao seu cônjuge, conforme dados da pesquisa citada acima da  Cerbasi e Associados

Até por isso ocultam possíveis dívidas, feita em função de vícios, como em jogos, por exemplo, ou até mesmo por uma doença comportamental.

Além disso, essa ocultação das dívidas pode ocorrer também por vergonha do parceiro admitir que gasta além das finanças do casal ou até mesmo por medo de uma reação agressiva, como citamos anteriormente.

 Esconder valores

Um dos principais motivos pelo qual a infidelidade financeira se explica é a ocultação de valores. Uma pesquisa da Cerbasi e Associados revelou que 41% dos companheiros realizam compras sem que o parceiro saiba.

Essa ocultação de valores ocorre por diversos motivos, entre os principais podemos destacar:

  • Desconfiança em relação ao cônjuge;
  • Falta de flexibilidade para gastar o dinheiro compartilhado;
  • Boa intenção para economizar.

Consequências da infidelidade financeira

Um estudo da Universidade do Kansas (EUA) resolveu acompanhar 4500 casais ao longo de vários anos e percebeu as brigas relacionadas às finanças foi o motivo principal que levaram diversos deles ao divórcio.

Isso porque, a infidelidade financeira gera não só estresse entre os cônjuges, mas também diversos desgastes físicos e emocionais. Pois, junto com a infidelidade financeira são carregadas mentiras e a desonestidade.

Não à toa, conforme a Cerbasi e Associados, 30% das pessoas se sentem mais à vontade para compartilhar sua situação financeira com um amigo do que com o próprio companheiro.

Em torno disso, vai se criando uma desconfiança na rotina familiar e as brigas acabam se tornando uma realidade comum. A consequência dessas omissões e brigas é o divórcio.

Como resolver a infidelidade financeira

O primeiro passo para evitar a infidelidade financeira é colocar a verdade como o ponto central da relação. Especialistas dizem que o diálogo é o cerne de um bom relacionamento e pode manter a tão sonhada relação saudável.

Sendo assim, nada melhor do que conversar abertamente sobre a situação financeira do casal, seja sobre despesas ou ganhos. 

Dessa forma, é possível manter um equilíbrio na manutenção financeira da família, já que cada um fará sua parte e ajudará como pode na divisão dos gastos.

No nosso artigo “Como fazer um orçamento familiar: 6 passos para elaborar o seu” explicamos sobre a importância do assunto.

Em muitos casos, se o diálogo não for suficiente é recomendado procurar um especialista em educação financeira para traçar um planejamento que agrade o casal de uma forma geral. 

Ou até mesmo buscar uma terapia de casal para evitar que a infidelidade financeira seja motivo para brigas e até para uma separação.

Planejamento e diálogo podem evitar a infidelidade financeira

31% dos casais afirmam que não se organizam ou sequer tem algum tipo de plano financeiro, mostra os dados da CNDL/SPC Brasil e Banco Central.

Essa desorganização em relação a educação financeira pode inclusive ser o motivo para que muitos casais acabem cometendo a infidelidade financeira.

Uma vez que, não se preocupam em dar satisfação dos próprios ganhos e gastos e enxergam esse fato como normal na relação.

Porém, a infidelidade financeira, como vimos ao longo desse artigo, pode gerar diversos problemas nas relações. Dado que, qualquer omissão que seja feita de forma deliberada acaba quebrando a confiança na relação do casal.

Mostramos que a infidelidade financeira pode ocorrer por diversos motivos, desde esconder valores secretos a ocultar dívidas do parceiro. E que ela ocorre instigada por diversas situações, que vão do ego ao medo de uma reação intempestiva do companheiro.

Portanto, há uma grande necessidade do diálogo entre o casal para evitar que a infidelidade financeira tome conta da relação. 

O ideal é deixar de lado a ideia de que as finanças do casal são um tabu e compartilhar tudo juntos. Evitando assim desconfianças, brigas, estresses e desonestidades.

Se você gostou do nosso artigo e quer ficar por dentro de mais temas relacionados à gestão e educação financeira, siga a Xerpa nas redes sociais Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

O custo do stress financeiro

Fonte:Xerpa

Fiscal Ti