(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

4 dicas para aumentar a produtividade no home office

4 dicas para aumentar a produtividade no home office

Com a expectativa de crescimento de 30% após a estabilização da pandemia do novo coronavírus, o trabalho remoto foi, repentinamente, incorporado na rotina de milhares de trabalhadores no planeta.

Avaliado como positivo por 80% dos gestores no país, o trabalho remoto, provavelmente, entrará definitivamente na rotina de muitos os que, hoje, ainda não sabem lidar bem com esse formato.

Como aumentar a produtividade no home office? Se trabalhar em casa significa mais flexibilidade de horários, também requer menos contato social que, especialmente em tempos de COVID-19, pode resultar em estresse, ansiedade e, obviamente, menor eficiência.

Pensando nessa problemática, preparamos para você 4 dicas fundamentais para aprender a lidar com o trabalho remoto em alta performance, sem perder a saúde! Veja só!

Como funcionam nossos impulsos cerebrais

Se você ainda está sofrendo para reproduzir a produtividade que tinha no trabalho presencial, e volta e meia se depara com a necessidade de ser multitarefa, ao ter que conciliar demandas de casa, pedidos dos filhos e chefe no WhatsApp, calma! Esse processo de adaptação tem explicações neurológicas.

É que nosso cérebro forma conexões neurais que automatizam tarefas de rotina, criando uma espécie de “piloto automático” para quase tudo o que fazemos repetidamente no dia. Ou seja, os atos de acordar, escovar os dentes, trocar de roupa, pegar o transporte, chegar ao trabalho e ordenar as atividades diárias são padronizados pela mente.

Isso justifica o ganho de velocidade ao longo do tempo. Quando você se vê, de repente, dentro de casa, tendo que produzir as mesmas coisas, mas em outro computador, ordem e ambiente, é preciso que novas conexões mentais sejam feitas.

Esse fato se traduz no cansaço e na confusão típicos do início desse processo. Mas existem estratégias para vencer essa etapa mais rapidamente e aumentar a produtividade no home office sem grandes traumas!

4 dicas práticas para aumentar a produtividade

Segundo os neurologistas, o passo crucial para produzir mais em casa é dar novas pistas ao cérebro, criando novas associações cognitivas relacionando casa a trabalho. Você pode começar com as iniciativas abaixo.

1. Não subestime a necessidade de rotina

Pelas razões expostas acima, a criação de uma rotina automatiza os comandos cerebrais, ampliando sua velocidade na realização de tarefas repetidas. Outro ponto é o cuidado necessário com o sono “extra” da manhã.

O grande erro da maioria das pessoas que não se adapta ao trabalho remoto é querer aproveitar “até o último minuto” aquele tempo excedente que era perdido no transporte para dormir até mais tarde. A questão é que o trabalho dentro de casa coexiste com obrigações domésticas.

Isso quer dizer que, ao acordar, você provavelmente será surpreendido com uma série de obrigações de casa e iniciará sua rotina com atraso, gerando uma bola de neve de estresse, correria e baixa eficiência. Aumento de produtividade no home office passa por rotina estruturada e planejamento para acordar um pouco mais cedo e definir a pauta do dia.

2. Promova novas associações mentais com relação a roupas e espaço da casa

Por incrível que pareça, trabalhar de pijama atrapalha a produtividade no trabalho remoto. É que essa peça de roupa é inconscientemente associada ao descanso, liberando neurotransmissores ligados ao relaxamento.

É o caso de uma substância pouco conhecida, chamada ácido gama-aminobutírico (GABA). Como você precisa despertar (entrar em estado de alerta), esse tipo de “sinal” ao cérebro não é boa estratégia.

Mais uma associação interessante para aumentar a produtividade no home office: você precisa de um local na casa para chamar de escritório. Não precisa ser um cômodo especial.

Pode ser uma saleta, um canto do quarto, enfim, qualquer local em que você consiga se fechar, e onde seja possível colocar uma escrivaninha e uma cadeira. Deixe até uma garrafa de água sobre a mesa para evitar saídas sucessivas, que provoquem distrações e tirem a atenção de seus contratos, por exemplo.

3. Não acredite no mito do colaborador multitarefa

A ideia de um trabalhador multitarefa, que faz cinco atividades simultâneas, não encontra respaldo na literatura médica: segundo pesquisas, a única forma de realizar duas atividades ao mesmo tempo é quando uma delas é automática (dirigir e ouvir rádio, por exemplo).

Se ambas necessitam de raciocínio, o foco cerebral se alterna entre uma ou outra atividade, mas jamais mergulha nas duas ao mesmo tempo. Dessa forma, evite trabalhar, ajudar filhos com as tarefas de casa e fazer visitas periódicas à cozinha para saber se o arroz já está pronto. Esse tipo de desorganização vai derrubar sua produtividade no trabalho remoto.

4. Use técnicas de neuroarquitetura

Um ambiente com pouca luz aumenta a velocidade do cansaço ocular, o que pode resultar em estresse e dores de cabeça. Assim, o ambiente escolhido para o trabalho deve ter boa iluminação, com ventilação ampla.

Essa iluminação deve ser preferencialmente natural, e a razão vai muito além da conta de energia. É que permanecer por muito tempo em ambientes fechados desregula o relógio biológico, o que, evidentemente, vai acarretar menor carga de sono, troca do dia pela noite e, com isso, mais estresse, ansiedade e dores de cabeça.

Outro ponto a ser observado é o nível de ruído. Estudos diversos indicam que a partir de 60 decibéis já há impactos no nível de concentração; a partir de 65 decibéis há aumento do nível de cortisona e redução da resistência imunológica.

Como a tecnologia pode ajudar?

Além das mudanças de postura, existem também recursos tecnológicos que impactam positivamente a produtividade no home office. O teletrabalho tem não somente diferenças mentais, mas também, estruturais em relação ao trabalho presencial.

Você não terá à sua disposição, por exemplo, uma impressora e um scanner para imprimir, assinar e digitalizar documentos o tempo todo. Ainda que tenha, não vai querer multiplicar exponencialmente seu gasto com toner e energia, em paralelo à diminuição de produtividade.

Nesse novo cenário, você precisa otimizar seu fluxo de trabalho o máximo que puder, o que passa prioritariamente por ter um Certificado Digital para assinatura eletrônica. Pense: como uma equipe inteira trabalhando em casa vai assinar, manualmente, um único contrato?

Fazer impressões, assinaturas e envio de papéis via Sedex não deveria ser uma solução, nem o envio de documentos digitalizados (na maioria das situações, a cópia de uma assinatura não tem valor jurídico). É por essas e por outras que você precisa de um certificado digital.

Outro ponto longe de ser irrelevante é a velocidade da internet. A largura de banda é a capacidade de sua conexão para trafegar certo volume de dados por segundo. Se você tem filhos jogando e precisa fazer uma videoconferência, pode ser que a sua rede fique congestionada, gerando imagens pixeladas, travamentos ou cortes nas ligações.

Isso também joga ao chão sua produtividade no trabalho remoto. Dessa forma, reveja seu pacote de Internet para saber se, com múltiplos acessos simultâneos, você ainda é capaz de utilizar sua rede para todas as atividades de trabalho, sem lentidão.

Segundo o próprio Skype, para um processo de videoconferência eficaz (com mais de sete participantes), é recomendável velocidade de Internet de, pelo menos, 8 Mbps de download.

Entendeu como algumas iniciativas e recursos podem alavancar a produtividade no home office? Fazer uma programação mental vai ajudar você a vencer os desafios de trabalhar em casa com mais eficiência, e sem aumentar os seus níveis de estresse.

Aproveite e faça outra ação que vai colaborar para a melhora de sua performance na carreira: assine a nossa newsletter e receba, gratuitamente em seu e-mail, dicas e conteúdos exclusivos sobre tecnologia, gestão otimizada do trabalho e muito mais!

Fonte: Soluti

Fiscal Ti