(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

SC: Governo apoia entidades nas ações de incentivo à retomada econômica

SC: Governo apoia entidades nas ações de incentivo à retomada econômica

Embalados pela retomada econômica e motivados pela Campanha do Governo Federal “Semana Brasil 2020”, entidades catarinenses ganham o apoio do Governo de Santa Catarina, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, no incentivo às ações promocionais para aquecer as vendas no mês de setembro. A ação estadual que tem o mote “Todos juntos com segurança pela retomada e o emprego”, que abraça estratégias para manter os negócios e gerar emprego e renda, tem início nesta quinta-feira, 3, e vai até o próximo dia 13, em alusão a data comemorativa da Independência do país. O movimento reúne lojas de diferentes setores, de todo o país, como alimentação, eletrônicos e eletrodomésticos, que se propõem a oferecer descontos aos consumidores.

“A economia catarinense desponta no cenário nacional por ter a maior taxa de emprego formal e a maior taxa de ocupação. Em julho tivemos um recorde histórico de mais de 10 mil vagas de emprego no mês, isso demonstra a capacidade dos catarinenses em se reinventar, de se superar e buscar oportunidades. Nosso papel é, em conjunto com setor produtivo, ser propulsor deste desenvolvimento, no apoio as boas práticas e na construção de políticas perenes de estado, principalmente para a microeconomia, uma das grandes forças econômicas de Santa Catarina”, ressalta o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rogério Siqueira.

Segundo o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, o comércio já dá sinais de recuperação e começou a apresentar números animadores. “A Semana Brasil deve aquecer as vendas no comércio catarinense, principalmente nas lojas virtuais e e-commerce. Esta é a oportunidade de oferecer condições especiais aos consumidores e liquidar os estoques em um mês tipicamente fraco. Como a “Black Friday verde e amarela” terá 10 dias de promoção, os consumidores também terão tempo para fazer as compras, evitando a aglomeração nas lojas físicas”, pontua Breithaupt.

A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC) também apoia o movimento e engaja lojistas e consumidores nessa jornada que está em seu segundo ano consecutivo de realização. “Consolidar uma grande data para o comércio brasileiro e criar uma nova realidade para o varejo, viabilizando a retomada responsável da economia e dos empregos é a proposta da Semana do Brasil 2020. Em sintonia com o associativismo, serão estimuladas promoções, criando um clima favorável para fortalecer o relacionamento com os clientes e dinamizar as vendas”, avalia Ivan Roberto Tauffer, presidente da FCDL/SC.

Evite aglomeração

Para evitar a aglomeração nos estabelecimentos, os empresários estão adequando as ações promocionais às normas de segurança sanitária de cada local. Descontos atrativos, promoções, preços progressivos e foco nas vendas online estão entre as medidas previstas pelos lojistas de 3/09 a 13/09.

A campanha estadual é inspirada na ação nacional, a Semana Brasil, que vai priorizar, principalmente, o pequeno e o médio comerciante, Uma iniciativa da Secretaria de Comunicação do Governo Federal (Secom) e coordenada este ano pela Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV), com apoio da CNC e Federações.

Estimativa do PIB reflete impactos

O economista da SDE, Paulo Zoldan, explica que os últimos meses, especialmente no segundo trimestre do ano, foram caracterizados por muitas incertezas. Santa Catarina teve um impacto econômico inicial maior do que a média nacional, especialmente nos meses de abril e maio, por ter sido um dos primeiros estados a adotar medidas de isolamento social, de restrição aos transportes, de fechamento de empresas e também por ter tido uma das maiores taxas de isolamento do País.

Com isso, a estimativa do PIB catarinense, passou de um crescimento de 3,3% no ano de 2019, para um crescimento de 2,6% nos quatro trimestres encerrados em março. Agora apresenta uma retração de 1,3%, nos quatro trimestres encerrados em junho, em relação aos respectivos períodos anteriores.

Na comparação, o PIB brasileiro retraiu 2,2% nos quatro trimestres terminados em junho, bem mais, portanto, que a retração da economia estadual. A desaceleração no Estado, portanto, se intensificou, embora a economia continue crescendo a uma taxa bem acima da média do país.

“Com a grande parte da economia retomando as atividades e as medidas compensatórias de apoio do setor público às empresas e a sociedade em geral sendo implementadas, o Estado mais uma vez está despontando como um dos primeiros a retomar o crescimento econômico e a geração de emprego. Cabe agora a adoção de estratégias eficazes para um plano de recuperação sustentável da economia e, obviamente, a manutenção das medidas preventivas para evitar um novo aumento no número de casos”, avalia o economista Paulo Zoldan.

Fonte: SEFAZ SC

Blog mauronegruni