(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Entenda por que alguns trabalhadores devolverão o benefício

Entenda por que alguns trabalhadores devolverão o benefício

Saiba o passo a passo de como será feita a devolução do dinheiro

O BEm é um benefício financeiro concedido pelo Governo Federal aos trabalhadores que tiveram redução de jornada de trabalho e de salário ou suspensão temporária do contrato de trabalho em função da crise causada pela pandemia do Coronavírus – COVID-19. A ação visa reduzir o desemprego e permitir com que os trabalhadores tenham condições de enfrentar o estado de calamidade pública do país. No entanto, algumas pessoas que receberam o benefício emergencial podem ter que devolver o dinheiro. 

A razão da restituição dos recursos é porque alguns trabalhadores, que contaram com as empresas participantes do programa, receberam o benefício além do que estava proposto. Sendo assim, aqueles que se enquadrarem na lista, terão de devolver o benefício para a União.

Passo a passo para devolver o benefício

Os empregadores podem gerar a devolução do Benefício Emergencial através da Guia de Recolhimento da União, a GRU. A emissão da guia por parte das empresas deverá ser realizada a pedido do empregado. A devolução só deve ser feita caso o benefício não seja devido ou se as parcelas já tiverem acabado. Para gerar a guia de devolução do BEm, o empregador deve:

  • Acessar o Empregador Web e em Benefício Emergencial clicar na opção “Consultar”;
  • Marcar a opção “Acordos com Recebimento Indevido” e clique em consultar;

Não é necessário informar CPF, assim ele fará a busca de todos os benefícios com esse indicativo.

  • Acesse o Benefício e vá em “Devolução de Parcelas Pagas Indevidamente” e clique em “Devolver”;
  • Preencha os campos obrigatórios, caso não tenham sido preenchidos automaticamente;
  • Preencha a justificativa, caso considere relevante informar o motivo.
  • Emita a GRU para pagamento. Se atente a emissão da guia, que sempre irá sair com a data de vencimento para o último dia do mês. Caso não consiga pagar, basta reemitir a guia que será atualizada novamente para o último dia do mês vigente.
  • Na hora de imprimir a guia é importante se atentar, porque a opção “download” gera o arquivo na opção .jsf não permitindo a visualização. Para isso, clique em “Imprimir” e imprima em PDF, usando uma impressora de PDF (PDF Creator, por exemplo) ou “Salvar como PDF” do próprio navegador.

O empregado também consegue emitir a GRU através do aplicativo CTPS Digital, será necessário instalar o aplicativo para aqueles que não possuem.

  • Ao acessar a CTPS Digital, ir na aba benefícios, benefício emergencial, consulta, clicar no acordo realizado com o CNJP da empresa, clicar em parcelas, devolver parcelas, confirmar as informações do acordo, do endereço próprio e justificar a devolução como “valor recebido a maior”, por exemplo. 
  • Clicar em emitir GRU e enviar para o e-mail particular. Atenção, deverá ser recolhido dentro da data de vencimento do documento.

Negar a devolução do BEm

Caso o empregado se negar a devolver o dinheiro, deixe-o ciente que o valor será cobrado e pode ser incluído na Dívida Ativa, conforme Lei 14.020/2020: “§ 7º Serão inscritos em dívida ativa da União os créditos constituídos em decorrência de Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda pago indevidamente ou além do devido, hipótese em que se aplicará o disposto na Lei nº 6.830, de 22 de setembro de 1980, para a execução judicial. ”

Diante de tantas mudanças e atualizações do governo nesse período, sua empresa precisa contar com uma assessoria contábil pronta para agir em qualquer cenário instável. Entre em contato com o nosso time para esclarecer dúvidas através do whatsapp, ou por e-mail: [email protected].

Fonte: Fazenda Contabilidade

Fiscal Ti