(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Foi aberto um PAD contra mim: o que fazer agora?

Foi aberto um PAD contra mim: o que fazer agora?

O número de Processos Administrativos Disciplinares vem crescendo a cada dia. É impressionante o número de servidores que são submetidos ao PAD.

O processo termina sendo desgastantes para o servidor que poderá, em caso de punição, sofre desde uma simples advertência até a demissão.

Por isso, é importante que o servidor fique bem atento à defesa e ao acompanhamento de todo o procedimento para que evite maiores prejuízos.

Conceito: O que é o PAD?

O PAD é o procedimento colocado à disposição da Administração Pública para apurar a suposta ocorrência de falta funcional de seus servidores.

Isso que dizer que a simples instauração do PAD não é uma punição, mas possibilidade de ser punido por ter cometido alguma falta.

Infelizmente muitas vezes o PAD é utilizado como forma de perseguição.

O PAD é um procedimento complexo, existe uma quantidade muito grande de normas envolvidas, o que faz com que o servidor, quando desacompanhado de profissional especializado, se defenda de forma pouco eficiente.

Mas, então vamos lá, “foi aberto um PAD contra mim: o que fazer agora?”

Primeiro: Estude o Procedimento

Antes de qualquer coisa, o servidor deve analisar todo o procedimento, o que motivou a abertura do PAD, os documentos e tudo que mais constar no processo.

Compreender o motivo da abertura do PAD e qual o fato que está sendo investigado é de suma importância para que o servidor saiba do que terá que defender.

Segundo: Apresente uma defesa

É muito comum que servidores fiquem abatidos e deprimidos ao tomar conhecimento da instauração do PAD e terminam para não apresentar defesa para evitar ter contato com essa situação.

Entretanto, essa é a maior falha que poder ser cometida. A defesa é o momento ideal para apresentar a sua versão dos fatos, apontar provas documentais e testemunhas que possam confirmar a sua tese.

Sem a defesa, o procedimento caminha para a condenação com maior facilidade.

Terceiro: Acompanhe o Procedimento

Também não adianta apresentar a defesa e achar que tudo será resolvido. É importante acompanhar todo o procedimento e, especialmente, acompanhar o depoimento das testemunhas.

Nesse momento, será possível ao servidor investigado apresentar perguntas e fazer questionamento às testemunhas com o objetivo de esclarecer o que está sendo investigado.

Quarto: Tenha atenção com o termo de audiência

É muito comum que o termo de audiência não seja tão fidedigno ao que realmente foi relatado.

Isso costuma acontecer às vezes por falta de experiência da comissão e dos próprios envolvidos, e às vezes por má-fé (como já dito, infelizmente, em alguns caso o PAD é utilizado com fins de perseguição).

Então, antes de ser encerrado o depoimento das testemunhas e do próprio acuso, é importante ler com calma tudo que foi escrito no termo de audiência. Caso algo esteja distorcido, esse é o momento de pedir a correção.

Quinto: Não confie na Comissão de Processo Administrativo

A comissão do processo administrativa não é, ou não deveria ser, inimiga do servidor investigado/ acusado, mas também não é amiga.

Por isso, utilize todos os mecanismos de defesa que a legislação permite.

Não existe isso de que o (a) presidente, ou o (a) secretário (a), falou isso ou aquilo. Tudo tem que ser escrito e devidamente registrado, informação “de boca” não tem serventia no processo.

Ficou com alguma dúvida?

Caso ainda tenha ficado com alguma dúvida, deixe seu comentário ou entre em contato diretamente conosco clicando aqui.

Fonte: Maia & Santos Advogados

Fiscal Ti