(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Outplacement: entenda como funciona e quais são os seus

Outplacement: entenda como funciona e quais são os seus

O processo de desligamento de um colaborador nunca é simples. Existem muitas incertezas no momento em que se é desligado, e a recolocação é um desafio para muitos profissionais.

Por isso, é normal que um colaborador fique fragilizado nesse momento, e muitas vezes acabe perdendo sua confiança devido aos impactos emocionais deste processo.

É então que entra o papel do outplacement. As empresas que possuem o processo de outplacement ou que contratam empresas parceiras para executá-lo, promovem o bem estar do profissional até mesmo no momento em que ele deixa a organização.

O impacto socioemocional e financeiro do outplacement é positivo, pois garante a recuperação emocional do colaborador, além de otimizar o tempo e a busca por uma nova oportunidade de trabalho para esse profissional.

Se você está curioso para entender o que é o outplacement, qual é o seu significado, como funciona e quais são os benefícios para o profissional e para a empresa, continue lendo esse artigo.

A seguir, veja os tópicos que iremos abordar ao longo da sua leitura:

  • O que é o outplacement?
  • Como funciona o outplacement na prática?
  • Quais são os benefícios do outplacement?

Vamos lá?

O que é o outplacement?

Outplacement é uma palavra do inglês que significa recolocação. Todavia, a prática é muito além de um simples guichê de empregos para recolocar um profissional no mercado.

As empresas buscam humanizar o processo de desligamento desde os anos 60 nos Estados Unidos. Em vista disso,  o outplacement foi criado como uma ferramenta para dar suporte a profissionais da área da engenharia e ciência que haviam perdido seus empregos devido a uma crise na área de eletrônica e aeroespacial.

Já no Brasil, o outplacement chegou nos anos 80 e veio para ajudar na recolocação de executivos de grandes organizações, também em uma época de crise.

Atualmente, as empresas têm adotado essa ferramenta para auxiliar qualquer profissional que esteja em processo de desligamento para continuar garantindo a sua empregabilidade.

Dessa forma, entendemos que o outplacement é um processo estratégico para minimizar os impactos negativos de um desligamento e auxiliar o colaborador no período em que ele se encontrar disponível no mercado de trabalho.

Porém, esse processo não se trata apenas de uma recolocação no mercado de trabalho. Muito pelo contrário,  ele também visa apoiar o profissional a compreender suas qualidades, pontos de melhoria,  entender o mercado e quais são as oportunidades.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Contínua), no último trimestre de 2020 haviam 14 milhões de pessoas desempregadas no Brasil, também em decorrência dos impactos negativos da pandemia do covid-19.

Neste cenário de desemprego onde o profissional desamparado não possui opções e encontra dificuldades em sua reinserção no mercado, a informalidade acaba atraindo mais pessoas e exigindo menos qualificação. Por consequência, a remuneração pode não ser adequada.

Garantir a empregabilidade do profissional mesmo após seu desligamento é um ato humanizado das empresas que buscam cada vez mais valorizar o seu pessoal e promover qualidade de vida em todos os aspectos.

O outplacement pode ser um programa interno desenvolvido pela empresa, ou também pode ser feito através de uma consultoria especializada que ofereça recolocação no mercado de trabalho, apoio psicológico e motivacional, auxílio em processos seletivos, treinamento e qualificação para atuação no mesmo ou em outro segmento empresarial.

Além de valorizar o colaborador e seu serviço prestado à empresa, o outplacement possui um papel social muito grande, pois, qualifica o profissional que deixou de ser interessante para a empresa naquele momento, e reconhece suas qualidades.

Um ponto interessante de se destacar, é que esse processo pode ser contratado pela empresa ou o próprio profissional pode contratar um headhunter que facilita o processo de reinserção no mercado.

Especialistas e consultorias de outplacement trabalham métodos para desenvolver as soft skills e a motivação do profissional.

É importante que o programa possua temas como autoconhecimento, confiança e desenvolvimento constante. Isso porque as habilidades socioemocionais são tão importantes quanto as técnicas para o mercado.

Como funciona o outplacement na prática?

Como falamos  anteriormente, tanto as empresas podem contratar esse serviço quanto o próprio profissional pode buscar por um especialista que possa auxiliá-lo a perceber o mercado.

O serviço basicamente consiste em treinamento e qualificação sobre as novas demandas, como o profissional pode se preparar para a melhor vaga para ele, e também, como proceder em caso de transição de carreira.

Em vista disso, a implementação deste processo cabe ao departamento de RH ao encontrar uma empresa parceira nesta trajetória, como também, desenvolver projetos no sentido de promover a empregabilidade dos seus ex-colaboradores.

Organize o planejamento da demissão

Realizar um desligamento não é tarefa simples. Existem alguns pontos importantes a serem considerados, como:

  • Nível de engajamento;
  • A diferença de competências do profissional em comparação ao restante da equipe;
  • Se a empresa verifica que há futuro e qualidade de vida do profissional: isto é, se ele está disposto a continuar na empresa.

Para executar o processo de outplacement na prática, o primeiro passo sempre começa com o planejamento.

É importante que os gestores e o RH considerem todos os fatores preponderantes para realizar um desligamento.

Afinal, o conjunto de fatores psicológicos, emocionais, de engajamento e produtividade são indicadores que avaliam o comportamento e a capacidade de entrega do colaborador.

Por outro lado, o próprio colaborador tem a chance  de avaliar tanto o seu próprio comportamento como rever seus objetivos profissionais, antes de tomar uma decisão de se auto desligar.

No caso dos profissionais, a questão financeira é um dos  principais fatores na tomada de decisão.

Faça o anúncio da demissão

O segundo passo necessita que o RH comunique o desligamento e ofereça justificativas plausíveis e honestas sobre a decisão da empresa perante o profissional.

O apoio das empresas e do departamento de RH no processo de desligamento é crucial. Dessa forma, caso não exista esse cuidado, a demissão acabará impactando  negativamente o emocional e a confiança do profissional, por isso, o processo precisa ser humanizado.

No processo de demissão, é necessário que a empresa e o profissional possam receber e oferecer um feedback avaliativo sobre o comprometimento e engajamento um para com o outro.

O profissional também precisa estar ciente de seus direitos e benefícios financeiros como FGTS, férias e qualquer outro que faça parte do acerto trabalhista.

Realize a orientação profissional

A partir daqui, é possível humanizar o processo de desligamento. O terceiro passo conecta o especialista ou o processo de outplacement com o profissional.

No primeiro momento, em conjunto, mapeia-se todas as possibilidades profissionais em comparação aos objetivos destacados por ele.

Ainda que o profissional tenha o objetivo de empreender e abrir o seu próprio negócio, o outplacement também poderá atuar e prestar consultoria no sentido de fomentar as habilidades para ser um empreendedor e desenvolver o seu negócio a partir das ferramentas que possui.

Depois disso, o especialista ou consultoria se encarrega de realizar um acompanhamento do profissional até sua recolocação no mercado de trabalho, na abertura do seu negócio ou na transição de carreira.

O especialista aqui trabalha ativamente com as oportunidades de sua rede de networking para encontrar a vaga ideal. Enquanto isso, também  instrui o profissional sobre o seu comportamento perante as entrevistas, como melhorar seu marketing pessoal e como alinhar seus objetivos aos da empresa em que pretende trabalhar.

Em resumo, as atividades do outplacement são:

  •  Apoiar emocionalmente e psicologicamente o profissional no momento do desligamento;
  •  Motivá-lo e engaja-lo para fomentar sua confiança;
  •  Ajudá-lo a entender e estruturar seus objetivos de vida e carreira;
  •  Definir suas motivações e o tipo de vaga mais atraente para seu perfil;
  •  Reestruturar o currículo;
  •  Acionar networking da consultoria e do profissional;
  •  Identificar as soft skills e as hard skills que o profissional possui e quais são as habilidades que precisam ser desenvolvidas;
  •  Treinamentos, cursos, workshops, palestras, e conteúdos sobre empregabilidade e sobre a área que o profissional atua/deseja atuar;
  •  Pesquisa de vagas e empresas que combinem com o perfil e com as necessidades do colaborador;
  •  Treinamento de processos seletivos;
  •  Inscrição em processos seletivos e acompanhamento.

O outplacement é uma excelente estratégia para aumentar as taxas de empregabilidade, e até mesmo impacta nas taxas de turnover.

Os profissionais que participam de programas de outplacement, tanto da empresa que trabalhavam como através de consultorias ou especialistas que o próprio profissional busca conseguem encontrar um novo emprego 50% mais rápido do que os demais profissionais que estão disponíveis no mercado.

Quais são os benefícios do outplacement

O outplacement possui benefícios tanto para o colaborador como para a empresa.

Por um lado, o colaborador pode ter um suporte em caso de demissão, e por outro, a empresa pode utilizar o processo como uma forma de atrair mais candidatos e profissionais de alta performance devido aos benefícios deste tipo de suporte.

Todavia, o outplacement não possui um tempo limite para acontecer, pois depende do período em que o profissional será recolocado no mercado de trabalho. E, o processo é finalizado quando o profissional conseguir uma nova vaga de trabalho.

Além disso, o  outplacement ainda oferece uma avaliação sobre o comportamento, desafios e alguns insights no período deste processo, e ainda revela ao profissional algumas dicas para se manter em constante desenvolvimento.

Employer branding

O Employer Branding é um conjunto de estratégias que promovem a marca da empresa de maneira positiva.

Alguns conceitos como cultura organizacional e fit cultural são atrativos para que a empresa desperte interesse de bons profissionais para se inscreverem em seus processos seletivos.

Segundo o LinkedIn, cerca de 70% dos candidatos fazem pesquisas sobre a empresa antes de aplicarem para a vaga.

Especialmente com as novas necessidades de profissionais das novas gerações, o employer branding é necessário para que as pessoas saibam quais são as ações sociais que a empresa desenvolve no âmbito profissional sobre a qualidade de vida, e social a respeito da empregabilidade.

Sendo assim, o outplacement também é  um recurso utilizado para que as empresas divulguem seus projetos de recolocação de ex-colaboradores. E, assim, possam demonstrar  o comprometimento da organização perante as pessoas e os profissionais.

Além disso, é importante que a empresa tenha uma boa reputação empregadora no mercado.

A marca para a empresa é importante devido a diversos fatores, como gestão estratégica, melhoria de processos de recrutamento e seleção, e comprometimento e valorização do ser humano.

Clima organizacional

As empresas conseguem identificar os pontos positivos e as falhas de processos, além de problemas de relacionamento e suas causas devido ao clima organizacional.

Com isso, o clima organizacional funciona como um indicador de felicidade e satisfação por parte dos colaboradores de uma determinada empresa.

O indicador compete avaliações em todos os sentidos: desde o recrutamento, o período de experiência, a exposição à desafios, o aprendizado constante, a qualidade de vida profissional, a cultura de feedbacks e comunicação ativa, a liderança, e por fim, o processo de desligamento e projetos de outplacement.

O profissional precisa se sentir amparado de todas as maneiras possíveis, e o clima organizacional revela a percepção da marca de dentro da empresa através dos colaboradores e contribui para um melhor desempenho e engajamento.

Em momentos de tensão e caos, isto é, especialmente momentos de demissões em massa – o que todas as empresas estão sujeitas a passar – projetos como o outplacement são recebidos como excelentes recursos para amparar o colaborador que vier a ser demitido, e traz segurança em momentos de crise, e isso ajuda o clima organizacional.

Apoio e aconselhamento ao profissional

O principal benefício do outplacement sem dúvidas é o apoio e aconselhamento ao profissional que acaba de ser desligado.

O processo de desligamento pode ser doloroso para o colaborador, e em alguns casos, o sentimento pode ser comparado ao luto e suas etapas: negação, raiva, negociação, depressão e por fim aceitação.

Especialmente para profissionais que já passaram muito tempo em uma determinada empresa, o vínculo pode ser crucial para a dificuldade em passar por um desligamento.

O processo de outplacement também visa dar apoio psicológico neste momento para todos os profissionais que foram desligados do emprego, devido aos mais variados motivos.

E, por falar em motivos, o desligamento pode ocorrer por conta de uma crise, ou falta de compatibilidade do profissional com a empresa, e em cada caso existe um tratamento diferenciado. Alguns precisam de mais suporte do que outros. Existem profissionais que possuem determinadas habilidades de comunicação que os impulsionam a conseguir uma vaga mais rápido do que outros. Por isso, o serviço de outplacement precisa ser individualizado.

Por meio de um processo de outplacement, o profissional se sente valorizado, apesar da demissão. O suporte oferecido é importante para acolher e oferecer uma nova oportunidade.

A satisfação dos profissionais perante à empresa pode ser importante para o olhar do mercado e para a melhoria do clima organizacional. Aliás, os feedbacks positivos melhoram  a imagem de uma empresa e atraem talentos e investidores.

A respeito do aconselhamento profissional, o outplacement oferece a oportunidade para que o colaborador possa repensar a sua atividade profissional e perceber seu comportamento, entender quais são suas habilidades e competências, e o que o mercado espera de profissionais que atuam em sua área.

Benefícios para o profissional

A seguir, confira os principais benefícios para o profissional:

  • Superar e receber ajuda para minimizar os impactos negativos do desligamento;
  • Traçar novos objetivos e propósitos de vida;
  • Identificar soft skills e hard skills que o profissional já tem;
  • Identificar soft skills e hard skills que a área de atuação necessita;
  • Comparar quais habilidades e competências são necessárias no mercado atual;
  • Ampliar sua rede de contatos;
  • Ter clareza sobre sua atuação e comportamento no mercado;
  • Autoavaliação e autodesenvolvimento constante.

Conclusão

Como abordamos, o processo de desligamento pode oferecer impactos negativos para o profissional, e também para a empresa. E o outplacement tem um impacto positivo na vida do colaborador recém desligado, pois o valoriza enquanto pessoa e profissional.

Esse processo de outplacement é valioso para diversas situações do RH e da empresa, como melhoria do clima organizacional e da imagem da empresa perante o mercado.

Para o colaborador, o outplacement é uma chave valiosa que busca recolocar o profissional no mercado, prestar apoio e ajudá-lo a se desenvolver e estar preparado para a nova oportunidade que está por vir.

Se gostou desse texto, não esqueça de compartilhá-lo em suas redes sociais!

Compartilhe em suas redes!

Fonte: PontoTel

Fiscal Ti