(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

5 dicas infalíveis para saber lidar com imprevistos financeiros

5 dicas infalíveis para saber lidar com imprevistos financeiros

Imprevistos financeiros podem acontecer com qualquer pessoa, mesmo com aquelas que se consideram organizadas com suas finanças, afinal, acidentes acontecem, e às vezes nem a reserva de emergência é suficiente para cobrir gastos inesperados. 

Aquela geladeira que quebra, o pneu do carro que precisa ser trocado, um medicamento mais caro que não conseguimos prever. Todos esses são fatores que não podemos controlar, mas, de qualquer forma, é importante se prevenir.

Para não passar por situações complicadas, a palavra de ordem é: planejamento. Apesar de não haver certeza sobre os valores gastos com certos imprevistos, muitos economistas garantem que se organizar é a chave para sair de situações mais complicadas envolvendo gastos extras e imprevistos financeiros.

Sendo assim, separamos 5 dicas para lidar com imprevistos financeiros de forma simples e bem organizada. Veja quais são:

  1. Organize as suas finanças;
  2. Faça uma reserva de emergência;
  3. Adquira seguros e planos de saúde;
  4. Utilize o cartão de crédito com responsabilidade;
  5. Comece a usar o salário sob demanda;

Para saber como aplicar essas dicas em seu dia a dia, continue a leitura do artigo e saiba como lidar com essas surpresas. Confira!

5 dicas de se como preparar contra imprevistos financeiros

Podemos até não ter certeza de quando eles irão acontecer, mas, com certeza, os imprevistos sempre farão parte de nossas vidas. Por essa razão, ter um planejamento bem definido pode ser a chave para não ser pego de surpresa quando essas eventualidades acontecerem. 

Caso você ainda não saiba como iniciar seu planejamento, confira, abaixo, 5 dicas que vão te preparar para enfrentar imprevistos financeiros

1. Organize as suas finanças

Para iniciar a poupar, é preciso começar com a análise dos seus ganhos, gastos fixos e variáveis, investimentos e o que sobra. A partir desse detalhamento, é possível entender como é sua relação com o dinheiro e como ela pode ser aplicada. 

Também é necessário ter atenção, já que muitas pessoas confundem imprevistos com despesas pontuais, o que atrapalha na hora de “fechar a conta”. 

Há despesas que acontecem todos os anos de forma pontual, como o pagamento do IPVA, por exemplo. 

Entretanto, muitas pessoas enxergam essas despesas como imprevistos, só porque elas acontecem poucas vezes no ano. É importante diferenciar um do outro e garantir que as despesas pontuais entrem no nosso planejamento!

2. Faça uma reserva de emergência

Invista em uma reserva de emergência. A reserva existe exatamente para ajudar em momentos inesperados, como ficar desempregado ou em momentos de doença, por exemplo. A reserva é importante, pois nos deixa mais tranquilos caso algum imprevisto aconteça. 

Para montar a sua reserva, você precisará da estimativa de gastos mensais que tem (e que você já deve ter calculado no planejamento) para, então, começar a poupar o equivalente a alguns meses dessa despesa. 

Muitos economistas definem como regra que a reserva tenha um valor equivalente a 3 a 6 meses das suas despesas mensais fixas. Essa alternativa, sem dúvidas, é a ideal, mas sinta-se confortável para fazer uma conta dentro do que faz sentido para você. 

Por exemplo, se você for uma pessoa mais ansiosa, talvez seja uma boa ideia poupar o equivalente a mais do que esses 3 meses. Entretanto, com a atual crise econômica que vivemos, é totalmente compreensível que essa reserva seja menor. Saiba que a reserva emergencial é importante para que você durma mais tranquilo à noite. 

Essa é uma ótima alternativa para quem deseja guardar dinheiro, mas precisa de uma boa liquidez. Ou seja, ter o poder de sacar o dinheiro a qualquer momento. Existe a poupança, velha conhecida do brasileiro, porém, existem formas de investimento de baixo risco, boa liquidez e maior rentabilidade que ela. 

Entre as alternativas mais buscadas estão o Tesouro Público, como o Tesouro Selic, por exemplo. São extremamente confiáveis, pois estão diretamente ligadas ao governo e oferecem opções de investimento por um valor realmente baixo, sendo ideal para todos os tipos de investidores. Ou até contas, em bancos digitais, que rendem mais do que a poupança, por exemplo. 

3. Adquira seguros e planos de saúde

Muitas pessoas pensam que os seguros são totalmente dispensáveis, já que podem passar toda uma vida pagando por eles sem nunca precisar. Porém, o conselho geral é que investir neles é uma das melhores formas de se resguardar contra despesas inesperadas.

Fazer um seguro do carro, por exemplo, evita que você tenha de desembolsar uma quantia considerável caso tenha algum problema com seu automóvel ou, pior, em caso de roubo ou furto. Além disso, existem seguradoras que oferecem serviços de reboque, que são muito utilizados no dia a dia.

Também existem seguros imobiliários que, além de resguardar o seu patrimônio em casos graves, como enchentes, incêndios, roubos e arrombamentos, também oferecem serviços menores, como pequenos reparos hidráulicos, na energia elétrica ou troca de chaves

Uma alternativa cada vez mais adotada tem sido o seguro para celulares. Essa é uma ótima alternativa para quem deseja se manter seguro contra roubos, furtos e, em alguns casos, quebras e arranhões. 

Dentre esses investimentos, também é preciso acrescentar os planos de saúde. Nós sempre esperamos que nada aconteça, porém, nossa saúde sempre precisa de atenção e, infelizmente, os tratamentos, por menor que sejam, costumam ser caros. 

Sendo assim, ter um plano de saúde garante que passemos por momentos duros de doença com um pouco mais de tranquilidade

Já um seguro de vida pode ter coberturas adicionais como o pagamento de Diárias por Incapacidade Temporária (DIT) e a cobertura por Doenças Graves, que podem pagar benefícios ao segurado ainda em vida.

Apesar de parecer coisas distantes de sua realidade, é sempre bom estar precavido contra essas situações, conferindo segurança não apenas a você, mas para sua família e entes queridos. 

4. Utilize o cartão de crédito com responsabilidade

Atualmente, os cartões de crédito assumiram um posto fixo na vida de grande parte dos brasileiros. Isso se deve à facilidade de acesso que muitos bancos digitais oferecem à população, como anuidade 0 e juros menores. 

Isso representa maior poder de compra, porém, sem a devida educação financeira, também significa maior endividamento por seu uso indiscriminado. 

Segundo uma pesquisa divulgada pelo Guiabolso, as camadas mais baixas da sociedade têm menos conhecimento financeiro, mas também utilizam mais do limite dos cartões de crédito.

Isso é justificado pela falta de planejamento financeiro, além de questões sociais atreladas ao problema. Sendo assim, o uso do cartão de crédito pode ser realizado, porém, com o devido planejamento e responsabilidade

Afinal, ele significa uma grande forma de endividamento, atualmente, mas pode servir como uma forma de suprir certas pendências. Mas claro, apenas em último caso

Atualmente, pela falta de cobrança da anuidade e diminuição das taxas de juros, ter um cartão apenas para momentos emergenciais se tornou uma ótima opção realmente viável.

Portanto, apesar de muitos brasileiros ainda fugirem da ideia de usar cartões de crédito, por medo de se endividarem, é possível ter seu uso totalmente controlado, apostando na educação financeira.

5. Comece a usar o salário sob demanda

O salário sob demanda é um benefício relativamente recente no país. Ele permite que o colaborador tenha acesso ao salário dos dias em que já trabalhou, antes do dia do pagamento, quando precisar. Portanto, a empresa que oferece o benefício ao colaborador está oferecendo também uma nova alternativa para resolver um imprevisto financeiro, caso ele não tenha dinheiro no momento em que acontece.

O Xerpay é uma plataforma financeira que oferece esse serviço. A transferência solicitada pelo colaborador através do aplicativo cai imediatamente na conta do colaborador, que não paga juros por ela e pode usar o próprio salário em qualquer dia da semana, em qualquer horário.    

Para saber mais informações sobre o salário sob demanda e como adotá-lo em sua empresa, acompanhe o artigo: Salário sob demanda: o melhor benefício para adiantar pagamentos

O benefício influencia diretamente na vida financeira dos colaboradores, que poderão cobrir endividamentos e evitar cobranças abusivas do cheque especial ou cartão de crédito. 

Através disso, a saúde financeira e mental dos funcionários é valorizada, promovendo maior bem estar em diversas áreas de suas vidas, inclusive, na profissional. E isso significa uma atitude positiva não apenas para o colaborador, mas também para a empresa. 

Afinal, com uma maior valorização partindo do empregador, os funcionários se sentirão mais engajados e terão aquele local de trabalho como uma boa referência.

Fonte:Xerpa

Fiscal Ti