(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Low touch economy: você já ouviu falar sobre?

Low touch economy: você já ouviu falar sobre?

Um ponto que não podemos negar mais é: a pandemia do novo coronavírus veio mudar muitas questões nas mais diferentes áreas e, principalmente, as estruturas econômicas sofrerão forte impacto. Nossa forma de consumo, compra, trabalho, entre diversos outros, passarão por mudanças profundas.

Muitas delas já eram embrionárias e, agora, estão vindo com força total, potencializadas por esse novo cenário. Por isso, é importante que você esteja atento a isso e saiba como implementar essas mudanças em seu negócio, a fim de adequá-lo para os novos tempos.

Um dos conceitos que estão surgindo fortemente nesse contexto é o de low touch economy. Continue lendo e tire suas dúvidas sobre o tema.

O que significa low touch economy?

O conceito é bem intuitivo, considerando sua tradução: “economia de pouco contato”, ou seja, quando é possível realizar os procedimentos de fluxo de capital sem a necessidade de contato direto com as partes envolvidas. Significa, portanto, que vendedores e clientes não precisam estar frente a frente para a realização dos trâmites.

Ela ganhou força com a necessidade do distanciamento social no contexto da pandemia. Afinal, os clientes precisaram passar a realizar suas compras ou contratação de serviços sem maiores contatos com as empresas responsáveis.

Esse é um passo além, implementado pela transformação digital, no qual se utiliza a tecnologia para que as pessoas possam ter maior autonomia na elaboração dos pedidos. Assim, eliminam-se etapas no processo de compra e contratação.

Quer ver um exemplo de como isso já ocorre? Quando você acessa seu aplicativo de delivery e solicita retirada no local, ou seja, você não precisa interagir com o garçom para que seu pedido seja realizado. O serviço de self-checkout, ou seja, quando você mesmo passa as suas compras, paga por meio do seu cartão e embala seus produtos no supermercado, é outro exemplo de como isso ocorre.

O low touch economy também está relacionado com a diminuição do contato entre os próprios colaboradores. Com o desenvolvimento de tecnologias que permitem o trabalho remoto, é possível que seus times possam atuar de forma distante, com a mesma eficiência (ou, muitas vezes, até com maior motivação, por estar em um ambiente confortável e com maior flexibilidade).

Como as relações comerciais estão mudando?

Fato é que a transformação digital acelerou diversos processos em nosso dia a dia. Cada vez mais, queremos maior objetividade e praticidade para comprar produtos, realizar contratação de serviços, entre outros. Por isso, as relações comerciais estão em constante evolução.

Isso se estende não só para as relações B2C (Business to Client, ou seja, quando você vende para uma pessoa física), mas também para B2B (Business to Business, ao comercializar produtos ou serviços para pessoas jurídicas). Principalmente nesse caso, quanto mais etapas burocráticas e com intervenções de mais colaboradores, mais demorado será o processo. Isso não é vantajoso para o seu cliente, que depende de celeridade para realizar suas atividades.

Qual o papel da tecnologia na transformação das relações comerciais?

A transformação digital foi a principal força motriz para esse fim. Afinal, por meio dela, foi possível gerar uma série de processos que passaram a facilitar as relações comerciais. Estão entre eles:

  • desenvolvimento do e-commerce;
  • chatbots;
  • aplicativos para dispositivos móveis;
  • assinaturas recorrentes para serviços;
  • tecnologias que permitiram o trabalho remoto (ferramentas de gestão de tarefas, videoconferência);
  • cloud computing;
  • plataformas CRM;
  • pagamentos digitais, PIX e contactless;
  • assinatura digital, entre outros.

Essas novas tecnologias permitiram que fosse possível gerar novas possibilidades para contratação de serviços e aquisição de itens, de forma mais eficiente, sem necessidade de contato com a empresa.

Veja exemplos de como isso já é uma realidade

O consumidor de uma petshop pode criar um plano de assinatura, com pagamento recorrente, para adquirir a ração para seus animais de estimação. Isso pode ser feito de acordo com uma periodicidade definida por ele, seguindo as possibilidades oferecidas pela empresa.

No site, ele pode realizar todo o processo de cadastro, bem como inserir as informações do seu cartão de crédito e o período no qual a compra deverá ser realizada (30, 60, 90, 180 dias). Ao realizar o registro, ele já saberá o valor do frete e cadastrará os produtos que farão parte da assinatura.

Assim, no dia escolhido, os itens chegarão em sua casa, sem a necessidade de ter contato com qualquer vendedor nesse processo. Caso tenha alguma dúvida, um chatbot pode auxiliar nas questões mais básicas.

Hoje, podemos realizar eventos online, treinamentos a distância, ter um forte engajamento com o cliente, tirar dúvidas, ter presença online, entre uma série de questões sem a necessidade de contato pessoal com colaboradores. Ou seja, low touch economy pode ser aplicado a, praticamente, todos os segmentos.

Saiba como aplicar esse conceito no negócio

Para que funcione adequadamente, é fundamental utilizar as tecnologias existentes como sua aliada. Isso não é apenas uma mera implementação, mas também, realizar as mudanças organizacionais necessárias para esse fim. Afinal, os processos internos serão completamente modificados e isso exige alterações estruturais significativas.

Se você deseja implementar uma política low touch economy, assuma isso como um princípio da empresa. Ela precisará passar por todos os setores, desde a alta diretoria a áreas de suporte (financeiro, contabilidade, marketing, entre outros).

Importante lembrar que esse tipo de ação permite, também, coletar e trabalhar mais dados dos seus clientes. Isso é essencial, por exemplo, para criar estratégias personalizadas e mais eficientes para conquistar seu público.

Se trabalha com serviços ou com empresas B2B, e recorrentemente elabora contratos, é importante contar com a assinatura digital para esse fim. Assim, você não precisa de encontros presenciais para firmar contratos, podendo ser feito por meio de documento eletrônico, por todas as partes. Assim, se ainda não realizou a aquisição desse serviço, é importante repensar o quanto antes.

Estamos cada vez mais mergulhando de cabeça na era digital-first, e a pandemia do novo coronavírus acelerou isso. O low touch economy chegou com tudo nesse contexto e os pontos que abordamos neste texto têm grandes chances de perdurar. Portanto, esteja atento, não deixe de investir em inovação e garanta maior rentabilidade para destacar o seu negócio no mercado.

Fonte: Soluti

Fiscal Ti