(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Hard skills: O que são e qual a importância para a empresa?

Hard skills: O que são e qual a importância para a empresa?

Quem trabalha com gestão de pessoas já deve ter reparado que os termos hard skills e soft skills, têm sido bastante utilizados no processo seletivo e na elaboração de desenvolvimento de equipes.

Mas, afinal de contas, qual é o significado de hard skills e como ela impacta a rotina da sua empresa?

Neste post, vamos explicar em detalhes o que isso significa e também apresentar exemplos de hard skills para que você entenda, definitivamente, porque ficar de olho nessas habilidades dentro do seu ambiente de trabalho.

Confira, abaixo, o que vamos abordar ao longo do texto:

Vamos ver, então, o que é uma hard skill e como esse conceito pode transformar a produtividade e a performance coletiva de todos os seus departamentos? Basta seguir com esta leitura!

O que são as hard skills?

Skill é uma palavra que deriva do vocabulário inglês, e significa “habilidade”. Hard skills, portanto, têm a ver com as capacitações técnicas de um profissional.

Por muitos anos, era esse tipo de habilidade que mais chamava a atenção dos recrutadores. Afinal, são as competências que mais fazem parte de um currículo. Isso porque, elas podem ser adquiridas de diferentes maneiras. Por exemplo:

  • Diplomas;
  • Certificados de qualificação;
  • Testes práticos;
  • Cursos livres.

São, então, as habilidades que foram aprendidas e que podem ser demonstradas de maneira prática e/ou tangível — mas verdade seja dita: as hard skills não são as únicas competências que, hoje em dia, mais despertam a curiosidade dos recrutadores no mercado de trabalho.

Quais as diferenças entre hard skills e soft skills?

Como destacamos anteriormente, hard skills e soft skills são termos comuns aos profissionais de RH. Existem, portanto, diferenças entre os conceitos e que devem ser profundamente analisadas tanto no processo seletivo da sua empresa quanto periodicamente no seu quadro de funcionários.

É por isso que vale saber o que cada uma significa. Veja abaixo o contexto de hard skills e soft skills!

Hard skills

Existem diversos exemplos de hard skills que podem ser citados, como as técnicas e habilidades adquiridas ao longo de sua graduação — quem estuda Administração, por exemplo, possui hard skills para cuidar da gestão de uma empresa em diferentes frentes (como o setor financeiro).

Vale também apontar o conhecimento em um idioma estrangeiro que foi adquirido tanto por vivências internacionais quanto por meio de cursos de especialização. Aí vão outros exemplos:

  • Graduação;
  • Cursos técnicos;
  • Conhecimentos operacionais de máquinas e equipamentos específicos;
  • Habilidades de informática.

Quem tem amplo domínio nas planilhas de Excel, por exemplo, pode contar isso como uma hard skill no seu currículo. Deu para entender, então, o que isso significa antes de seguirmos para o próximo conceito?

Soft Skills

Por sua vez, as soft skills são mais desafiadoras de reconhecer e quantificar. Pois elas têm mais a ver com o perfil social e comportamental dos profissionais. Inteligência emocional é um ótimo exemplo de soft skill.

Mas não é o único caso, como veremos adiante. Acontece que as soft skills chegam para complementar as qualidades presentes em profissionais com diversos hard skills. Isso porque, de nada adianta um profissional cheio de capacitações técnicas, mas com um perfil comportamental ruim e que não sabe lidar com a hierarquia profissional, por exemplo.

Daí, inclusive, a importância cada vez mais evidente de equilibrar, na procura por candidatos, hard skills e soft skills. É por meio desse equilíbrio que os seus especialistas de RH podem identificar profissionais que sejam agregadores à rotina técnica e também ao clima organizacional.

Para que fique ainda mais claro o que significam as soft skills, confira outros exemplos a seguir:

Ao longo da sua leitura você deve ter percebido que as soft skills dificilmente se enquadram em um currículo — embora nada impeça que elas estejam presentes na apresentação do candidato. Elas, por sua vez, podem ser identificadas nas mais variadas etapas de um processo seletivo, como a entrevista ou mesmo por meio de dinâmicas de grupo.

Por que as hard skills são importantes para o processo seletivo?

imagem de duas pessoas analisando a tela de um computador

Agora que já entendemos o que diferencia as hard skills e soft skills, hora de avaliar a importância da primeira em um processo seletivo.

Vale adiantar, contudo, que ambas têm o seu valor — até mesmo, levando em consideração o exemplo que usamos anteriormente sobre o profissional com um perfil comportamental ruim.

Só que as hard skills ajudam a nortear com eficiência, desde o primeiro contato, o tipo de perfil ideal para cada vaga dentro da empresa.  Confira qual é a importância disso no seu processo seletivo!

Para o mapeamento de hard skills para todas as posições na empresa

Independentemente do porte da empresa, o mapeamento é necessário. Por meio dele é que os seus especialistas de RH vão compreender quais são as hard skills e soft skills que não podem faltar para cada cargo.

Isso facilita, e muito, na elaboração de um descritivo de oportunidades em aberto, na empresa, além de facilitar o primeiro filtro realizado — que é a triagem de currículos recebidos.

Perceba que isso também é importante para a confecção de um banco de currículos. Algo que pode tornar a busca por novos talentos ainda mais precisa e eficiente.

Para a descrição de vaga objetiva e clara

Com o mapeamento realizado, você consegue criar descrições objetivas, claras e direcionadas com eficácia ao perfil desejado para cada tipo de oportunidade em aberto.

Lembre-se de reforçar a importância das principais hard skills. Assim, menos pessoas vão encaminhar o currículo apenas porque encontrou uma afinidade em comum com a vaga. Sem falar que os seus especialistas de recursos humanos vão encontrar mais facilidades para fazer essa filtragem e trazer apenas os candidatos mais alinhados com as suas necessidades para as etapas seguintes do processo seletivo.

Para a entrevista

Testes em geral — como a já citada dinâmica em grupo — podem ser interessantes para avaliar as hard skills dos candidatos que alcançaram essa etapa do processo.

Especialmente, se o cargo em questão necessita, realmente, de conhecimentos específicos. Por exemplo, se você está à procura de um editor de vídeo, vale a pena elaborar um teste que, de fato, desafie a capacidade do candidato de resolver o problema.

Importante que esse teste tenha bastante a ver com a realidade da empresa. Não adianta apenas testar os conhecimentos se com determinado recurso do software de edição se, no dia a dia, nada disso vai ser necessário para a realização do trabalho.

Para tanto, as hard skills servem como um norteamento impactante para testar os candidatos.

Como resultado, você terá um processo seletivo mais alinhado com as características da sua empresa, realizando o que chamamos de fit cultural. Sem falar que os candidatos selecionados vão ter um aproveitamento melhor, já que eles foram selecionados a dedo de acordo com as necessidades de cada departamento.

Isso também se traduz em:

  • Processos seletivos mais rápidos;
  • Redução de custos (proveniente do tempo que um cargo fica em aberto até alguém preenchê-lo);
  • Retenção de talentos, uma vez que o trabalho do RH vai agregar a presença de profissionais que novos colaboradores que tenham tudo a ver com o perfil e a cultura organizacional da empresa.

Exemplos: quais as principais hard skills?

Já falamos sobre alguns dos principais exemplos de hard skills, mas vale reforçar porque existem habilidades que podem ser fundamentais, em determinado setor profissional, mas irrelevantes para outros.

Assim, mais leitores podem compreender o real valor das hard skills e como elas podem se encaixar, de maneira impactante, na realidade de cada departamento. Confira alguns dos melhores exemplos de hard skills do mercado de trabalho:

  • Gestão de projetos;
  • Gestão de pessoas;
  • Programação e linguagem de programação, como PHP e/ou CSS;
  • Excel e outras ferramentas Office (como PowerPoint);
  • Contabilidade;
  • Inglês e outros idiomas estrangeiros;
  • Oratória;
  • Edição de imagens;
  • Operação de máquinas, equipamentos e sistemas específicos;
  • Habilidades analíticas de dados;
  • Habilidades de escrita.

Inclusive, separamos algumas das hard skills que são consideradas as habilidades do futuro mas que, na verdade, já têm sido amplamente requisitadas em diversas áreas de atuação. Confira algumas delas, logo abaixo!

  • Blockchain, que é o sistema usado para as transações digitais (especialmente, com a popularização dos pagamentos on-line e do uso de criptomoedas) serem mais seguras e ágeis;
  • Computação em nuvem, que envolve a tecnologia necessária para termos sistemas de gestão on-line, acessarmos softwares corporativos à distância (ideal para as empresas que aderiram ao home office, por exemplo) ou mesmo armazenar dados sem necessitar de um servidor robusto e caríssimo;
  • Inteligência artificial é outro hard skill em constante necessidade do mercado. Afinal de contas, ela pode ser usada em qualquer setor (até mesmo para o uso no SAC de empresas);
  • UX Design é mais uma das hard skills do futuro e pensando, exclusivamente, na experiência do usuário em aplicativos e softwares. Por meio das técnicas e tecnologias desse campo de conhecimento, cria-se uma conexão mais positiva com o seu público-alvo — seja no atendimento ou para resolver problemas;
  • Vendas também têm tudo a ver com as hard skills do presente e do futuro. A diferença, aqui, é que as técnicas estão mais alinhadas tanto com o marketing digital como com a análise de dados digitais. Ou seja: a abordagem, a negociação e a experiência do consumidor foram também transformados com o advento de novas tecnologias e soluções on-line.

Viu como a lista de hard skills pode ser enorme? No entanto, entenda que essas são apenas algumas das habilidades mais requisitadas, atualmente. Isso não significa que todo profissional deve se capacitar em UX Design e em Blockchain, por exemplo, simultaneamente.

Só que, é fundamental estar por dentro das mudanças dentro do seu próprio setor de atuação. Se um profissional trabalha com design e não conhece as novas ferramentas, tendências e técnicas, é capaz que essa pessoa não se destaque em muitas oportunidades de trabalho, hoje em dia.

Como desenvolvê-las nos colaboradores já contratados?

imagem de um homem e uma mulher analisando uma folha de papel com gráfico

Para o setor de RH, vimos que as hard skills de cada departamento devem ser previamente conhecidas para identificar os melhores candidatos para cada vaga na empresa.

Mas essas mesmas habilidades podem fazer parte da cultura da empresa mesmo para os atuais colaboradores. Afinal de contas, o RH vai muito além da contratação e demissão de funcionários. Cabe também a orientação, a capacitação e o desenvolvimento deles.

Vamos ver, então, como é possível que a gestão e o RH, juntos, podem oferecer o desenvolvimento de hard skills aos seus funcionários?

Treinamentos

Esse é, sem dúvidas, o meio que melhor capacita as suas equipes. Afinal de contas, a gestão pode avaliar quais são as hard skills e soft skills que melhor podem agregar à respectiva rotina de cada setor.

Assim, o RH pode planejar treinamentos específicos que aprimorem as habilidades de cada funcionário. Uma evolução que pode trazer mais motivação, performances melhores continuamente e um nível de satisfação crescente dos colaboradores.

E, para a empresa, isso se converte em resultados promissores de maneira gradual. Para tanto, vale a pena conhecer as hard skills fundamentais para cada área e cargo (lembra do mapeamento que citamos lá em cima?).

Incentivo à busca por conhecimento

Podemos citar o incentivo como algo palpável e ao mesmo tempo imaterial.

O que isso significa? Que o incentivo pode ser algo atrelado aos benefícios oferecidos pela empresa. Não é incomum, inclusive, que organizações custeiem (parcial ou integralmente) cursos livres, de especialização ou mesmo graduações para os seus colaboradores.

Outra maneira pode ser indiretamente. O convite para workshops e seminários para o setor podem estimular o apetite por conhecimento, assim como a divulgação de cursos gratuitos.

Isso tudo pode ser um gatilho para o funcionário buscar melhorias nas suas próprias hard skills. E mais: com o apoio da empresa, por trás, a motivação pode ser ainda maior.

Existem ainda outras maneiras de incentivar o conhecimento. E, a seguir, apresentamos algumas possibilidades:

  • Parceria com escolas de idiomas;
  • Incentivo ao intercâmbio cultural e/ou profissional;
  • Certificações e licenças;
  • Participação em congressos.

Gamificação

O aprendizado pode ganhar mais volume e eficiência por meio da gamificação.

Caso ainda não conheça o conceito, trata-se de uma maneira de estabelecer estratégias entremeadas por elementos de um jogo.

Por exemplo: em um treinamento de vendas, promovido pelo RH, ficou decidido que os vendedores seriam divididos em grupos e eles teriam pequenos desafios que, se realizados, renderiam prêmios aos melhores jogadores.

Isso costuma servir de elemento motivacional e de engajamento dos participantes. O cenário lúdico, as regras e as recompensas servem de desafio para as pessoas se testarem continuamente. E pode ser um fator decisivo para exercitar os hard skills dos seus colaboradores.

Quais os benefícios para a empresa?

Agora que já vimos tudo relacionado às hard skills, é hora de entender no geral como funcionam os aspectos positivos de sua orientação e implementação dentro da empresa.

Confira, abaixo, alguns dos principais benefícios em cultivar as hard skills no seu quadro de colaboradores!

Clima organizacional

O primeiro dos benefícios tem que ser o retorno impactado no próprio clima da empresa. Pessoas capacitadas e motivadas produzem melhor e, com isso, as hard skills trabalhadas internamente têm tudo para ser o combustível de um elevado grau de satisfação, individual e coletivo.

Gestão de projetos

Os objetivos projetados pela gestão podem ser facilmente alcançados e desenvolvidos por meio de profissionais qualificados. Ao ter equipes inteiramente especializadas nos produtos, tecnologias e técnicas usadas no dia a dia, a gestão serve mais como um meio de orientação do que um chefe em si.

E isso agrega mais autonomia e flexibilidade aos colaboradores, além de lapidar também novas lideranças dentro da empresa e uma hierarquia menos vertical.

Desenvolvimento pessoal

Individualmente, estamos falando de uma empresa que cuida do seu capital humano e trabalha positivamente no desenvolvimento de cada um deles.

Com as hard skills desenvolvidas no cotidiano, o trabalho flui melhor e as pessoas capacitadas vão preferir ficar na empresa, fazer uma carreira internamente e devolver todo esse desenvolvimento profissional com resultados.

É uma situação na qual todos saem ganhando. E da qual a sua empresa, certamente, deveria ficar de olho tanto no processo seletivo quanto para desenvolver seus talentos internos.

Conclusão

Viu como as hard skills ainda desempenham um papel determinante nas empresas, mesmo que, atualmente, as soft skills também apresentem um elevado grau de importância?

Agora, caso tenha ficado com alguma dúvida a respeito das etapas de desenvolvimento das hard skills dos colaboradores, aproveite para dar uma conferida em outro artigo nosso, que fala especificamente a respeito do treinamento e da capacitação de funcionários!

Esperamos que este conteúdo tenha te ajudado com uma visão geral sobre os hard skills. Compartilhe em suas redes sociais e continue acompanhando nosso blog!

Compartilhe em suas redes!

Fiscal Ti