(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Doenças ocupacionais: Veja as principais e saiba como evitá-las!

Doenças ocupacionais: Veja as principais e saiba como evitá-las!

As doenças ocupacionais devem estar entre uma das prioridades do departamento de recursos humanos, dos gestores e dos próprios colaboradores. Afinal de contas, a sua prevenção e combate acontecem de maneira colaborativa, em que todos desempenham um papel importante.

E para que você consiga implementar as melhores estratégias para reduzir a incidência e a gravidade de doenças ocupacionais na sua empresa, preparamos este artigo.

Nos tópicos a seguir falaremos a respeito dos principais tipos de doenças ocupacionais mais comuns e também:

Tudo pronto? Então, acompanhe-nos nesta leitura e descubra como lidar com a prevenção de doenças ocupacionais!

O que são doenças ocupacionais?

As doenças ocupacionais são qualquer complicação de saúde (física ou psicológica) que tenha sido motivada pelo exercício do trabalho de um profissional.

Para se ter uma ideia da gravidade do problema no país, no ano de 2014 foram 251,5 mil afastamentos de acordo com dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social.

E os dados ficam ainda maiores quando consideramos também os acidentes de trabalho — embora eles sejam diferentes de uma doença ocupacional em si, possuem os mesmos direitos aos profissionais afastados por ordens médicas.

Vale a pena iniciar conhecendo, então, os tipos de doenças ocupacionais para começar a elaborar um projeto de ação para a prevenção desse tipo de problema na sua empresa!

Como elas são divididas?

Doenças ocupacionais são divididas em dois tipos, essencialmente:

  • Doenças profissionais: são aquelas motivadas por movimentos repetitivos ou, ainda, por meio da exposição a agentes nocivos a saúde;
  • Doenças do trabalho, que se resumem àquelas causadas por uma atividade específica e relacionada ao trabalho, como sobrecarga e ruídos excessivos, entre outros.

Nesse pequeno contexto, muitas condições podem se apresentar na vida do trabalhador. Para que isso fique ainda mais claro, dê uma conferida no próximo tópico, em que vamos apresentar os principais exemplos de doenças ocupacionais.

Quais são as principais doenças ocupacionais?

Atualmente as principais doenças ocupacionais são:

  • Ler/Dort;
  • Dorsalgias;
  • Transtornos mentais;
  • Transtornos das articulações;
  • Varizes nos membros inferiores;
  • Transtornos auditivos.

Ler/Dort

ergonomia no ambiente de trabalho

As siglas Ler e Dort são usadas para definir as “Lesões por esforços repetitivo” e os “Distúrbios osteomusculares” relacionados ao trabalho — como tendinites e lesões de ombro, entre outros locais do corpo, essas doenças ocupacionais tendem a ocorrer por meio dos movimentos repetitivos e também a partir da postura inadequada durante o trabalho.

Para tratar o problema de maneira preventiva é importante cuidar do mobiliário da empresa, afinal de contas, doenças ocupacionais e ergonomia têm tudo a ver.

Além disso, incentivo à prática de atividades físicas pode ajudar a fortalecer a musculatura dos seus colaboradores, garantindo mais força e resistência aos membros.

Dorsalgias

As dorsalgias são as condições que podem causar hérnias de disco e problemas de coluna no geral. Costumam ocorrer também por conta de movimentos repetitivos na rotina ou, ainda, pelo uso excessivo de força no tronco e durante o levantamento de produtos pesados.

A postura inadequada é outro fator debilitante para as dorsalgias. Por isso, as medidas de prevenção são similares às vistas no tópico acima.

Além disso, vale reforçar a importância de pausas, no horário de trabalho, para descansar o corpo e alongá-lo. Especialmente, em rotinas que exigem muito esforço físico.

Transtornos mentais

Os transtornos mentais são aqueles problemas que podem causar severos distúrbios psicológicos, como:

  • Estresse;
  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Estresse pós-traumático.

As causas para umas das principais doenças ocupacionais ocorrem por conta da pressão exagerada de gestores, metas inalcançáveis, conflitos no ambiente de trabalho — como bullying e outros casos de assédio — ou mesmo fatores estressantes que impactam o bem-estar psicológico do profissional.

Boas metas, uma política clara contra assédios, planos de carreira e um clima organizacional positivo são algumas das medidas eficientes para prevenir a ocorrência dessas doenças ocupacionais.

Transtornos das articulações

A partir de uma rotina pautada pela postura inadequada, movimentos repetitivos, obesidade e sedentarismo, muitos profissionais podem se lesionar no exercício da profissão, e a isso pode ser dado o nome de transtorno das articulações.

Para evitar esse tipo de problema na empresa, faça uma adequação do mobiliário, reduza ao máximo o esforço físico dos seus funcionários e crie um plano baseado em pausas periódicas para eles descansarem.

Um programa de incentivo à prática de atividades físicas é também uma boa solução, lembre-se disso.

Varizes nos membros inferiores

Normalmente, as varizes nos membros inferiores acometem pessoas que trabalham muito tempo em pé ou sentadas, mas com pouca movimentação. Sedentarismo é também uma causa comum para isso.

Vale a pena, mais uma vez, considerar que as doenças ocupacionais e a ergonomia são complementares: ao ter um bom planejamento ergonômico, fica mais fácil evitar as doenças do ambiente de trabalho.

Transtornos auditivos

Os transtornos auditivos são muito comuns de se evoluírem para a perda auditiva. E isso tende a ocorrer por conta dos seguintes fatores:

  • Exposição a ruídos contínuos e/ou elevados;
  • Exposição a produtos químicos — solventes, em particular, como tinner e tolueno, entre outros.

A prevenção é importante, por isso, ofereça aos trabalhadores EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) de isolamento de ruídos, como protetores auriculares.

Um bom sistema de ventilação, para ambientes fechados, também auxilia no combate à exposição de produtos nocivos, assim como máscaras faciais.

O que pode causar uma doença ocupacional? Principais causas

Como destacamos anteriormente, uma série de motivos podem levar à ocorrência de doenças ocupacionais na empresa. Mas vale apontá-las, abaixo, de maneira que sua equipe consiga analisar com rapidez e eficácia as principais causas.

Dentre as principais causas das doenças ocupacionais, podemos mencionar:

  • Movimentos repetitivos;
  • Postura inadequada;
  • Pressão psicológica
  • Levantamento exagerado e excessivo de peso;
  • Sedentarismo;
  • Pressão por resultados inatingíveis, especialmente;
  • Assédios no ambiente de trabalho;
  • Situações de alto nível de estresse;
  • Exposição a ruídos e/ou agentes nocivos à saúde, como produtos químicos.

A seguir, vamos destacar alguns meios práticos para combater as doenças ocupacionais!

Como prevenir o alto índice de doenças ocupacionais?

Além das orientações que apresentamos nos tópicos anteriores, a empresa pode ter um bom planejamento contra as doenças ocupacionais e, assim, construir um ambiente seguro e que abrace o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas.

Confira a seguir, as iniciativas que separamos para aprender como evitar doenças ocupacionais:

  • Implemente e reforce a necessidade de usar EPIs — faça treinamentos e realize palestras para que todos entendam a importância disso;
  • Explique a respeito dos riscos aos quais os seus profissionais estão expostos no dia a dia, e as consequências de negligenciá-los;
  • Padronize os processo para que eles se tornem mais objetivos, simples e seguros;
  • Realize, periodicamente, a capacitação dos colaboradores;
  • Faça exames médicos periódicos para atestar a saúde dos profissionais;
  • Promova o consumo e a prática de hábitos saudáveis na rotina (dentro e fora da empresa);
  • Desenvolva ações de ginástica laboral para os profissionais;
  • Abra um canal de comunicação rápido e funcional com o RH, para que seus especialistas possam conscientizar e auxiliar os colaboradores.

Com isso, sua empresa pode minimizar significativamente a ocorrência e a proliferação das doenças ocupacionais.

Qual a importância de prevenir doenças ocupacionais?

imagem de uma mulher com colete de segurança apoiando um tablet em sua mão

Preveni-las, a essa altura, já deve ter ficado claro que o mais importante é a saúde e a qualidade de vida dos colaboradores. Por meio da erradicação das doenças ocupacionais, o ambiente de trabalho se torna mais seguro, motivacional e que pode se traduzir em produtividade para toda a equipe.

Para a empresa quais as vantagens da prevenção de doenças ocupacionais?

Para a empresa existem diversos benefícios em prevenir doenças ocupacionais, isso pois, menos pessoas doentes significa menos ausências no dia a dia, e menor insatisfação ou problemas que interferem no desempenho ou em suas relações pessoais.

Mas existem outros benefícios que também podem ser citados, como:

  • Diminui os índices de afastamento;
  • Melhora a qualidade de vida e bem-estar individual e coletivamente;
  • Reduz prejuízos relacionados ao cuidado e ao afastamento dos profissionais;
  • Aumenta a produtividade;
  • Promove o nível de satisfação dos colaboradores.

Ou seja: ganhos para todos os envolvidos. Lidar com as doenças ocupacionais é algo que, indiretamente, só tem a melhorar os resultados da empresa. E isso tudo, a partir do cuidado com os seus funcionários.

Principais dúvidas sobre doenças ocupacionais

Doenças ocupacionais e acidente de trabalho são a mesma coisa?

Não, elas são coisas distintas, as doenças ocupacionais estão relacionadas ao trabalho em si e às características de cada profissão. Já o acidente de trabalho, é um incidente isolado que pode ocorrer por fatores externos.

Vale destacar, contudo, que ambos podem causar o afastamento do profissional segundo ordens médicas.

Como uma doença ocupacional é atestada?

A maioria delas tem que ser reconhecida a partir de uma perícia médica realizada pelo INSS. É preciso, ainda, que a empresa reconheça ou que seja comprovada que as doenças ocupacionais em questão aconteceram por causa do trabalho em si, e não por outros fatores que não tenham a ver com a rotina corporativa.

Doenças ocupacionais e ergonomia tem alguma relação?

Doenças ocupacionais e ergonomia têm, sim, tudo a ver. Mas, a segunda tem papel relevante no combate à primeira, com ações voltadas à ergonomia as chances de ocorrerem doenças ocupacionais acabam diminuindo, como já mencionamos em parágrafos anteriores deste artigo.

Conclusão

Deu para sentir o quanto as doenças podem impactar de maneira tangível e intangível a rotina de uma empresa? E, com isso, como o combate e a prevenção são elementares para garantir um ambiente de trabalho mais seguro e harmônico para todos?

Agora, se quiser saber mais dicas para tornar a sua empresa mais segura, produtiva e com um clima organizacional elevado, assine a nossa newsletter (não demora nada: é só preencher seu nome e e-mail na lateral do nosso blog) para ficar por dentro de todas as nossas novidades diretamente no seu e-mail!

Compartilhe em suas redes!

Fiscal Ti