(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Regra 50 30 20: o que é como aplicá-la na vida financeira?

Regra 50 30 20: o que é como aplicá-la na vida financeira?

Você já tentou de todas as formas enxugar os seus gastos e não comprar mais do que seu dinheiro pode pagar, mas ainda não conseguiu? Pois saiba que com a regra 50 30 20 você tem uma maneira simples e eficiente de organizar as suas despesas.

E o melhor, sem deixar de lado as suas necessidades essenciais, as suas compras de acordo com o seu estilo de vida e aquela porcentagem destinadas às suas prioridades financeiras.

Segundo os indicadores econômicos do SERASA 62,6 milhões de brasileiros apresentam alguma dívida ativa até março de 2021, o que representa cerca de 30% do total da população.

Se tirarmos da conta os dependentes financeiros (como crianças e outros) o número é realmente alarmante.

Esses dados mostram que o brasileiro não tem educação financeira e não sabemos administrar o nosso próprio dinheiro!

Diante disso, achamos por bem apresentar aos nossos leitores a regra 50 30 20. Uma maneira fácil e precisa de controlar o bolso e não cair na lista de inadimplência.

A seguir, você lerá:

  • O que é a regra 50 30 20?;
  • Como estabelecer os gastos mensais;
  • Estipule os gastos fixos;
  • Selecione as despesas variáveis;
  • Defina suas prioridades financeiras;
  • A flexibilidade da regra 50 30 20;
  • Os benefícios dessa regra;
  • Como aplicar essa regra de organização financeira?;
  • Mantenha seu equilíbrio.

Acompanhe nosso artigo e saiba como manter o equilíbrio da sua saúde financeira.

O que é a regra 50 30 20?

A regra 50 30 20 é um sistema de organização das finanças pessoais com base em porcentagens

Esse é um método de organização financeira que se enquadra entre as denominadas regras de bolso, ou seja, pode ser aplicada por todos que queiram alcançar a autonomia financeira, independente da classe social e do nível de instrução. 

Calma, não se assuste, não é porque é um sistema que cria percentuais para as despesas que é algo difícil de ser aplicado. Na verdade, essa estratégia é ótima porque pode ser utilizada por qualquer um, independente da classe social e da renda mensal.

Isso porque com a regra 50 30 20 você consegue visualizar para onde o dinheiro está indo e especificar quais gastos realmente são necessários.

A proposta é que 50% da renda familiar ou pessoal deve ser destinada para os gastos essenciais. Já 30% de todo o dinheiro que entra é voltado para as despesas variáveis, aquelas que garantem o seu estilo de vida. E os 20% restantes são reservados para as prioridades.

Como estabelecer os gastos mensais?

Para definir os seus gastos e as porcentagens específicas para cada uma das três classificações de despesas da regra 50 30 20, é necessário saber qual a sua renda líquida e quais são as suas necessidades e desejos com base em seu estilo de vida.

Mais que isso, é preciso determinar quais são os seus objetivos e metas a longo prazo, a fim de fazer uma organização financeira mensal que se adeque às suas expectativas pessoais.

A seguir, vamos especificar cada uma dessas despesas e discutir as estratégias para fazer a regra 50 30 20 funcionar. 

Estipule os gastos fixos

A regra 50 30 20 estipula que 50% da renda mensal se destine aos gastos fixos, aqueles que são considerados essenciais.

Dessa maneira, o primeiro passo em direção à saúde financeira é definir quais das despesas mensais são realmente essenciais e quais são dispensáveis.

Essa primeira etapa é a mais dolorosa, todos sabemos o quanto é difícil se desfazer de algo importante para nós, mas que não é imprescindível para a sobrevivência. 

Embora não seja fácil, o único jeito de pôr a vida financeira em ordem é delimitando os gastos

Então, entre no modo desapego, encare os seus boletos e reflita: quais dessas contas são realmente essenciais?

São para elas que você vai destinar 50% de sua renda.

Apesar de você poder escolher o que realmente é essencial em sua vida, na regra 50 30 20 são considerados gastos fixos indispensáveis:

  1. Moradia (inclui aluguel, IPTU, condomínio, financiamento);
  2. Água;
  3. Luz;
  4. Internet (já é considerado indispensável, principalmente no contexto do isolamento social por conta da pandemia que ainda se estende em 2021);
  5. Alimentação;
  6. Produtos de higiene e limpeza;
  7. Gás de cozinha;
  8. Transporte;
  9. Saúde (muitos tratamentos e remédios precisam ser pagos, mas se você quer economizar vale verificar a possibilidade de utilizar os serviços do SUS).

Assim, tudo que se configure uma despesa fixa no seu mês, mas que não esteja nessa lista, pode muito bem não ser considerado essencial e não entra para a conta dos 50% na regra 50 30 20.

Selecione as despesas variáveis

Tudo o que não for considerado essencial vai se enquadrar em despesas variáveis e, portanto, dispensáveis.

Entramos para o segundo passo da regra 50 30 20, em que você vai encaixar todo o restante das contas, aquelas não-essenciais, em 30% do seu orçamento

Para isso, não tenha dúvidas que você precisará abrir mão de alguns gastos e compras

Olhe para os seus boletos e faturas no cartão de crédito, olhe para você, para sua família e para sua rotina e decida: quais desses serviços e produtos eu realmente quero manter e posso pagar com 30% da minha renda?

São consideradas despesas variáveis:

  1. Assinaturas de TV a cabo;
  2. Assinaturas de streaming;
  3. Pacotes de jogos de entretenimento;
  4. Serviços e produtos de beleza;
  5. Associação em clubes;
  6. Mensalidade de academias;
  7. Mimos cotidianos;
  8. Almoços e jantares em restaurantes;
  9. Viagens;
  10. Compras de novos aparelhos eletrônicos.

Essas são algumas das despesas que se enquadram nos gastos com estilo de vida. É claro que alguns deles você não quer e não precisa excluir de sua vida.

Mas nessa etapa você precisa perceber o quanto dinheiro corresponde a 30% de sua renda e, então, você deve selecionar quais dessas despesas pretende manter.

Defina as suas prioridades financeiras

Agora sobram 20% da renda, que você deve reservar para investir no futuro.

Para saber com o que gastar essa quantia restante, você precisa ter os seus objetivos de vida bem definidos, só assim poderá identificar onde exatamente aplicar esse dinheiro.

Nessa etapa a regra 50 30 20 exige que você defina um investimento, a depender de suas demandas a curto e a longo prazo. Seguem alguns exemplos:

  1. Reserva de emergência;
  2. Quitação de dívidas;
  3. Abrir um negócio próprio;
  4. Educação;
  5. Manutenção da casa;
  6. Manutenção do automóvel.

Selecionadas as despesas para as quais você direcionará a sua renda líquida, é possível, finalmente, ter o controle de suas finanças.

A flexibilidade da regra 50 30 20

A organização financeira realmente precisa passar por um processo de desapego. Sem dúvida, é necessário estipular os critérios e os tetos de gastos e a regra 50 30 20 apresenta uma opção de como fazê-lo.

Ainda assim, é importante deixar claro que você pode ajustar esses limites a depender de sua realidade. É possível, por exemplo, destinar 20% aos gastos variáveis e 30% aos gastos com prioridades financeiras.

Isso pode ser mais eficaz se você tem uma dívida ativa muito alta, ou ainda se quer investir em um negócio cujos gastos ultrapassam os 20% estipulados.

Além disso, nem sempre 50% da renda precisa, necessariamente, estar reservada para gastos essenciais. Se você não paga aluguel ou condomínio, por exemplo, é possível que sua margem de gastos seja menos que 50% do seu salário. 

O interessante da regra 50 30 20 é exatamente isso: você pode definir as proporções de acordo com os recursos que tem, com base naquilo que é real em sua vida financeira, sem criar metas e expectativas fantasiosas, ou melhor, que não tenham a ver com a sua realidade de vida.

Como aplicar essa regra de organização financeira?

Além de selecionar com o que gastar é preciso saber como introduzir e como manter a regra funcionando em sua vida, mês a mês, criando uma estabilidade a longo prazo.

Assim, siga os seguintes passos:

1. Calcule os percentuais

Para saber quanto, em reais, é cada porcentagem você precisa identificar o valor da sua renda líquida.

Isto é, de seu salário total você precisa deduzir os descontos em folha, os impostos e as tarifas bancárias.

Para os empresários essa tarefa pode ser um pouco mais trabalhosa do que para os trabalhadores CLT, mas sem realizar esse cálculo é impossível visualizar qual é, de fato, o seu lucro mensal.

Assim, é importante saber qual quantia entra em sua conta livre para que você manipule como quiser. A partir do momento que você tem essa informação é possível saber o valor correspondente para cada percentual.

2. Utilize um gerenciador financeiro

Há aplicativos e plataformas que automatizam o controle de gastos. Alguns internet banks já mostram o gráfico mensal de quanto você gastou e onde.

A partir disso, estipular os limites entre gasto essencial, gasto variável e prioridades financeiras fica muito mais fácil. Afinal, você verá, em números reais, qual a capacidade de ação de seu lucro líquido

3. Não ultrapasse o primeiro teto

Apesar da regra ser flexível, ela perde sua eficiência se você gastar mais de 50% em despesas essenciais.

Você pode ajustar o primeiro limite de sua renda pessoal sempre para menos!

Isso porque, gastar mais da metade do salário com despesas essenciais significa que sobrará muito pouco para as outras duas categorias. Assim, perde-se o equilíbrio financeiro para o qual a regra 50 30 20 se aplica

4. Priorize os débitos em atraso

Não adianta guardar dinheiro na poupança e criar reservas se você tem dívidas para pagar. Antes de poupar, fique em dia com suas contas.

Afinal, saúde financeira é exatamente sobre isso: não crie planos futuros sem resolver as pendências do passado.

Conheça ainda a relação entre saúde financeira e saúde física. O artigo apresenta dicas importantes para quem quer ter equilíbrio na conta bancária sem perder o equilíbrio com o corpo.

Mantenha o seu equilíbrio

Ainda que sejam tempos de crise, mantenha o seu equilíbrio. Se pensarmos com calma não é difícil entender que em todo momento de crise uma postura equilibrada é ainda mais importante.

Isso não é diferente quando o assunto é crise financeira. Manter seus lucros e gastos balanceados é uma atitude que define todos os outros campos de sua vida cotidiana e de seu futuro.

A regra 50 30 20 é exatamente sobre isso: garantir uma vida financeira equilibrada e saudável.

Esperamos que tenham gostado de nossas dicas. Se você não encontrou toda a informação que procura aqui, com certeza outros artigos do nosso blog vão poder completar sua busca. 

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares nas redes sociais! Eles também precisam conhecer a regra 50 30 20 para um 2021 com plenitude financeira.

Fonte:Xerpa

Fiscal Ti