(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Liderança e Motivação nas Organizações

Liderança e Motivação nas Organizações

Você sabia que o equilíbrio entre estratégia, engajamento, liderança e motivação é fundamental para o crescimento de uma empresa?

Profissionais compatíveis com a cultura organizacional são mais flexíveis e abertos a novos desafios e isso os estimula a apresentarem melhores resultados e permanecerem por mais tempo na instituição.

No entanto, dentro desse percurso, o líder tem papel fundamental. Afinal, é nele que as equipes se inspiram e têm o suporte necessário para continuarem alinhadas e concluírem as metas e objetivos do negócio com êxito.

Pensando nisso, este conteúdo vai mostrar sobre como o papel da liderança é fundamental na motivação e crescimento das equipes e como essa aliança faz a diferença nas empresas. Não perca a leitura!

O conceito de motivação

Quando separamos a palavra motivação (motiv+ação), fica fácil entender o que ela significa: um motivo que nos leva à ação. Portanto, quando paramos para analisar pessoas e equipes, ou as melhores empresas, percebemos que a forma de falar, o brilho no olhar e o sentimento de pertencimento são as principais características das pessoas motivadas, pois elas sabem exatamente o que estão fazendo e o porquê de estarem fazendo.

Se antes a motivação era um assunto apenas tratado nos subsistemas de RH, atualmente os líderes de equipe precisam conhecer e dominar essa teoria para colocá-la em prática com seu time e alcançar resultados cada vez melhores, potencializando os real skills de cada indivíduo para atingir os objetivos corporativos alinhados aos valores individuais de cada um.

Descobrindo a motivação

Para saber o nível de motivação de cada profissional é fundamental realizar uma boa avaliação, que pode ser substanciada com testes de perfil comportamental, como a avaliação do perfil comportamental DISC, que dão um direcionamento das preferências do profissional.

Com novos colaboradores, essa motivação é medida através do time de recrutamento interno e externo, geralmente através de uma seleção por competências.

Também é importante realizar um acompanhamento rotineiro dos profissionais atuantes, avaliações de desempenho com profundidade, além de implementar pesquisas de clima e pesquisas de engajamento organizacional.

Dessa forma, é possível mensurar todos os aspectos do colaborador. No quesito motivação, os fatores impulsionadores tendem a ser: estimulação, ação e esforço, movimento, persistência e recompensa, a qual vai muito além da faixa salarial, incorporando o salário emocional e o reconhecimento.

Essa análise vai considerar as seguintes características:

  • motivação intrínseca: a realização pessoal gerada pela atividade exercida e quais são as expectativas, e o planejamento de carreira do colaborador;
  • motivação extrínseca: o reconhecimento do trabalho, as recompensas, os bônus etc.

A partir desses resultados, o líder poderá traçar estratégias para que sua equipe esteja sempre com o nível de motivação e engajamento em alta, facilitando o alcance de metas com eficiência.

O conceito de liderança

Para ser considerado um bom líder, o profissional deve ser capaz de conduzir um grupo de indivíduos, fazendo-os gerar os resultados esperados pela empresa.

As soft skills e hard skills fundamentais que um líder deve ter são:

  • capacidade de motivar;
  • ótimo comunicador;
  • bom influenciador;
  • alto conhecimento técnico;
  • ter visão de futuro;
  • ótimo relacionamento interpessoal;
  • conhecer bem a equipe;
  • otimista;
  • ético;
  • organizado;
  • justo;
  • imparcial;
  • ouvinte;
  • participativo;
  • analista;
  • humanizado;
  • inteligência emocional.

Essas competências são essenciais para que o exercício da liderança seja capaz de conciliar os objetivos dos colaboradores com os da empresa e, assim, desenvolver uma equipe de sucesso.

Formas de liderança

Existem vários modelos de liderança, mas o importante é que um deles se encaixe na cultura organizacional para que os resultados apareçam com maior facilidade e a equipe caminhe junto no processo.

Liderança autocrática 

É aquela exercida por um líder autoritário e centralizador, que impõe regras e ordens sem exercitar o diálogo.

O resultado dessa liderança é a falta de autonomia dos liderados e uma equipe “cumpridora de regras”.

Liderança democrática

É um líder que sugere, compreende as ideias e as decisões da equipe, agindo como orientador e facilitador, estimulando a equipe a assumir suas responsabilidades.

Esse modelo é muito eficiente, pois permite a valorização dos profissionais sem perder o foco no alcance das metas.

Além disso, ele reforça o desempenho esperado, estimulando o engajamento e motivando os profissionais.

Liderança liberal

É um líder que participa pouco, oferecendo muita autonomia ao time.

A equipe se torna protagonista, assumindo grandes responsabilidades.

Um desafio é que esse tipo de liderança pode perder o seu papel e a equipe costuma agir e decidir sem ouvir a sua opinião.

Líder coach

É um líder que aplica as técnicas e ferramentas de coaching para desenvolver a equipe, focando no autoconhecimento. Com isso, o time entende suas potencialidades e aprendem a aprimorar seus pontos de desenvolvimento.

Liderança situacional

É um líder que tem como principal característica a flexibilidade. Afinal, ele é contratado por organizações que estão em constante transformação. Eles devem ter habilidades para lidar com diversas situações, sempre propondo ações e estratégias conforme os acontecimentos.

Liderança servidora

Com a empatia como sua principal habilidade, o líder servidor atua em prol de sua equipe, sanando suas necessidades e desenvolvendo estratégias para proporcionar o melhor para seus liderados.

Dicas para aliar liderança e motivação e obter os resultados esperados

Agora que você aprendeu um pouco mais sobre motivação e conheceu algumas das competências essenciais de um bom líder e as diversas formas de liderança, é importante aliar esses fatores a uma boa estratégia e à cultura organizacional.

Portanto, conhecer alguns métodos capazes de transformar sua liderança e motivar sua equipe será fundamental para obter os resultados esperados.

  1. Conheça cada membro do seu time

Dar atenção individualizada faz com que aquele colaborador não se sinta somente mais um, pois cada pessoa tem metas profissionais diferentes, assim como preferências (uns preferem reconhecimento, outros preferem bonificações).

Ter esse olhar é fundamental para gerar confiança na equipe e saber o que há de melhor e a desenvolver em cada membro.

Não pense que separar um tempo para dar e receber feedback vai interferir negativamente nos resultados daquele dia. Pelo contrário: cada minuto de troca de ideias pode fazer uma diferença positiva e significativa.

Portanto, observe o dia a dia de cada membro do seu time, analisando seus pontos fortes e o que precisa ser melhorado. Assim, você será capaz de traçar mecanismos para gerir equipes com a performance em constante evolução.

  • Construa um bom relacionamento com a equipe

Um bom relacionamento é capaz de manter a equipe engajada e motivada, portanto, o líder deve ser capaz de estimular a harmonia entre o time e incentivar a troca de experiências e opiniões, fomentando a diversidade e inclusão.

Esse é um movimento constante e não pode ser deixado de lado pelo líder. Afinal, essa sintonia é fundamental na geração de resultados e sucesso da empresa.

Nem todos têm essa característica, mas um bom líder deve sempre aprimorá-la, pois a comunicação é fator fundamental no desenvolvimento de equipes.

Os profissionais se sentem valorizados quando sabem que podem se expressar e isso os estimula a fazê-lo com mais frequência, e até com mais qualidade, evitando, assim, problemas entre os membros na execução das tarefas e na motivação interna.

Essa é parte fundamental de uma boa liderança. Delegar funções é mostrar ao profissional que ele é capaz de executar determinada tarefa e que você acredita nisso.

Portanto, se você é líder e executa todas as dicas anteriores, saiba que essa vai transformar o seu time, fazendo com que os integrantes se sintam mais seguros, motivados e focados, sendo protagonistas da própria carreira.

Além disso, o líder aumenta as opções no caso de um desfalque repentino no time, que será menos impactado no cumprimento das metas.

Tenha um plano de desenvolvimento individual para os membros da equipe e coloque-o em prática. Estimule o lifelong learning com cursos que agregarão tanto em suas habilidades técnicas quanto comportamentais, fortalecendo o upskilling e reskilling dos membros do time.

Essa é uma ótima estratégia de gestão e motivação, pois todos saem ganhando.

Um time não vive só de alcançar objetivos. Inclusive, essa busca incessante por atingimento de metas pode fazer com que um profissional, workaholic ou não, venha a desenvolver síndrome de burnout, crise de ansiedade e até mesmo depressão. É fundamental celebrar cada conquista individual e da equipe, assim como respeitar os momentos de descanso e recarga de energias.

Não precisa ser nada extraordinário, mas uma pausa para o café da tarde juntos é um bom começo. Isso estimula a parceria, a sensação de bem-estar, revigora a motivação e clareia as ideias. Pausas são sempre bem-vindas e, se forem por bons motivos, melhor ainda!

Agora que você sabe como liderança e motivação devem estar em sintonia para o sucesso das organizações, não deixe de participar do Webinar de Liderança e Motivação da ABRH.

Para traçar sua carreira de líder com mais eficiência, leia o artigo da Sim Carreira sobre “Meta SMART” e conte as melhores empresas de outplacement para alavancar a sua carreira em rumo ao sucesso.

ABRH-Brasil

Fiscal Ti