(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Saiba o que é a governança corporativa e quais seus principais processos!

Saiba o que é a governança corporativa e quais seus principais processos!

Nos últimos anos, o assunto de governança corporativa tem ganhado bastante destaque no país, devido ao crescimento de empresas, investimentos e uma maior preocupação com formas de se evitar a corrupção. Diante desse cenário, o mercado percebeu a importância e a necessidade de se ter práticas de governança, ou seja, uma boa administração da empresa de forma que a companhia seja totalmente transparente para todos seus interessados.

Quando uma empresa tem uma boa governança, isso significa que todos os seus processos  e sua estrutura são organizados com responsabilidade, zelo e transparência. Além disso, quando se tem uma governança corporativa, as regras valem para todos sem exceção.

Essa prática é uma porta aberta a investidores, e até mesmo a bons talentos e clientes, pois, uma boa governança faz com que a empresa seja bem vista no mercado.

Nesse texto, vamos falar sobre governança corporativa em todos os seus aspectos, para que você possa entender o conceito e iniciar essa prática em sua empresa. Veja o que falaremos aqui:

Boa leitura!

Conceito de governança

A palavra governança tem como significado o ato de governar, de ter poder sobre algo.

O seu conceito pode ser exemplificado como uma forma de governar, com maneiras e processos visando a integridade da corporação.

O que é governança corporativa?

A governança corporativa é o sistema que dirige e controla uma companhia, é uma estrutura com práticas, regras e processos que regem a empresa para que ela alcance os seus objetivos e seus negócios sejam bem sucedidos.

O pilar da governança corporativa é o equilíbrio dos interesses de todas as partes, preservando o valor da empresa e sua longevidade.

Esse comportamento, resulta em uma maior transparência, garantindo a imagem de uma empresa estável, de pouco risco e de grande transparência.

Engana-se quem pensa que a governança corporativa serve apenas para grandes companhias.

Muito pelo contrário, esse modelo de governança não tem haver com número de faturamento ou colaboradores, esse conceito pode ser usado por diversas empresas, pois os seus princípios servem para todas.

Como surgiu essa preocupação nas empresas?

A governança corporativa não é algo novo, apesar de ter se destacado ainda mais nos últimos anos.

Seus primeiros passos foram dados com a descentralização da propriedade. Nesse cenário, começam a aparecer papéis diferentes dentro de uma mesma empresa e, com a entrada de mais pessoas em uma organização, começam a surgir alguns conflitos de interesses.

Um pouco mais adiante, na década de 70,  é criada uma teoria chamada de “Teoria do Agente”, desenvolvida pelos economistas Michael C. Jensen e William H. Meckling, que focaram seus estudos em empresas britânicas e norte-americanas, analisando a relação entre propriedade e controle, e conflitos das partes interessadas.

Nessa teoria, são estabelecidos papéis de um agente principal, que é o centro das relações de todos os interessados e um agente contratado, aquele que executa e toma decisões, porém, até mesmo nessa divisão conflitos aparecem, pois um agente tende a levar o negócio mais para os seus interesses.

Com isso, os autores sugerem que as companhias implementem medidas que alinhem os interesses de todas as partes, como monitoramento, controle e troca de informações. O objetivo é alinhar interesses focando no sucesso da empresa, e então surge a governança corporativa.

Mais tarde, na década de 90, os primeiros códigos de boas práticas de governança corporativa são criados e mais companhias passam a adotá-los.

A governança corporativa no Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, começa a surgir junto com o novo mercado, e na mesma época em que os primeiros códigos de GC passam a ser elaborados.

No Brasil, esse movimento se dá principalmente pela onda de privatizações e abertura de mercado, e em 1999 o IBGC lança o seu seu primeiro Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa.

Ao longo do tempo, as empresas brasileiras perceberam que as boas práticas de governança atraem mais investidores, e as chances de uma empresa sobreviver por mais tempo aumenta quando se tem esse processo.

O que envolve uma governança?

Uma governança corporativa envolve a criação de estratégias, análises, fiscalização, adequação, planejamento e diversos outros fatores que promovam um equilíbrio entre a geração de valor da corporação e os interesses de suas partes.

Qual o objetivo da governança corporativa?

Para explicar o objetivo de uma governança corporativa, vamos usar como exemplo um governo.

Quando um governo se elege, ele faz uma série de promessas e objetivos a cumprir. Porém, para alcançar esses objetivos é necessário uma boa gestão.

Então, quando esse governo adota boas práticas, se mantém transparente com a sua população, evita problemas de corrupção e faz uma boa gestão, a tendência é que os objetivos sejam alcançados.

Que esse país cresça de forma saudável, que a população tenha seus direitos básicos garantidos, e o país se torne próspero.

Trazendo para o mundo corporativo o objetivo é o mesmo, governar uma empresa com pilares e princípios, para garantir um crescimento saudável, longevidade, um bom valor econômico e atender a todos os interesses dos seus stakeholders.

Governança corporativa é a mesma coisa que compliance?

Não, governança corporativa e compliance são coisas diferentes, porém, elas se relacionam e ambas garantem à empresa uma maior chance de sucesso.

Para entender a diferença, vamos ver o que é o compliance.

O compliance significa estar em conformidade com leis e regulamentos internos e externos, garantindo que todos estejam em sintonia com essas normas. Então, é bastante comum que exista sempre uma revisão de processos focado em verificar se tudo está dentro das regras ou, até mesmo, para prever possíveis problemas.

No compliance, se desenvolve a cultura da ética, o  foco em respeitar as regras, a prevenção de riscos e também a transparência.

Já a governança corporativa é a área responsável pela relação entre todos os interessados pela empresa, internamente e externamente, seu foco não é apenas seguir o que está nas leis e normas, é criar todo um ambiente para atingir uma boa reputação, garantindo a integridade e a longevidade do negócio.

Quais os princípios da governança corporativa?

De acordo com o IBGC, a governança corporativa se baseia em quatro princípios chaves: a transparência, a equidade, a prestação de contas e a responsabilidade corporativa. Veja o que cada um significa:

Transparência

A transparência diz respeito a um relacionamento transparente entre todos os envolvidos naquele negócio, ou seja, seus stakeholders, gestão, sócios, colaboradores, fornecedores, etc.

Quando se promove a transparência as decisões são claras e os objetivos também, o que acaba trazendo mais segurança e solidez para a empresa.

Equidade

O princípio da equidade, garante que todos tenham um tratamento justo naquela organização, olhando para todos com suas particularidades, necessidades e expectativas.

Prestação de contas

Esse é o maior dever de quem está à frente da empresa, na prestação de contas existe alguém que se responsabiliza por tudo, deixando claro suas decisões tomadas, omissões e suas responsabilidades.

Responsabilidade corporativa

Esse pilar é aquele que zela pela sustentabilidade e longevidade da empresa, de acordo com seus propósitos e objetivos.

Qual a estrutura de uma governança corporativa?

A estrutura de uma governança pode se modificar de país em país, pois a cultura de determinado local pode interferir bastante nessa estrutura.

Então, a primeira coisa a se ressaltar é que não existe apenas uma estrutura a ser seguida por todas as empresas do mundo.

E a segunda, é que a estrutura também pode ser modificada de acordo com a  cultura organizacional da empresa, sendo a mais básica a estrutura de cima para baixo, como a seguinte:

  • Assembleia Geral: Aqui concentram-se todos os sócios;
  • Conselho de Administração: Parte responsável pela visão estratégica;
  • Conselho Consultivo: Presta apoio e suporte às decisões e estratégias;
  • Conselho Fiscal: Parte responsável por cuidar, fiscalizar e checar;
  • Comitês: Criam relatórios que auxiliam na tomada de decisões;
  • Ceo/ Presidente/ Diretorias: Parte que executa as estratégias definidas e segue o planejamento;

Quais os principais envolvidos no processo de governança?

Os principais envolvidos no processo de governança são os conselhos de administração e consultivos, a diretoria, os sócios e os stakeholders, ou seja, pessoas que possuem algum interesse naquela corporação, podem ser acionistas, investidores, fornecedores ou clientes.

Benefícios de aplicar a governança corporativa

A governança corporativa transforma a empresa, e a deixa mais eficiente e perene, desenvolvendo habilidades, organizando a gestão, trazendo uma tomada de decisão mais robusta e agregando valor àquela companhia.

O acesso ao crédito também melhora, a boas práticas de governança corporativa abre portas para empréstimos bancários, pois ela passa a ter maior credibilidade e segurança.

Além disso, um dos principais benefícios da GC, é atrair investidores, por ter maior solidez, é bem mais provável que alguém queira investir naquela empresa. Pois, com uma estrutura de governança, os riscos do investimento ser ruim são bem baixos.

Quais ferramentas podem auxiliar a uma melhor governança coporativa?

Para iniciar práticas de governança corporativa em uma companhia, o primeiro passo é conhecer o código desenvolvido pela IBGC, entender o assunto é primordial para implantar esse modelo de gestão.

Depois, começam as partes mais práticas, como organizar a casa, rever suas estruturas, seus organogramas, responsabilidades e processos.

Durante esse processo, é essencial também que a empresa contrate um conselho consultivo, alguém que tenha uma visão de fora e alinhe todas as expectativas das partes interessadas, direcionando e orientando a companhia rumo ao seu objetivo.

Conclusão

A governança corporativa é um assunto bastante complexo, mas essencial para empresas que desejam crescer de forma sustentável, garantindo sua integridade ao longo dos anos.

Nesse conteúdo entendemos os conceitos básicos de governança corporativa, como ela surgiu, o que a envolve e quais são seus pilares. Aqui vimos que um dos maiores desafios das corporações é alinhar os interesses de todos os stakeholders, mas com uma boa governança isso se torna um objetivo alcançável.

Se gostou desse texto, compartilhe em seu Linkedin para que mais pessoas conheçam esse conceito.

E não esqueça de conhecer a PontoTel, um sistema completo focado em soluções para gestão de jornada, ideal para manter a transparência entre empresas e colaboradores, agende agora mesmo uma demonstração!

Aline Fernandes, é jornalista, especialista em marketing digital e redatora do blog da PontoTel sobre Recursos Humanos e Administração de Empresas.

Compartilhe em suas redes!

Fiscal Ti