(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Entenda o que é a ginástica laboral e seus tipos.

Entenda o que é a ginástica laboral e seus tipos.

Com a preocupação em ter maior produtividade e fazer o colaborador se sentir mais confortável durante sua jornada de trabalho, a ginástica laboral ajuda o funcionário a desestressar e assim produzir com melhor qualidade.

Os afastamentos por motivos de doença ocorrem com frequência em diversas empresas, o que acaba prejudicando a produtividade da organização.

Vários casos desses acontecem por falta de atividade no ambiente de trabalho, o quepoderia ser corrigido com apenas alguns exercícios físicos.

Por isso, as leis começaram a abranger as ginásticas laborais e definir pequenos períodos dentro da jornada do colaborador para que ele possa fazer atividades físicas e, assim, ter mais de uma pausa durante suas horas trabalhadas. Vamos aos tópicos do texto:

Boa leitura!!

Qual o significado da palavra laboral?

A palavra laboral vem do latim e está relacionada ao trabalho. Assim, podemos entender que qualquer termo que leve a palavra laboral está direcionado a eventos trabalhistas, inclusive a palavra atividade laboral, que é o tema central deste texto.

O que é ginástica laboral?

A ginástica laboral, se refere às atividades de trabalho, ou seja, pode-se ser qualquer atividade física que ajude a manter o corpo em movimento durante o expediente de trabalho, para assim impedir futuros problemas.

Dessa forma, o objetivo da ginástica laboral é realizar atividade física mesmo no horário de trabalho. Afinal, manter-se oito horas por dia, normalmente sentado, durante seu trabalho é cansativo para o corpo e pode gerar um desgaste excessivo ao longo do tempo.

Além disso, com os exercícios físicos o cérebro poderá descansar, dessa forma, o funcionário pode prevenir dores de cabeça ou sensação de desgaste.

Um bom exemplo sobre a ginástica laboral, comumente pesquisada no Youtube: a atividade física serve para alongar o corpo e poder relaxar os músculos tensionados ou cansados devido ao número excessivo de horas que o profissional está sentado.

Com isso, as atividades profissionais serão menos intensas e o benefício para o corpo será recompensado a longo prazo. Por conta da pouca ativação física durante o expediente, acontece o afastamento de funcionários nas empresas por diversos problemas, como: dores nas costas, cortes, lacerações e entre outros.

Quais os tipos de ginásticas laborais?

Existem diversos tipos de ginástica laboral que podem ser aplicados no trabalho. Serve para diversos estilos de trabalho, desde os braçais até os de escritórios. Vamos aos estilos:

  • Ginástica corretiva: O nome propriamente escrito tem o objetivo de corrigir futuros problemas que o empregado poderá ter. Como um trabalhador braçal, ele poderá ter futuros problemas nos braços e costas, a ginástica corretiva irá prevenir futuras lesões.
  • Ginástica compensatória: Essa ginástica serve para quebrar a monotonia do trabalho, como alguns empregos fazem o trabalhador pouco se mover, como de escritório. Assim, o objetivo é fazer o colaborador se mexer e corrigir postura para não ter problemas futuros.
  • Ginástica preparatória: O objetivo desse alongamento é fazer antes da atividade laboral, com o propósito de alongar os músculos que serão utilizados durante a jornada de trabalho. Além disso, esse alongamento ajuda na circulação de sangue e a concentração.
  • Ginástica preventiva: Essa é a que trata de forma diferente em relação com as outras, com o objetivo de melhorar a saúde do colaborador e prevenir futuras lesões, esse alongamento serve para perder peso e ajudar na melhor circulação do sangue, fazendo o funcionário ter melhor saúde, evitando que ele se ausente por diversos problemas, além de aumentar sua autoestima.
  • Ginástica de relaxamento: Por último, a ginástica de relaxamento é usada depois do expediente, tem o objetivo de oxigenar o ar no corpo dos trabalhadores e assim, ter mais descanso e a sensação de relaxamento que é proposto na atividade.

O que pode gerar afastamento do trabalho?

Vários motivos podem afastar o trabalhador das suas atividades. Elas estão ligadas à segurança no trabalho, à qualidade de vida no trabalho e até mesmo à ergonomia.

Pensando nisso, as empresas podem adotar algumas ações para diminuir a quantidade de afastamentos, como treinamentos e orientações nas atividades que precisam ser realizadas, alongamentos e atividades físicas durante o expediente. Tudo isso pode ajudar com que menos profissionais se afastem do emprego devido a problemas desenvolvidos no exercício de sua profissão.

Os dias perdidos por afastamento do emprego por motivo de atividade laboral geraram um prejuízo de R$82 bilhões de reais para a economia brasileira, mostrando como isso é recorrente e afeta o país.

Mas veja a seguir, as principais causas de afastamento no trabalho.

Doenças profissionais

A doença profissional está relacionada a problemas que os trabalhadores podem ter ao exercer sua função. Um exemplo pode ser um soldador, devido ao seu trabalho poderá ter uma catarata, dessa forma se caracterizando como uma doença profissional.

Vale ressaltar que doença profissional e doença do trabalho são dois termos diferentes. A doença do trabalho é caracterizada como uma atividade que pode ter relação com a função que trabalha.

Podemos colocar um exemplo, que seria um trabalhador que está empregado em um local que tem muito barulho, podendo ter futuros problemas auditivos e isso é considerado doença do trabalho.

Vejamos alguns exemplos de doenças profissionais:

  • Asma ocupacional;
  • Cegueira ou perda de visão;
  • Cânceres por conta de exposição a produtos químicos;
  • Dermatose ocupacional;
  • Depressão;
  • Doenças causadas por vírus ou bactérias, por conta da exposição a locais insalubres;
  • DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho);
  • Estresse ocupacional;
  • LER (Lesão por Esforço Repetitivo);
  • Pneumoconiose;
  • Problemas de visão;
  • Saturnismo (exposição ao chumbo);
  • Síndrome de Burnout;
  • Síndrome do pânico;
  • Surdez ou perda auditiva etc.

Acidente no trabalho

Os acidentes no trabalho também são bem recorrentes no dia-a-dia. Como passado no texto, muitos trabalhadores se afastaram no Brasil por diversos problemas, e os acidentes são os mais comuns.

Os que mais ocorrem são os cortes e arranhões. Os locais com maior número de profissionais afastados  são os: hospitais, varejos, administração pública e construção civil.

Assim, o cuidado na jornada de trabalho, o treinamento e uso de EPIs são essenciais para o trabalho continuar e para que a empresa não pare sua produção.

Qual a relação dessas doenças com a ginástica laboral?

Alguns dos motivos pelo qual o funcionário  se afasta tem relação  com a função exercida, como a doença profissional e a doença do trabalho, mas se a empresa oferece pausas regulares esses desconfortos podem ser evitados.

Por isso, os exercícios físicos são importantes para a saúde mental e física. Procurar fazer algumas atividades durante a jornada de trabalho pode melhorar a produtividade e ajudar a manter seu corpo em melhor estado para não se afastar da empresa.

Vamos a dicas de atividades para fazer durante seu expediente de trabalho:

  • Faça pequenas atividades, como levantar mais vezes para ir encher sua garrafa de água e ir mais vezes ao banheiro.
  • Faça alongamentos laborais durante o expediente

Quantas horas, no máximo, podem ser destinadas para a ginástica laboral?

Não há uma quantidade de horas exatas destinadas à atividade laboral.

O que se pode fazer é pelo estilo do trabalho: caso o trabalho seja em escritório, é importante que o RH promova ações para que os colaboradores tenham  um momento para ficar de pé e alongar suas costas; já se o trabalho é na área do comércio, podem ser promovidos momentos para que os funcionários possam se sentar e descansar os pés.

As ginásticas laborais podem ser definidas com o superior, assim em determinados períodos da jornada de trabalho, pode-se promover o descanso dos colaboradores,  para que não haja futuras lesões ou desgaste excessivo.

O que a legislação diz sobre as atividades laborais?

Algumas leis já foram definidas a respeito da ginástica laboral, a Lei N.º 6.213, de 2005 coloca em art. 8º sobre a ginástica laboral:

Art 8º. As empresas que não possuírem Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA deverão constituir comissão formada por funcionários e pela direção da empresa, com o objetivo de zelar pelo controle de qualidade, da realização e da frequência das sessões destinadas à prática da ginástica laboral, adequadas ao tipo de atividade laboral exercida pelo corpo funcional.

Parágrafo único. As atribuições devidas à comissão citada no caput estarão a cargo da CIPA, quando essa estiver formalmente constituída no âmbito da empresa.

Já a Lei n° 3273, de 2019 coloca que a ginástica laboral poderá ser utilizada nos serviços públicos:

Institui atividade de ginástica laboral diária para servidores, efetivos ou comissionados, empregados, empregados terceirizados e estagiários no âmbito dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Pausas

Não existe nenhuma lei nacional que especifique a ginástica laboral, apenas algumas cidades como Contagem, com a Lei 4578, de 2012 e no Rio de Janeiro com a Lei 1393, de 2019.

Então, as pausas podem ser definidas pela empresa de acordo com RH e profissionais de educação física para o momento da ginástica laboral.

Como o RH pode promover a ginástica laboral no home office?

O home office trouxe diversas dificuldades às empresas na forma de entrar em contato e passar trabalhos a seus colaboradores e com a ginástica laboral não foi diferente. Como passado ao longo do texto, a ginástica laboral ajuda o trabalhador a manter sua saúde e não se afastar da empresa.

Por isso, a empresa precisa manter a rotina e passar a ginástica laboral a seu empregado e se preocupar com a saúde de cada colaborador. Nesse contexto, o RH tem grande importância e precisou se modernizar para atingir a classe trabalhadora que esteve em casa e ainda poderá ficar em sua residência.

O RH pode ajudar seu colaborador a manter a ginástica laboral por meio de vídeo aulas, passando as atividades todos poderão realizar nas suas residências.

Além disso, a empresa pode ajudar disponibilizando seus materiais, como uma cadeira na altura correta para o empregado e vídeo aulas gratuitas para todos poderem acessar e realizar as atividades no início ou fim do expediente.

Então, para o RH poder manter o seu empregado em forma, assim como fazia presencialmente, o setor pode chamar professores para realizar aulas em horários específicos para poder ter a produtividade como era no presencial e saber que a empresa cuida de seu colaborador.

Por isso, ter alguns professores reservados para dar aulas no início, fim ou durante alguns horários já propostos pela empresa pode engajar seu colaborador a se sentir mais motivado e com melhor saúde para as atividades e dessa forma, se sentir mais descansado para continuar o período que a escala é proposta a todos.

Conclusão

Chegamos ao final desse artigo e  podemos concluir que a ginástica laboral está relacionada a  atividades como alongamentos, caminhadas entre outras atividades físicas feitas dentro do trabalho.

Principalmente com o retorno ao ambiente profissional e a pandemia ainda não estando controlada, a segurança poderá ser um importante tópico a estudar na atividade laboral.

Com o mundo passando por uma nova atividade sem qualquer aviso e algumas doenças mentais aumentando, como a ansiedade, a ginástica laboral pode ser de grande ajuda do RH e da empresa, para que a saúde dos profissionais não seja comprometida durante o retorno ao trabalho.

As Leis estão começando a abranger a ginástica laboral para poder dar intervalos durante as horas de trabalho para que o colaborador se sinta mais confortável e menos pressionado durante sua jornada de trabalho.

Isso é um avanço para que o empregado tenha seu descanso e possa ter uma produção melhor, para que possa ter um intervalo e não depender somente do horário de almoço para poder relaxar.

Se gostou do tema e ele te ajudou a entender como funcionam as atividades laborais, continue acompanhando o  blog da PontoTel, e compartilhe este conteúdo com seus colegas!

Compartilhe em suas redes!

Fiscal Ti