(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Custo-benefício. O que é essa métrica, e como fazer uma análise?

Custo-benefício. O que é essa métrica, e como fazer uma análise?

Toda decisão, seja profissional ou pessoal, precisa ser tomada avaliando o seu custo-benefício, mas, engana-se quem pensa que esse fator só se relaciona com questões monetárias, ou projeções financeiras.

O custo-benefício está ligado à gestão estratégica de projetos e todas as suas economias e benefícios, e isso tem relação com a economia de recursos, a divulgação positiva de ações, a produtividade de colaboradores, ou o uso de um material mais barato, mas de qualidade.

Tudo que represente vantagem, tem um custo-benefício, e para explicar um pouco mais sobre o conceito e a sua utilização nas empresas, reunimos neste conteúdo:

Aproveite a leitura!

O que é custo-benefício?

Se você não entende exatamente o que é custo-benefício, a resposta mais adequada para essa pergunta é: custo-benefício é a melhor escolha econômica realizada por uma pessoa ou empresas.

Explicando ainda melhor, basta relacionar o significado de custo-benefício como a decisão mais vantajosa, considerando o cenário, o valor, as vantagens do produto ou serviço escolhido, e tudo mais que demonstre que a escolha representa o melhor custo-benefício, ou, em outras palavras, vale a pena.

Qual a relação entre custo e benefício?

A relação custo e benefício está na rentabilidade de um projeto, compra ou serviço, e pode estar ligada a redução de custos, ou a garantia de qualidade e funcionamento.

Para entender melhor, podemos pensar em diferentes situações onde o custo-benefício é colocado a prova, e serve como fator de decisão, como quando:

  • um item de qualidade é mais caro, mas sabemos que dará um sabor diferente no preparo de uma refeição;
  • um produto de marca desconhecida é mais barato, e resulta na mesma qualidade de um produto de marca conhecida;
  • dentre outras situações.

O melhor custo-benefício pode estar atrelado a compras, planejamento de viagens, encontros, rentabilidade de investimentos ou então a situações de mensuração de resultados mais vantajosos em uma empresa. E, quando o risco envolvido na ação não valer a pena, o benefício não valerá o custo envolvido.

Como fazer uma análise de custo-benefício?

Quando relacionamos custo x benefício a questões monetárias, não existe um cálculo específico para ajudar a analisar essa relação, porém, é possível mensurar os resultados com base em notas para o produto ou serviço que será analisado.

Quantificar o benefício de algo que consumimos, com uma escala de notas, de 1 a 10, ou 1 a 5, é uma maneira eficiente de realizar a análise de custo-benefício, dessa forma, basta relacionar as características do produto ou serviço usando outros produtos como referência.

O passo seguinte é atribuir a nota ao item. Se a escala for de 1 a 5, devemos considerar que:

  •  A nota 1 não atende expectativas;
  • A nota  2 atende em algum ponto, mas não tanto;
  • A nota 3 atende parcialmente, mas falta algo;
  • A nota 4 resolve os problemas e atinge as necessidades;
  • E, a nota 5 supera as expectativas.

Índice de Rentabilidade

É possível analisar o custo-benefício somente pela estratégia de escala, acima mencionada, ou, utilizar a fórmula de relação de custo-benefício (RCB), para ter resultados mais específicos de interpretação.

Para isso, alguns negócios utilizam a seguinte fórmula:

(CFe / (1 + i) ^n / (CFi / (1 + i) ^n)

Sendo que:

  • CFe = cash flows de exploração;
  • CFi + cash flows de investimento;
  • i = taxa de atualização;
  • n + taxa de vida útil (anos)

Apesar deste indicador ser muito utilizado, ele não considera a escala e a duração de nenhum projeto, por isso deve ser usado com cuidado, e sempre que o IR > 1, o projeto deve ser considerado positivo, e com bom custo-benefício.

Custo de investimento

O custo-benefício em investimentos é o rendimento que qualquer aplicação de capital recebe. Para simplificar o entendimento, basta pensar no valor a mais que seu dinheiro rende quando você aplica em uma poupança, ou conta digital com rendimento.

Esse é o custo-benefício do investimento de baixo risco, comparado ao dinheiro que você carrega na carteira, que mesmo que fique lá por anos, nunca será valorizado.

Claro que no que se diz respeito a investimentos, é importante considerar os riscos dessa aplicação, já que existem ações e aplicações de baixo, médio e grande risco, que podem gerar grandes ganhos e custo-benefício, ou também prejuízo, dependendo do andamento das taxas de investimento.

Custo x gasto

Um ponto importante a ser considerado, é a diferenciação de custos e gastos. Os gastos são dispêndios financeiros utilizados para a compra ou aquisição de algo por uma necessidade. Não se espera retorno de um gasto.

Já um custo, é geralmente feito esperando algum tipo de retorno, e, podemos até considerar o custo um gasto, só que ele é feito com alguma esperança de determinado resultado.

Veja um exemplo: quando uma empresa contrata um serviço de controle de ponto para avaliar a jornada dos seus colaboradores, ela espera ter como retorno uma análise mais precisa da rotina dos seus profissionais, por isso, a contratação do serviço de controle de ponto pode ser considerada uma custo-benefício.

Retorno envolvido

O retorno envolvido no custo-benefício não deve estar ligado somente a questões financeiras, principalmente para empresas que adquirem um serviço, pois, como vimos, nem sempre o custo-benefício está ligado a questões aquisitivas.

O retorno pode ser visto em qualidade de serviço, lucratividade, mais oportunidades, crescimento da marca, projeção de projetos, dentre outras questões.

Exemplos de custo

Sempre que uma empresa pensa em adquirir uma tecnologia, ou implementar um projeto, ou mudança em sua estrutura, ela deve avaliar os custos e benefícios disso. Supondo que isso aconteça, alguns benefícios devem ser considerados em custos, como:

  • quanto o processo diminuirá a produtividade;
  • quais serão os custos operacionais;
  • quantas horas serão gastas na implementação, treinamento e execução;
  • quais ferramentas precisarão ser contratadas;
  • quais os efeitos disso no cotidiano dos colaboradores;
  • dentre outros fatores, que quando respondidos simbolizam os custos.

Exemplos de benefício

No que diz respeito aos benefícios, o empreendimento deve considerar:

  • qual será a receita gerada;
  • se haverá aumento de produtividade com o tempo;
  • quais serviços serão melhorados;
  • os efeitos positivos na gestão e na vida dos funcionários;
  • quanto a fidelização dos consumidores será impactada;
  • dentre outros benefícios que serão notados, refletindo o custo-benefício da estratégia adotada.

Por que o PontoTel tem um bom custo-benefício?

O PontoTel é uma plataforma completa de gestão e controle de ponto, que apresenta inúmeras vantagens de custo-benefício para as empresas que utilizam o serviço.

A ferramenta permite que os empreendimentos realizem o registro de ponto de seus colaboradores por meio de celulares, tablets, telefone, OCR, código de barras, QR Code, WhatsApp beta ou importação de REP de maneira fácil e segura, cumprindo todos os requisitos legais da CLT e das portarias 373/3 e 1.510/09 do MT.

Além disso, com o PontoTel as empresas podem realizar uma gestão inteligente no controle de frequência, graças ao acesso em tempo real de diversos relatórios e indicadores para gestão de RH.

Ferramenta robusta focada em operações complexas

Com o PontoTel, diversas regras de cálculo de convenções coletivas se tornam mais fáceis de serem feitos, e os negócios podem usufruir de várias ferramentas que a plataforma oferece, como:

  • um suporte de atendimento incrível, com SLA de respostas em chamadas via e-mail de uma hora;
  • implantação do sistema planejada;
  • integração de webservices, banco de dados intermediários, leitura e exportação de arquivos, de maneira flexível;
  • e customização do controle de ponto, conforme as necessidades do negócio.

Sistema completo com registro, tratamento e gestão

O sistema do PontoTel é completamente automatizado e inteligente, e permite que o empreendimento embarque na transformação digital do RH, possibilitando:

  • uma análise completa da folha de pagamento, reduzindo ela em até 30%;
  • a redução no uso de papéis, diminuindo custos operacionais;
  • a economia de tempo, já que o sistema otimiza o processo de controle de ponto em até 80%;
  • a utilização de uma tecnologia de ponta, que garante a transparência dos processos.

Eficácia comprovada

Diversas empresas já utilizam o controle de ponto do PontoTel, e comprovam o custo-benefício da ferramenta, Veja alguns casos:

  • Bruno Galvão, diretor da Samhi, percebeu uma otimização de 90% dos processos operacionais da empresa, e uma redução de custos com benefícios de até 4%;
  • Ismael Carneiro de Sousa, diretor de operações do Grupo Intersept, notou uma redução de 83% em custos operacionais, menos 45% de processos trabalhistas, e 2,15% da folha de pagamentos.

E esses são somente alguns casos da eficácia comprovada do PontoTel.

Conheça também o case de sucesso do grupo Família Pires, que otimizou seus processos e reduziu diversos custos utilizando o PontoTel.

Conclusão

Como notamos, o custo-benefício está diretamente relacionado a questões ligadas à economia geral de recursos e as ações positivas que isso pode causar, e esses resultados podem ter ligação com investimentos, e também com motivos comportamentais, resultando não só em lucro, mas também em produtividade e engajamento.

Avaliar o custo-benefício de um produto, serviço, ou ação, pode gerar inúmeros insights para os negócios, os ajudando a entender quais medidas mais motivam benefícios para o empreendimento.

Além disso, mensurar o custo-benefício de maneira estratégica, auxilia que os negócios tomem as melhores decisões em suas ações, garantindo que o empreendimento sempre invista nos riscos que mais se mostrarem benéficos para o crescimento da empresa.

Gostou das dicas desse conteúdo? Para continuar se informando sobre assuntos relacionados, não esqueça de assinar a newsletter no nosso blog!

Compartilhe em suas redes!

Fiscal Ti