(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Entrevista semiestruturada – Como funciona esse tipo e quais as vantagens?

Entrevista semiestruturada – Como funciona esse tipo e quais as vantagens?

A entrevista semiestruturada é um método mais espontâneo para contratações, no qual o entrevistador faz apenas algumas perguntas predeterminadas em roteiro. O restante do processo é parecido com uma conversa, por vezes até informal, sem ser planejada com antecedência.

Ou seja, nesse modelo o entrevistador tem um grupo de questões preestabelecidas, porém, mantém a autonomia para adicionar outras, caso o interesse surja no percorrer da conversa.

Uma contratação exige atenção de todas as áreas da empresa, independente de seu tamanho. Por isso, o processo de recrutamento e seleção precisa contar com as melhores ferramentas para garantir que os profissionais com o perfil mais adequado às competências e atributos desejados pela empresa, sejam contratados.

Qual o método de entrevista que a sua empresa costuma utilizar? Você já conhecia a entrevista semiestruturada? Leia este artigo até o final e veja todas as características, vantagens, melhor momento para utilizar e os tipos de pergunta feitas neste tipo de entrevista.

O que é uma entrevista semiestruturada?

Apesar de ter um certo nível de rigidez, a entrevista semiestruturada é bem pautada na espontaneidade, ou seja, o recrutador possui um script, e com base neste roteiro, por assim dizer, é totalmente livre para conduzir a entrevista e fazer as perguntas da maneira que desejar e a medida que tiver brechas. Isso permite que a conversa seja bem fluida e menos sisuda.

A flexibilidade desta modalidade de conversa possibilita a introdução de novas perguntas e tópicos, para absorver ainda mais informações sobre o candidato e sem perder o foco. É um modelo mais utilizado atualmente, justamente por permitir uma maior proximidade entre as pontas e uma conexão melhor da empresa e dos recrutadores com os candidatos.

Tipos de entrevista

Seja uma entrevista semiestruturada, estruturada ou não estruturada, este momento de conversa entre recrutador e candidato é uma das fases cruciais do processo seletivo.

É nela que o entrevistador faz as perguntas mais importantes para extrair dados e pautar sua tomada de decisão. E existem algumas formas de conduzir este processo, conforme veremos neste artigo.

Seja qual for o método escolhido, se conduzida de forma correta, esta etapa fornece informações essenciais para uma decisão tão sensível. Por meio da entrevista é possível entender mais sobre a história profissional do candidato, se o seu fit cultural se encaixa com o da empresa e se ele é a solução que a organização está buscando no momento.

Conheça essas mencionadas acima:

Entrevista estruturada

É o modelo de entrevista mais rígido, que é guiado por um roteiro de perguntas previamente estabelecidas para todos os candidatos. Mas, isso não significa que a entrevista precise seguir o roteiro copiosamente, mas sim abordar questões e temas principais que já foram definidos antes pelo recrutador.

Nessa definição, deve conter as perguntas mais importantes e não há abertura para a flexibilidade dos temas abordados.

Entrevista não estruturada

Em oposto à entrevista estruturada, a entrevista não estruturada permite que o recrutador tenha autonomia para definir as perguntas a serem realizadas de acordo com cada candidato.

É um modelo totalmente flexível, no qual se pode ter liberdade para fazer questionamentos que aparentam ser pertinentes ao longo da conversa.

Entrevista semiestruturada

Já as entrevistas semiestruturadas, tema central deste artigo e que abordamos um pouco, é o ponto de equilíbrio entre os dois modelos anteriores. E, talvez por isso, tem sido o modelo mais utilizado pelos setores de RH das empresas.

Continue acompanhando para entender melhor como funciona este modelo e as principais diferenças para as outras!

Principais diferenças entre os tipos

É importante ressaltar que não existe um modelo certo e outro errado, tampouco um melhor ou pior. As diferenças entre eles servem para te ajudar a entender e adequar um dos modelos ao  contexto e a área de trabalho, principalmente no que tange à estruturação, visto que é importante manter um padrão de entrevista para cada vaga.

As diferenças estão em suas particularidades:

  • A estruturada é a mais rígida. O recrutador deve ficar restrito a perguntas e temas definidos previamente;
  • A não estruturada é a mais maleável. O recrutador tem autonomia para conduzir a entrevista de forma adaptável a cada situação ou candidato;
  • A semiestruturada acaba sendo uma espécie de intermediário entre as duas anteriores. Onde o recrutador segue um padrão com os candidatos, mas pode extrair mais informações e tornar a conversa mais fluida.

Essas diferenças entre os tipos de entrevista, são como ferramentas estratégicas das quais os profissionais de RH possam encontrar os profissionais mais adequados ao perfil da empresa.

Sendo uma das principais etapas nos processos de recrutamento e seleção, a entrevista tem como objetivo obter mais informações sobre o candidato, de forma mais detalhada e que possa confirmar os dados já coletados (em mapeamentos comportamentais, por exemplo). Além disso, a entrevista costuma ser a última etapa antes da apresentação do candidato para o gestor responsável pela vaga.

Quais as características de uma entrevista semiestruturada

Esse modelo utiliza alguns tópicos genéricos, como perguntas que começam com:

  • Como
  • O que
  • Quem
  • Por que
  • Quando

No entanto, elas devem surgir conforme o entrevistado se sentir à vontade, tornando a conversa o mais natural possível. Entre as principais características estão:

  • Utilização da combinação de perguntas abertas e fechadas;
  • Base das perguntas já pré definidas;
  • Improviso e condução da entrevista para questões que são mais pertinentes no momento e para os pontos de interesse;
  • Perguntas que façam com que o candidato se expresse mais;
  • Diálogo informal e flexível;
  • Possibilidade de uso de elementos visuais para deixar o candidato mais confortável.

O segredo é aplicar uma entrevista que traga as respostas que o recrutador precisa, e ao mesmo tempo, abra espaço para que o candidato possa apresentar tópicos importantes e que não estavam previstos durante o planejamento do processo seletivo.

Vantagens da entrevista semiestruturada

A vantagem da entrevista semiestruturada é que a conversa entre recrutador e candidato consegue ser mais flexível e fluida, sem deixar de lado a estratégia pensada para este momento e as perguntas elaboradas previamente.

Direcionamento

Dessa forma, é possível encaminhar a entrevista para o assunto principal, além da possibilidade de testar a capacidade do entrevistado se adequar a novas situações ao incluir questões inesperadas.

Abordagem espontânea

Quem não gosta de um pouco de informalidade e espontaneidade em momentos tensos como uma entrevista de emprego?

Com este modelo, o recrutador tem a possibilidade de testar a capacidade do entrevistado em se ajustar a situações inesperadas. Tendo, assim, a oportunidade de conhecer os candidatos e saber a percepção real do entrevistado.

Flexibilidade

Concede ao entrevistador a chance de dar um toque de espontaneidade a uma entrevista já elaborada de forma antecipada, alterar ou acrescentar perguntas, permitindo também o prolongamento da sua duração, caso seja pertinente.

E as desvantagens?

O fato de não contar com um roteiro fixo torna a entrevista semiestruturada um pouco mais desafiadora do que as demais. Por esse motivo, antes de optar pela escolha desse método, é importante considerar seus pontos negativos.

Essa modalidade exige concentração e experiência para evitar a perda de objetividade, isso pode prejudicar a análise dos candidatos e desperdiçar tempo para a empresa.

Apesar dos diversos benefícios, o RH precisa estar atento as seguintes desvantagens:

  • É um modelo de entrevista mais difícil de ser conduzido pela espontaneidade permitida. É preciso que seja realizada por um profissional qualificado e experiente para não perder o foco do diálogo;
  • É comum que esses recrutadores precisem de treinamentos para executá-la;
  • O candidato precisa sentir confiança no entrevistador para dar respostas valiosas e alcançar o objetivo proposto;
  • As análises pós-entrevista exigem mais tempo do RH.

Quando usar a entrevista semiestruturada?

Antes de decidir pela metodologia, é necessário avaliar se a sua empresa está apta a realizar o procedimento de forma eficiente. Por isso, a entrevista semiestruturada deve ser adotada apenas se a companhia contar com um profissional qualificado para colocá-la em prática.

Seu uso é recomendado em entrevistas de cargos que exijam uma certa flexibilidade do entrevistado, já que possibilita ao recrutador introduzir perguntas inesperadas para testar a capacidade de adaptação do aplicante.

Amplie sua análise em um cenário com muitos candidatos. A flexibilidade da entrevista permite que as pessoas sejam mais bem diferenciadas, já que as respostas não são padronizadas e podem refletir melhor a personalidade individual do candidato.

As informações colhidas a partir de uma entrevista semiestruturada são fundamentais para qualquer posição, uma vez que o ideal é que todos os colaboradores tenham fit cultural com a empresa e compartilhem valores semelhantes.

Tipos de perguntas para usar em uma entrevista semiestruturada

Uma entrevista semiestruturada é considerada bem sucedida quando as respostas obtidas são fidedignas e válidas e o resultado do total de entrevistas representam uma amostra da população de candidatos que permita uma avaliação diferenciada de cada um.

Listamos aqui alguns exemplos de perguntas que podem ser feitas no método semiestruturado:

  • Como você ficou sabendo desta vaga?
  • Qual a sua relação com ela?
  • Quais seus pontos fortes e fracos para assumi-la?
  • O que você pode fazer de diferente pela empresa que outro candidato não poderia?
  • Quais são suas limitações?
  • Quais suas ambições para o futuro?
  • O que você sabe sobre a empresa?
  • Por que você está se candidatando para esta posição?
  • Quais são as suas qualificações que se encaixam neste trabalho?

O sucesso desta metodologia parte do princípio de que os candidatos elaborem suas respostas, fugindo sempre do “sim” ou “não”.

Conclusão

Agora é a hora de realizar a entrevista. O entrevistador deve iniciar com as perguntas já estabelecidas e gradualmente conseguir transformar a conversa em um diálogo mais informal.

É preciso transmitir confiança ao candidato para que ele se sinta livre para responder as questões que irão surgir de forma espontânea e, ao mesmo tempo, não deixar com que ele perca o foco do objetivo inicial.

Tomar como ponto de partida um guia e transformar esse conjunto de perguntas numa conversa informal, propiciando um discurso livre por parte do entrevistado, sem que este deixe de focar nos objetivos e no tema proposto: eis o desafio!

Este conteúdo foi útil para você? Então compartilhe em suas redes sociais e acompanhe o blog da PontoTel para mais informações sobre: gestão de pessoas, RH, gestão de ponto e controle.

Compartilhe em suas redes!

Fiscal Ti