(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Feedback. Quando usar, sua importância e como fazer

Feedback. Quando usar, sua importância e como fazer

Você já recebeu um feedback negativo e não soube lidar com as informações? Ou já realizou um feedback sem preparação e acabou obtendo resultado negativo inesperado? Então esse artigo é pra você!

Ao desempenhar tarefas é muito importante receber feedbacks sobre elas. Dessa forma, é possível mensurar os erros e acertos, trazendo melhor qualidade do trabalho e até mesmo combatendo características ou práticas ruins já estabelecidas no ambiente de trabalho.

Mas você sabia que o feedback negativo deve ser utilizado para incentivar melhorias ao colaborador?

O feedback negativo, se mal feito ou mal interpretado, pode levar um colaborador ao fracasso profissional. E não é essa a intenção desse tipo de avaliação. Por isso, leia atentamente as dicas desse artigo para conseguir realizar um feedback negativo sem efeitos colaterais!

Acompanhe os tópicos que serão discutidos hoje:

Boa leitura!

O que é um feedback?

O feedback é uma boa prática para exercer a liderança e garantir a melhor gestão de equipes. É uma forma de apontar as melhorias, revisar as metas e elogiar pelo trabalho bem exercido. Nesse caso, o feedback quer dizer receber informações e processá-las, com intuito de otimizar as práticas diárias.

Mas o feedback negativo pode ser um pouco mais complicado.

O que é o feedback negativo?

Feedback negativo é uma devolutiva, que tem como objetivo informar ao colaborador melhorias que podem ser aplicadas, baseado em erros, falta de objetivos ou no comportamento inadequado referente à cultura da organização.

Portanto, esse tipo de feedback precisa ser encarado como uma crítica construtiva, com intuito de ajudar a melhorar e otimizar a performance do colaborador.

Qual a importância do feedback negativo?

O feedback negativo é importante pois, além de pontuar as possíveis falhas ocorridas anteriormente, é uma oportunidade pro colaborador melhorar suas práticas e a sua rotina de trabalho.

Além disso, essa prática mostra que a organização se importa com aquele colaborador a ponto de querer ajudá-lo a melhorar e mostrar incentivos, que também é importante.

Quando usar esse feedback?

O feedback negativo precisa ser realizado quando percebem-se falhas, como: má execução de tarefas, desvios comportamentais, indisciplina e falta de comprometimento com o trabalho.

É claro que cada organização terá suas especificidades, mas é importante preparar o líder para lidar com todas essas situações, inclusive para dar o feedback negativo.

Outros tipos de feedbacks

O feedback negativo não é o único tipo de avaliação para se pensar. Existem outros tipos de feedbacks, alguns apropriados que podem ser aplicados e trazer muitas melhorias para os colaboradores, e outros um tanto quanto inadequados, que podem ser prejudiciais. Sejam feedbacks positivos ou negativos, eles têm papel importante na qualidade do trabalho!

Entenda mais sobre eles abaixo.

Feedback positivo

Esse é um tipo de feedback mais simples de ser aplicado, pois apesar de precisar pontuar melhorias, ele geralmente é direcionado aos colaboradores que apresentam bons resultados, tem sinergia com a organização, estão adequados à cultura organizacional e cumprem com os prazos e objetivos. Então capriche nos elogios e tudo dará certo!

Feedback construtivo

O feedback construtivo tem o objetivo de apresentar propostas de otimização do trabalho que já é exercido com sucesso. Por isso, é uma maneira de melhorar ainda mais o desempenho de um colaborador, aumentando sua produtividade e deixando-o com mais motivação para exercer seus desafios e alcançar metas propostas.

Feedback ofensivo

O feedback ofensivo é aquele que desqualifica pessoal ou profissionalmente um colaborador, não oferece alternativa para melhoria e apenas tece opiniões sobre o profissional avaliado. Esse tipo de feedback pode desestruturar uma equipe inteira e não acrescenta em nada para a melhoria do funcionamento do trabalho.

Principais diferenças entre eles

O motivo por trás de cada feedback é a grande diferença entre eles. Você sabe por que?

Qualquer feedback que for realizado, deve ser preparado a partir da análise do desempenho do profissional que receberá esse retorno de seu líder ou gestor, com toda ética profissional possível. Esse é o fator decisivo entre um feedback positivo ou negativo, por exemplo.

Também é possível que o feedback seja construtivo, onde o líder enxerga que o trabalho está qualitativo e com bom desempenho, mas pode melhorar. Por isso, é muito importante realizar a análise correta do profissional, para que seja dado o feedback adequado e que ele seja feito de forma justa, para estimular o colaborador.

Independente do tipo de feedback, seu maior objetivo sempre deve ser pensado como uma maneira de orientar o colaborador e melhorar a relação entre o líder e o liderado, tornando o diálogo mais aberto e a troca de experiências mais fluida. Esse é o grande plot twist do feedback: falar, ouvir, entender e processar as informações para otimizar a rotina.

Como dar um feedback negativo?

Precisa dar um feedback negativo e não sabe como fazer?

Até os melhores líderes do mercado podem ter dificuldade em dar feedbacks negativos. Isso acontece porque, de fato, é mais difícil apresentar críticas – mesmo que construtivas – do que elogios. Mas, é nesse momento que o planejamento será primordial. Dessa forma, o gestor poderá organizar o seu feedback negativo e pensar qual será a melhor abordagem.

Um feedback negativo precisa conter explicações claras e objetivas sobre a sua motivação e uma boa maneira de fazer isso é preparar dados que embasam a sua crítica. Apresente dados técnicos, mostrando exatamente quais foram as falhas e qual é o plano de melhoria, ou seja, mostre qual é a maneira de resolver as falhas existentes.

O feedback, positivo ou negativo, que não tiver um plano de ação previsto, poderá ser apenas uma conversa sem sentido para o colaborador. Por isso, antes de realizá-lo, conheça algumas boas práticas abaixo.

Prepare a pauta e o que irá ser abordado

Antes de marcar a data para realizar o feedback, prepare uma pauta com os assuntos a serem abordados com o colaborador. Desta forma, você se prepara, não esquece nenhum ponto importante e também consegue processar melhor as informações. Algumas dicas para preparar a pauta são:

  • Pense com atenção e analise todos os dados que precisam ser repassados para o colaborador;
  • Monte o seu plano de ação para ser implementado após o feedback, junto ao profissional que receberá a avaliação;
  • Escreva em tópicos os pontos importantes a serem discutidos e pense em uma maneira mais empática para repassar essas informações, possibilitando as trocas de vivências.

Não perca o timing

Se algo está ruim, não espere ficar pior para relatar ao colaborador. Quanto antes for realizado o feedback negativo, antes o profissional terá oportunidade de processar suas falhas e otimizar o seu trabalho. Por isso, ao perceber que algo não vai bem, recorra ao passo anterior e prepare sua pauta de feedback!

Escolha um lugar adequado

Elogios são ótimos na frente da equipe, feedbacks negativos não! Essa, inclusive, é uma maneira muito ruim de constranger e desencorajar um profissional, podendo acarretar em diversos problemas individuais e coletivos. Líderes que realizam essa prática podem desmotivar e perder a confiança da equipe, tornando o trabalho mais difícil.

Para realizar o feedback negativo, prepare uma sala que seja mais distante e que não tenha movimento de pessoas ao redor. Assim, evitará que sejam interrompidos ou que o colaborador se sinta constrangido de alguma forma.

E, se você não tiver uma sala dessas à disposição, encontre um café próximo ao local de trabalho ou escolha um horário com menos pessoas próximas. Dessa forma, o ambiente será mais adequado e menos intimidador.

Apresente o contexto

Quando um profissional integra o quadro de funcionários de uma empresa, significa que há certa sinergia nessa relação. Então, é importante que o colaborador saiba que, apesar do feedback negativo, nem tudo é ruim. Fale sobre as coisas positivas que esse profissional já fez, apresentando os pontos positivos da sua trajetória profissional.

Dessa forma, você consegue mostrar que ele não é um péssimo profissional, mas que só pode estar passando por uma fase difícil, mesmo que seja na vida pessoal. Afinal, são todos seres humanos, cheios de qualidades e defeitos. Preze por passar a mensagem de forma clara, deixando-o confortável para dividir suas motivações e dúvidas.

Utilize a comunicação não violenta

O tom de voz é muito importante no feedback negativo. Mas vai além: também atente-se às expressões corporais, use sua inteligência emocional e tente passar o feedback de forma calma e suave, mesmo que precise ser rígido em alguns casos.

A comunicação não violenta é muito importante para deixar o colaborador à vontade, já que se trata de um assunto mais delicado.

Conclusão

Realizar feedbacks é uma prática essencial para o bom desempenho da equipe, pois estimula o maior engajamento dos colaboradores no trabalho, assim como pode consertar eventuais erros e otimizar a rotina. O papel fundamental dos feedbacks é levar retorno da organização sobre a qualidade do trabalho do profissional.

E, se você chegou até aqui, você aprendeu a elaborar um feedback negativo eficiente, que surte os efeitos necessários e apresenta as opções de melhoria para o colaborador. Por isso, leve todos esses ensinamentos a sério e ofereça o melhor feedback possível para cada profissional, atendendo às suas necessidades e o transformando em um profissional melhor.

Se você gostou deste artigo e das dicas para o feedback negativo, compartilhe em suas redes sociais e continue acompanhando o blog da PontoTel!

Compartilhe em suas redes!

Fiscal Ti