(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Sprint: tudo sobre, benefícios e como adotar esse método na prática!

Sprint: tudo sobre, benefícios e como adotar esse método na prática!

A gestão de processos é talvez um dos itens mais importantes para o sucesso do negócio. Afinal, para ter bons resultados financeiros e entregar uma boa experiência ao cliente, é preciso ter certeza de que tem em mãos um produto de qualidade.

Pensando nisso, as metodologias ágeis de gestão de projetos têm ganhado espaço nas empresas mundo afora. Uma das mais conhecidas e  bastante utilizada pelos desenvolvedores de softwares, é conhecida como Scrum, na qual divide-se o projeto de um novo produto ou serviço em ciclos. Cada fase é chamada de sprint.

Para um projeto ser bem sucedido quando o método scrum é utilizado, é muito importante que a sprint seja seguida por todos os membros da equipe designada. Por isso, neste artigo, iremos apresentar todas as características da sprint, o que é, como deve ser realizada e os benefícios para sua empresa.

Você vai aprender:

Então, boa leitura!

O que é Sprint?

A sprint é cada um dos períodos utilizados para a conclusão de uma parte de um projeto desenvolvido por meio da metodologia ágil conhecida como Scrum. Mais utilizado na área de tecnologia, pelos desenvolvedores de softwares, também pode ser aplicado em empresas de outros segmentos. Mas, o que é sprint no Scrum?

O conceito vem da tradução do termo em inglês, que significa arrancada. Além disso, existe também uma corrida de velocidade na qual o atleta precisa percorrer uma curta distância em um pequeno período de tempo. Logo, na sprint, a equipe precisa terminar em um período pré-determinado e curto tudo o que foi planejado para aquele ciclo.

Para que serve essa metodologia?

A metodologia Scrum, formada por sprints, tem o objetivo principal de gerenciar projetos complexos, com várias etapas e que podem ou não ser conhecidas no início da execução das atividades. Com o método ágil, espera-se que o produto seja finalizado mais rápido, sem prejudicar a qualidade final.

Ao dividir as etapas (sprints), o foco se torna os membros da equipe, que precisam saber diariamente como está o andamento do projeto, o que precisa ser ajustado e o que pode dar errado. Além disso, é possível entender o que falta para finalizar um ciclo dentro do prazo.

Onde e como surgiu?

O Scrum e, consequentemente, o conceito de sprint nasceu em 1993, mas se popularizou com a publicação do Manifesto Ágil.

Ele foi criado pelo piloto de avião Jeff Sutherland e seu amigo Ken Schwaber. Durante uma de suas experiências de voo, Jeff teve um insight na qual percebeu que não existe uma única forma de pousar um avião, pois envolve diversos fatores externos, por exemplo, o clima. Assim, dependendo de como estiver as condições, o piloto terá que agir de formas diferentes.

Então, os dois criadores da metodologia Scrum Agile entenderam que os projetos de uma empresa funcionam da mesma forma, pois envolve muitos fatores como pessoas distintas e diversas atividades e não há como prever como as ações serão realizadas e quais obstáculos podem surgir no processo.

Sendo assim, revisar diariamente o planejado para cada sprint e entender as dificuldades da equipe ajuda na conclusão mais rápida do projeto.

Quais as características de uma Sprint?

Até aqui já sabemos que uma sprint costuma ter uma duração curta. Dentro da metodologia scrum, espera-se que uma sprint tenha duração mínima de uma semana, e máxima de um mês. Isso vai depender da complexidade do produto final a ser desenvolvido e, obrigatoriamente, o tempo da sprint deve levar esse item em consideração.

Quanto mais difícil for o produto final da sprint, mais tempo pode demorar. Entretanto, um ciclo nunca pode ter mais de um mês. Um ponto importante é que o tempo da sprint deve ser definido no início do projeto e não pode sofrer alteração durante sua execução.

Mais a frente, iremos explicar com detalhes como funciona uma sprint, mas, em resumo, durante todo esse período, a equipe Scrum se reunirá diariamente para entender a evolução das atividades, os desafios e dificuldades e o que precisarão fazer para finalizar dentro do prazo.

Antes de falarmos sobre como colocar a sprint em prática, precisamos entender quem são os principais papéis dentro da equipe de Scrum:

Product Owner: todos os projetos realizados pela metodologia Scrum possuem esse profissional. Ele é o dono do produto também conhecido como PO. O papel do product owner é otimizar o trabalho das equipes de cada sprint, além de gerenciar o Backlog do produto, ou seja, a lista de itens na qual o time de desenvolvimento deve atuar e o que deve ser entregue ao longo daquela sprint..

Scrum Master: Ele é quem deve garantir que tanto o Time de Desenvolvimento quanto o PO (Product Owner)  entendam e apliquem o Scrum corretamente. Será o responsável por treinar a equipe para serem autogerenciáveis e disciplinados. Em caso de problemas, o Scrum master deve auxiliar na resolução para que o trabalho não seja prejudicado.

Time de Desenvolvimento: É a equipe de profissionais que farão o trabalho do sprint dentro do método Scrum. O time deve ser formado entre 3 e 9 integrantes a depender da complexidade do projeto e de qual produto ou serviço precisa ser desenvolvido. Para isso, é necessário que tenham perfis complementares e multidisciplinares.

Além disso, é imprescindível que sejam organizados, pois o time de desenvolvimento deve se autogerenciar para finalizar o sprint. Dentro desse escopo, não existem diferentes hierarquias, todos são desenvolvedores.

Sprint e Scrum são a mesma coisa?

A resposta para essa pergunta é não, mas, é normal que haja uma confusão entre os termos, pois a print é o principal conceito dentro da Scrum. A relação entre os dois termos é a seguinte: o método ágil Scrum entende que um projeto deve ser realizado em ciclos, que, por sua vez, são chamados de sprints.

Logo, scrum e sprint são conceitos da mesma metodologia, apesar de não serem exatamente a mesma coisa.

Principais diferenças

A principal diferença entre os dois é que o scrum é a metodologia macro, baseada na agilidade. Já as sprints são as etapas de um projeto. Além disso, enquanto ao final do scrum espera-se a conclusão total de um novo produto ou serviço, na sprint são realizadas cada peça ou sistema que compõem o objetivo final do plano. Resumindo, a sprint é um pilar do método Scrum.

Principais vantagens e benefícios da Sprint

Um dos objetivos principais da metodologia Scrum e, consequentemente, do método sprint é terminar um projeto mais rápido, com mais agilidade e eficiência.

Você deve estar se perguntando se a rapidez não pode impactar negativamente no resultado final, mas, um dos diferenciais da sprint é justamente a possibilidade de oferecer melhor visão da execução do trabalho.

Desta forma, a qualquer sinal de que algo não está saindo como planejado, os membros da equipe podem agir rapidamente. Para você entender melhor quais os benefícios e vantagens da metodologia sprint, elencamos os principais pontos abaixo:

Redução de riscos

Um dos principais benefícios do método sprint é a redução de riscos dos projetos, isso porque o acompanhamento diário das ações permite que desenvolvedores e o Scrum Master entendam o andamento do projeto e identifiquem pontos de atenção. Assim, a qualquer momento podem revisitar os planos e reavaliar a estratégia.

Outro ponto importante é que o sprint possibilita a experimentação do produto antes de que ele seja entregue ao mercado, reduzindo os riscos de finalizar um projeto que não será eficaz.

Redução de custos e erros

Contar com uma equipe enxuta, de até 9 membros, diminui os custos do projeto, ao mesmo tempo, que a organização do sprint permite que o trabalho seja realizado com mais produtividade. Essa combinação de fatores faz com que os projetos realizados no método sprint sejam, de maneira geral, mais baratos e menos propensos a erros.

Transparência no projeto

Um dos pilares que é esperado de projetos desenvolvidos pelo método scrum é a transparência entre os membros do time de desenvolvimento, scrum master e product owner. Por esse motivo, um benefício de utilizar a metodologia e produzir novos produtos em sprints é a honestidade dos profissionais.

Espera-se que eles desenvolvam uma relação de confiança, interação e colaboração entre todos os integrantes da equipe, resultando em melhores conquistas para todos.

Maior identificação de problemas e soluções rápidas

Como já citamos anteriormente, no método sprint, o time de desenvolvimento revisa diariamente todas as atividades realizadas por cada desenvolvedor.

Desta forma, é mais fácil identificar problemas no projeto, seja nas estratégias ou na execução do trabalho. Com o apoio do Scrum master ou não, antes que a situação se torne irreversível, o time de desenvolvimento pode atuar para corrigir as falhas do processo ou do produto.

Mais agilidade e produtividade

Se o scrum é uma metodologia ágil, uma das vantagens de utilizar sprints para o desenvolvimento de produtos é a agilidade e, consequentemente, o aumento da produtividade. O acompanhamento diário da evolução do trabalho de cada desenvolver diminui as brechas para que erros ou falta de comprometimento se estendam por muito tempo.

Sempre que algo estiver atrapalhando o andamento do que foi planejado para determinado sprint, a estratégia é reavaliar o cenário e tomar atitudes para que o prazo final não seja ultrapassado.

Como é feita uma Sprint?

Você já sabe que uma sprint pode durar de uma a quatro semanas e que esse período vai depender exclusivamente da complexidade do projeto a ser desenvolvido, assim como o número de integrantes de cada tipo de desenvolvimento. Para entender como aplicar o conceito na sua empresa, preparamos um pequeno guia de como é feita uma sprint. Ao todo, são cinco passos:

  • Reunião de planejamento
  • Desenvolvimento
  • Reuniões diárias
  • Revisão da sprint
  • Retrospectiva da sprint

Vamos conhecer cada um deles!

Reunião de planejamento

O desenvolvimento de um novo projeto começa sempre com uma reunião de planejamento, também chamada de Sprint Planning. Esse encontro deve contar com a participação do Product Owner, do Scrum Master e do Time de Desenvolvimento escolhido para aquele projeto. É neste momento que será decidido:

  • O que deve ser entregue na sprint;
  • Como será a execução da tarefas para a entrega do projeto previsto dentro do prazo;

Essas decisões devem ser tomadas em conjunto. A Sprint Planning deve ter um time-box (tempo máximo) e até 8 horas. Porém, assim como o prazo da sprint e o tamanho da equipe, a duração da reunião de planejamento precisa ser proporcional ao tipo do projeto.

O primeiro item a ser discutido é sempre o Backlog do Produto. Em conjunto, todos os membros da equipe entendem o que é possível finalizar dentro do prazo estipulado.

É ainda na reunião de planejamento que o time traça a estratégia e divide o trabalho entre os desenvolvedores e em unidades de trabalho (dias ou horas). A Sprint Planning é o único momento em que pessoas que não estão envolvidas no projeto podem participar oferecendo opiniões técnicas.

Ao final da reunião, deve ser entregue o Backlog da Sprint.

Desenvolvimento

Com todo o planejamento da sprint pronto, é a hora dos desenvolvedores começarem a trabalhar. A execução do projeto vai ocorrer dentro do prazo pré-definido (uma a quatro semanas, no máximo) na Sprint Planning e todos da equipe devem seguir diariamente o que está previsto no Backlog da Sprint, levando em consideração todos os detalhes do produto.

Reuniões diárias

Talvez um dos passos mais importantes de uma sprint seja a reunião diária ou Daily Sprints, no termo técnico. Todos os dias a equipe de desenvolvedores se reúne para discutir o andamento das atividades. É nesse encontro também que se define o que precisa ser feito para que o time se mantenha dentro da meta e do prazo previstos.

Essas reuniões devem durar, no máximo, 15 minutos. Em muitas empresas de tecnologia, a Daily Sprint é realizada sempre no mesmo lugar e horário com todos em pé para que a conversa não se estenda.

Além disso, vale destacar que o Product Owner e o Scrum Master não participam do encontro. Como o Time de Desenvolvimento deve ter autonomia e ser auto gerenciável, eles devem decidir sozinho como fazer o trabalho e corrigir a estratégia, se necessário.

A reunião diária precisa abordar três itens que devem ser respondidos pelos desenvolvedores:

  • O que eu fiz para alcançar a meta ontem?
  • O que eu farei hoje?
  • Há algum obstáculo que possa atrapalhar o time de desenvolvimento?

Caso algum ponto crítico seja identificado na reunião, é o momento de reavaliar a estratégia para que a meta seja alcançada.

Revisão da sprint

No final da Sprint, a equipe se reúne para a Revisão da Sprint (Sprint Review). É a hora de avaliar a evolução do trabalho do time de desenvolvimento e verificar se a meta do Backlog do Produto foi alcançada. Desta reunião, todos os integrantes do Time Scrum participam.

Durante no máximo 4 horas, todos conversam sobre os itens que estão prontos e os que não foram concluídos na sprint. A partir daí, entende-se o que funcionou bem, o que deu errado e o que deve ser feito.

Retrospectiva da sprint

É o momento final da sprint. Nesse encontro, não se avalia o desenvolvimento do produto, mas sim o desempenho do Time de Desenvolvimento. A Sprint Retrospective é o momento em que cada integrante da equipe avalia a si próprio. A ideia é encontrar pontos de melhoria para serem aplicados na próxima sprint.

Só participam dessa reunião o Scrum Master e o time de desenvolvimento, pois o primeiro deve auxiliar os demais membros da equipe a entenderem o método Scrum e a enxergar como melhorar o processo, pensando no objetivo final do produto.

O encontro da retrospectiva da sprint não pode durar mais de três horas. Ao final da retrospectiva da Sprint, todo o time deve estar preparado para aplicar as melhorias nos próximos ciclos.

O que deve ser levado em consideração?

Durante toda a duração da sprint, os desenvolvedores, o Scrum Master e o Product Owner precisam se atentar ao Backlog do Produto e de todas as tarefas que são necessárias para alcançar a meta deste ciclo.

Levando em consideração que a sprint faz parte de uma metodologia ágil, o foco principal é a entrega do produto dentro do prazo. Sendo assim, a produtividade da equipe deve ser sempre um ponto de atenção.

Outro item essencial é entender quais são as dificuldades que a equipe enfrenta durante a execução da sprint, assim, evita-se novos problemas ou repetição de erros, que podem ocasionar atrasos na execução.

Como adotar o método Sprint na empresa

Como já falamos, a criação de produtos no modelo Sprint faz parte de uma metodologia ágil, que tem como objetivo principal acompanhar de perto o desenvolvimento de um novo produto, com foco no aumento da produtividade da equipe. Logo, antes de tudo, é necessário que o mindset ágil seja instaurado na empresa.

Geralmente, esse processo se inicia com a liderança, que deve servir como exemplo para os demais colaboradores. Para instaurar o método Sprint na prática, a companhia deve contar com profissionais que conheçam profundamente a metodologia Scrum, seja contratando um colaborador com esse foco ou treinando alguém do quadro de funcionários.

A partir daí, inicia-se a conscientização de todos sobre os benefícios do desenvolvimento de novos produtos em sprints, incorpora-se o conceito na cultura organizacional e torna-se possível iniciar a aplicação do método.

Sprint e gestão de projetos: qual a relação?

O método sprint nada mais é do que um modelo de gestão de projetos baseado no mindset ágil, que prevê que a realização das tarefas com um nível alto de produtividade e rapidez. Desta maneira, quando uma companhia tem uma demanda alta de atividades e precisa que as habilidades da equipe sejam aproveitadas ao máximo, a metodologia Scrum e as sprints podem ser um bom formato de gestão.

Sendo assim, a Sprint é uma forma de gestão de projeto que vem ganhando força em várias empresas conhecidas e bem-sucedidas como o Google.

Como a Sprint auxilia na gestão de equipes remotas?

As metodologias ágeis têm sido apontadas como um dos modelos de gestão que mais beneficiam o trabalho remoto, principalmente, por uma característica peculiar: o auto gerenciamento. Com os colaboradores trabalhando de casa, é extremamente importante que eles possuam um alto senso de responsabilidade e sejam organizados.

Logo, contar com um escopo de trabalho bem definido a cada sprint e os encontros diários para revisão das demandas auxiliam na gestão dos profissionais que não atuam na sede da empresa. Além disso, cada sprint possui uma equipe pequena de trabalho que pode ser facilmente gerenciada pelo Scrum master, mesmo à distância.

A tecnologia entra aí como uma importante aliada durante a sprint, pois as reuniões podem ser realizadas por vídeo conferências, sem impactar na qualidade final do trabalho, otimizando a gestão de equipes remotas.

Conclusão

O método sprint faz parte da metodologia ágil Scrum, um formato de desenvolvimento de novos produtos ou serviços muito conhecido no ramo de tecnologia da informação e que vem ganhando adeptos também em outros setores.

O objetivo é promover ciclos curtos (de até 4 semanas) para criação de um novo projeto,  com acompanhamento diário das atividades a fim de que sejam diminuídos os erros do processo e, consequentemente, o risco de fracasso nos projetos, pois não se espera chegar no resultado final para entender o que está ou não funcionando.

Com as sprints, é mais provável que a qualidade final do produto seja satisfatória, com custos reduzidos e, o principal, em um curto período de tempo, otimizando a experiência do cliente da sua empresa.

Além disso, a realização de trabalho no método sprint é o desenvolvimento de uma equipe que possui autonomia e se auto gerencia, se tornando ainda mais eficiente.

Gostou deste conteúdo? Não deixe de compartilhar com seus amigos nas redes sociais e conferir as novidades do nosso blog. 

Compartilhe em suas redes!

Fiscal Ti