(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Saiba o que é a NR 05 e quais suas exigências

Saiba o que é a NR 05 e quais suas exigências

O que você sabe sobre a NR 05? Já sabe como garantir a adaptação da sua empresa às mudanças da Norma Regulamentadora 5?

De acordo com a NR 05, é importante elaborar estratégias internas de segurança na organização. Para isso, cada negócio deve estabelecer uma CIPA que ficará responsável por cumprir as atribuições da legislação.

Mas, afinal, o que é CIPA? Quais são as exigências desta Norma Regulamentadora?

Veja, neste artigo, os detalhes sobre o funcionamento da NR 05 e descubra quais são as mudanças do novo texto e quando a medida entrará em vigor.

Boa leitura!

Do que trata a NR 05?

A NR 05, ou Norma Regulamentadora n°5, engloba questões relativas à segurança no trabalho, estipulando qual deve ser o papel de cada indivíduo na organização com o intuito de contribuir com a formação de um ambiente seguro.

Qual o objetivo da NR 05?

De acordo com a NR 05, o objetivo das orientações é prevenir o acontecimento de acidentes e/ou doenças em consequência do trabalho. Dessa forma, a ideia é que haja harmonia entre o ato de trabalhar e a preservação da vida e saúde do trabalhador.

Em outras palavras, isso significa que o intuito é não permitir que ocorra uma tragédia para, somente após isso, tomar alguma ação. A NR 05 é uma tentativa de evitar situações de risco que possam causar qualquer dano ao funcionário ou, até mesmo, levar a perda de sua vida.

Quais as exigências da NR 05?

A NR 05 determina que a empresa deve executar as seguintes ações:

  • Instituir a formação da CIPA;
  • Realizar votações para escolha de seus representantes;
  • Designar um presidente;
  • Oferecer treinamento aos membros da CIPA;
  • Assegurar o cumprimento das atribuições da Norma Regulamentadora nº 5.

Sendo assim, para compreender o funcionamento dessa norma é essencial saber o que é a CIPA. Veja no próximo tópico!

O que é a CIPA?

A sigla CIPA significa “Comissão Interna de Prevenção de Acidentes”, é uma referência ao grupo de pessoas dentro da empresa responsável por instituir medidas de segurança para os trabalhadores durante o exercício de suas atividades.

Mas, qual é a origem dessa comissão de segurança? 

Com o avanço da Revolução Industrial, no século XVIII, as organizações trabalhistas, em todo o mundo, começaram a perceber a necessidade de implementar estratégias que contribuíssem para a prevenção de acidentes no trabalho.

Assim, em 1921, a Organização Internacional do Trabalho (OIT), aprovou a criação de comitês internos de segurança para indústrias que tivessem, no mínimo, 25 funcionários.

No Brasil, em 10 de novembro de 1944, foi fundada a CIPA. E no dia 8 de junho de 1978, foi promulgada a Portaria nº 3.214 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), que estabeleceu 28 Normas Regulamentadoras, incluindo a NR 05 que visava prevenir os acidentes de trabalho.

É claro que, com o passar dos anos, as funções específicas da CIPA sofreram alterações a fim de se adequar à realidade de cada época. Nesse sentido, quais são as atribuições desse órgão interno na atualidade? Confira!

Quais são suas atribuições de acordo com a NR 05?

Atualmente, a atuação da CIPA é regida pela NR 05, a regulamentação prevê, ao todo, 15 atribuições para a Comissão de Prevenção de Acidentes, que são:

  1. Identificar as ameaças em todo o processo de trabalho e criar mapa de risco;
  2. Elaborar plano de trabalho visando ações preventivas de segurança e saúde no exercício das atividades;
  3. Participar da implementação e do controle de qualidade das medidas de prevenção;
  4. Verificar ambientes e condições de trabalho com o objetivo de encontrar possíveis riscos;
  5. Avaliar o cumprimento de metas do plano de trabalho;
  6. Divulgar aos trabalhadores informações sobre segurança e saúde no trabalho;
  7. Discutir junto ao empregador os impactos de alterações no ambiente e no processo do trabalho na saúde e segurança dos colaboradores;
  8. Solicitar a paralisação de máquina ou setor quando apresentar risco grave;
  9. Desenvolver e implementar programas relativos à segurança e saúde dos colaboradores;
  10. Incentivar o cumprimento das Normas Regulamentadoras e de acordos coletivos;
  11. Investigar as causas de doenças e acidentes de trabalho e sugerir medidas de solução;
  12. Analisar dados sobre questões que tenham interferido na segurança dos funcionários;
  13. Solicitar à empresa as cópias das CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) emitidas;
  14. Promover a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (SIPAT);
  15. Participar, todo ano, em conjunto com a empresa, de Campanhas de Prevenção da AIDS.

Quais as obrigações do empregador em relação a CIPA?

O empregador tem a obrigação de favorecer o bom desempenho dos membros da CIPA no cumprimento de suas atividades por oferecer os meios necessários para a realização das atribuições.

Além disso, é fundamental assegurar que a comissão de segurança no trabalho disponha de tempo adequado para realização das tarefas previstas na NR 05.

E dos colaboradores?

Em primeiro lugar, os colaboradores precisam participar ativamente das eleições para a escolha dos membros da Comissão de Prevenção de Acidentes.

Também, é importante mostrar respeito pelos colegas que ocupam uma posição na CIPA e seguir de perto as recomendações de segurança recebidas, tendo em mente que isso é para a proteção do próprio trabalhador, sendo ainda uma forma de zelar pelo bem-estar de terceiros.

Por último, o funcionário deve relatar à CIPA qualquer potencial risco que observe em seu ambiente de trabalho para que a comissão consiga fazer a análise do caso.

O que mudou na NR 05?

As principais mudanças no texto da NR 05 foram em relação ao:

  • MEI: a NR 05 atualizada desobriga o microempreendedor Individual da necessidade de formar uma CIPA. Afinal, existe a possibilidade do MEI contratar até 1 funcionário pela CLT, já que a Comissão de Prevenção de Acidentes é obrigatória nesse regime, isso gerava dúvidas e apreensão;
  • ME e EPP: as microempresas e empresas de pequeno porte vão poder realizar reuniões ordinárias com intervalo de 2 meses;
  • Dimensionamento: com a adoção da nova NR 05, o dimensionamento não será mais feito com base no CNAE empresarial, mas de acordo com o grau de risco da NR 04 e a quantidade de colaboradores;
  • Mapa de riscos: a nova regulamentação prevê o registro da percepção de riscos, mas não estipula que a CIPA elabore um mapa;
  • Secretário: em cada reunião, seja ordinária ou extraordinária, a Comissão de Prevenção de Acidentes elegerá um secretário que será responsável por redigir a ata.

Além disso, a atualização da NR 05 também afetou os treinamentos, modificando a carga horária, que antes era de 20 horas para qualquer circunstância, mas agora de acordo com o item 5.7.4, será de:

“a) 8 (oito) horas para estabelecimentos de grau de risco 1;

 b) 12 (doze) horas para estabelecimentos de grau de risco 2; 

 c) 16 (dezesseis) horas para estabelecimentos de grau de risco 3; e

 d) 20 (vinte) horas para estabelecimentos de grau de risco 4.

Também, houve alterações na contagem de votos, a antiga NR 05 estipulava que se não houvesse, pelo menos, metade dos trabalhadores participando da votação, isso impossibilitaria a contagem de votos, sendo necessário realizar uma nova eleição em até 10 dias.

Porém, de acordo com as novas regras da NR 05, o processo agora vai funcionar do seguinte modo:

“5.5.4 Havendo participação inferior a cinquenta por cento dos empregados na votação, não haverá a apuração dos votos e a comissão eleitoral deverá prorrogar o período de votação para o dia subsequente, computando-se os votos já registrados no dia anterior, a qual será considerada válida com a participação de, no mínimo, um terço dos empregados.

5.5.4.1 Constatada a participação inferior a um terço dos empregados no segundo dia de votação, não haverá a apuração dos votos e a comissão eleitoral deverá prorrogar o período de votação para o dia subsequente, computando-se os votos já registrados nos dias anteriores, a qual será considerada válida com a participação de qualquer número de empregados.”  

Quando passa a valer a nova NR 05?

A nova NR 05 entrará em vigor no dia 3 de janeiro de 2022. No site do governo federal, é possível acessar na íntegra o novo texto da Norma Regulamentadora a fim verificar as informações e adequar a sua empresa às novas regras.

Afinal, caso a organização não cumpra os requisitos da NR 05, estará sujeita a sofrer penalidades, por exemplo, o pagamento de multas e indenizações.

Conclusão

A NR 05 estabelece critérios que precisam ser aplicados dentro das empresas a fim garantir a segurança dos trabalhadores, prevenindo acidentes de trabalho e preservando a saúde e a vida dos funcionários.

Assim, a organização deve estabelecer a CIPA, que é a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, ou seja, um grupo de indivíduos responsáveis por executar as atribuições da NR 05. Além disso, é fundamental que empregador e colaboradores cumpram o seu papel na manutenção da segurança.

Por último, a partir de janeiro de 2022, o novo texto da NR 05 entrará em vigor. Com isso em mente, conheça as modificações e programe as alterações necessárias para harmonizar a sua empresa com a nova legislação antes do início da nova NR 05.

Gostou do conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais e continue acompanhando o blog da PontoTel!

Compartilhe em suas redes!

Fiscal Ti