(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Saiba todos os detalhes da carga horária do vigia

Saiba todos os detalhes da carga horária do vigia

Todos sabemos que o papel do vigia é importantíssimo para garantir a integridade patrimonial de espaços públicos ou privados.

Cabe a esse profissional o monitoramento de perímetros, checagem de câmeras e até mesmo o recebimento de encomendas para evitar falhas de segurança e danos à instituição em que trabalha.

Apesar de ser frequentemente confundido com a profissão de vigilante, o trabalho do vigia é muito diferente, já que a ele não é permitido o porte de armas, por exemplo, além de não exigir formação específica e não possuir um regimento para o seu exercício.

Aqueles que querem ingressar nessa carreira, precisam estar atentos às demandas de atividades diárias, questões como a carga horária, escala de trabalho e as principais funções da profissão, como o cuidado e zelo pelo patrimônio de terceiros.

Quer conhecer mais sobre o papel desse profissional tão importante para a segurança patrimonial e entender como funciona a carga horária vigia? Nesse artigo falaremos um pouco mais sobre:

Mantenha a leitura!

Quais profissionais se enquadram na categoria de vigia?

Por não possuir uma regulamentação própria e nem exigir formação específica, a profissão de vigia não entra na categoria de profissões regulamentadas. Por isso, funcionários como porteiros e zeladores também podem exercer a função de vigia.

Já que a função do vigia é a de atuar na fiscalização e guarda de um patrimônio, não a de proteger pessoas, ele pode atuar no controle de acesso de visitantes, na saída e entrada de colaboradores e veículos, além de fazer rondas pelo local para se certificar de que está tudo em ordem.

Qual a diferença entre vigia e vigilante?

A principal diferença entre o vigia e o vigilante é que o vigia, em tese, não precisa de preparo técnico e cursos para atuar na área, já que a profissão não permite o porte de armas e nem faz a segurança de pessoas diretamente.

Além disso, para atuar como vigia não há requisitos como escolaridade mínima e ausência de histórico criminal.

Esse profissional é responsável por fazer a ronda em determinados perímetros para identificar as atividades suspeitas e alertar diretamente às autoridades responsáveis.

O vigia também faz o recebimento de pequenos objetos, monitoramento e permissão de entrada e saída de pessoas (por isso também se encaixa na profissão de porteiro) entre outras atividades.

Já o trabalho como vigilante profissional é regulamentado por lei, requer formação acadêmica e credenciamento na Polícia Federal, sendo mais criterioso.

O vigilante é treinado para proteger pessoas, transportar itens de alto valor, realizar primeiros-socorros e saber como agir em situações de conflito, como assaltos, por exemplo, já que está sempre armado, diferentemente do vigia, que é instruído a não reagir mediante essas situações.

As mesmas regras da lei para o vigia valem para o vigilante?

A  Lei nº 7.102/83 protege os vigilantes, ou seja, os que trabalham com segurança pessoal e patrimonial.

As regras de turno e adicional de 20% de pagamento noturno, por exemplo, são as mesmas para ambas as profissões, já que elas valem para todos os trabalhadores que exercem funções semelhantes.

Apesar de estar exposto a situações periclitantes, ao vigia cabe a função de fazer a fiscalização de patrimônio sem reagir às situações arriscadas, além disso, não dispõe do porte de armas.

Entretanto, por não ser uma profissão regulamentada, o trabalho de vigia está sujeito a perda de direitos, como o adicional de periculosidade por exemplo, que é recebido por todos os que exercem atividade em que estejam expostos a situações de roubos e outros riscos.

A profissão de vigia possui legislação específica?

Conforme citamos anteriormente, a profissão de vigia não é fundamentada e protegida pelas leis trabalhistas, por isso, além das exigências para a execução da função serem menores, também são reduzidos os direitos específicos do trabalhador.

Dessa forma, apesar de vigiar perímetros, pessoas, estabelecimentos e conferir se não há atividades suspeitas na área, não existe um conjunto de leis em defesa dos direitos do vigia, como existe para os vigilantes.

O que existe para a profissão de vigia é justamente um conjunto de diretrizes que regem a rotina de trabalho, onde se determinam algumas funções que se farão presentes no dia a dia desse funcionário.

Qual a carga horária de um vigia?

O vigia noturno tem a mesma carga horária diária padrão das demais profissões regidas pela CLT: 8 horas de trabalho.

O detalhe que diferencia a carga horária vigia das outras jornadas de trabalho é a possibilidade de fazer escalas, como por exemplo trabalhar 12h e folgar 36h, ou trabalhar 6 dias na semana e folgar 1.

É importante lembrar, entretanto, que, segundo a Constituição Federal, é direito do funcionário trabalhar no máximo 44 horas semanais para que se garanta sua saúde mental, descanso, e claro, convívio familiar.

Quantas horas um vigia pode trabalhar por semana?

A carga horária vigia pode chegar no máximo 44 horas semanais, que podem ser tanto noturnas quanto diurnas, considerando 6 dias de trabalho durante a semana.

Ao contrário do que se imagina, a carga horária do vigia não é diferenciada e específica, sua jornada de trabalho semanal segue as normas da CLT, podendo ser divididas em diferentes tipos de escala.

Vigia pode fazer horas extras?

Sim, na carga horária vigia há a possibilidade de fazer horas extras, desde que essas sejam devidamente remuneradas e cumpram as escalas de trabalho determinadas por lei.

Caso sejam realizadas durante a noite, por exemplo, é essencial contabilizá-las com o adicional noturno, que aumenta em 20% o salário do colaborador que trabalha das 22:00 de um dia até as 5:00 do dia seguinte.

Vigia noturno – Quais as regras?

O papel do vigia noturno é muito semelhante ao dos vigias diurnos, já que ele faz o trabalho de fiscalização e monitoração patrimonial de terceiros, exceto que nesta modalidade, a média de horas trabalhadas fica em torno de 42h.

Para exercer a profissão de vigia noturno, é importante ter cursos de formação na área para realizar o trabalho com mais acuracidade, dado que os ambientes que funcionam durante a noite necessitam de mais atenção.

Algumas das atividades do vigia noturno são a checagem das câmeras de segurança, pequenos reparos em aparelhos de tv e câmeras, fiscalização e controle de entrada e saída, conferência de veículos no estacionamento entre outras.

Qual a escala para o trabalho de vigia?

Por lei, são permitidas apenas dois tipos de escala de trabalho a serem adotadas para os vigias: 12×36 e 6×1.

Na prática, isso significa que o vigia pode trabalhar 12 horas seguidas e folgas por 36h, ou trabalhar durante 6 dias e folgar um, como acontece normalmente em lojas e outros estabelecimentos comerciais.

Escala 12×36

Apesar de fugir das regras da CLT que apontam a jornada de trabalho máxima como 8 horas diárias, a escala 12×36 é uma exceção permitida por lei desde a Reforma Trabalhista de 2017.

Nesse modelo de escala, o expediente de trabalho é de 12 horas com um intervalo mínimo de 1 hora para descanso ou refeição.

É interessante ressaltar que esse tipo de escala é muito comum em hospitais, fábricas, empresas de segurança e vigilância e outros ramos de trabalho em que seja necessário o funcionamento 24h.

Além disso, para o vigia que trabalha dentro dessa escala, há o direito de receber dobrado pelos feriados em que não esteve de folga e caso não haja o tempo de descanso na mesma semana.

Escala 6×1

A maior parte dos estabelecimentos comerciais brasileiros se vale da escala 6×1 para organizar sua jornada de trabalho. E apesar de ser conhecida por determinar o trabalho aos sábados, ela vai um pouco além disso.

É o caso da jornada dos vigias que trabalham 6 dias da semana e folgam 1. Este dia pode ser tanto sábado, quanto qualquer outro, dependendo exclusivamente de sua escalação.

Nesse modelo, cada trabalhador tem um dia determinado para iniciar a sua semana, podendo ser, por exemplo, numa quinta-feira e assim por diante.

Conclusão

Agora você já conhece as especificidades da profissão de vigia e pode entender melhor quais os principais requisitos e regras, além de como funciona a carga horária vigia.

Apesar de não ser regulamentado e não possuir uma lei própria, o trabalho de vigia merece reconhecimento e os direitos do profissional devem ser respeitados, como a carga horária, pagamentos adicionais e folgas.

Por isso, para controlar todas as escalas de trabalho, organizar os horários de entrada e saída é importante ter um sistema de ponto funcional e moderno, que acompanhe o profissional em sua jornada e auxilie o empregador.

Gostou deste artigo? Então compartilhe o conteúdo em suas redes sociais e continue acompanhando o blog da PontoTel!

Compartilhe em suas redes!

Fonte: PontoTel

Fiscal Ti