(11)2059-2863 / (11)2059-3032
contato@veritasexacta.com.br

A importância dos indicadores de departamento pessoal para sua empresa

A importância dos indicadores de departamento pessoal para sua empresa

Toda empresa anda por uma linha tênue entre o sucesso e o fracasso. Neste cenário, uma estratégia para identificar erros e acertos no processo organizacional pode ser de grande valia para a empresa, os indicadores de departamento pessoal.

Os indicadores de departamento pessoal servem como uma espécie de base, de referência, sobre o que funciona e o que não funciona na gestão de pessoas.

Mas vai muito além disso. Esses indicadores conseguem apontar dados concretos sobre quais as taxas de rotatividade e absenteísmo da empresa.

A principal proposta do uso de indicadores de departamento pessoal é mensurar a efetividade dos processos, relacionados à gestão de pessoas, e apontar os impactos desses dados no dia a dia da empresa, sejam financeiros, administrativos ou gerenciais.

Uma pesquisa do Sebrae revelou que mais da metade das empresas (60%) que fecharam as portas não acompanhavam e sequer se preocupavam com KPIs (Key Performance Indicators).

Sabendo disso, este artigo vai tentar mostrar qual a real importância desses indicadores na prática e quais os mais utilizados pelo departamento pessoal? Neste conteúdo você vai saber:

Se a sua empresa quer saber como mensurar diversos processos organizacionais, então, é só seguir em frente neste artigo e boa leitura!

O que são indicadores de departamento pessoal?

Os indicadores de departamento pessoal ou KPIs – indicadores-chave de performance – são ferramentas estratégicas que funcionam como um instrumento que mede a efetividade e o real funcionamento de diversos processos da empresa.

Com eles, os gestores podem obter dados sobre a rotatividade, absenteísmo, engajamento e até mesmo medir a satisfação dos profissionais em relação à empresa.

Por meio deles, a companhia consegue mensurar resultados e identificar o que está ou não dando certo na gestão de pessoas.

Assim, com esses dados concretos dos processos que envolvem o departamento pessoal, a empresa consegue ser mais estratégica, atuando para manter em alta a produtividade e o desempenho das equipes, o que consequentemente impacta no sucesso do negócio.

Para que servem os indicadores de departamento pessoal?

O departamento pessoal é um dos setores mais importantes da empresa, isso porque é a partir dele que haverá a gestão de pessoas.

Ou seja, é nesse setor que tanto questões burocráticas da relação trabalhista, como estratégicas, relacionadas ao engajamento profissional, são discutidas e posteriormente se tornam ações para que a empresa obtenha sucesso a partir dos seus colaboradores.

Os indicadores de departamento pessoal são peças-chave da rotina deste setor. Afinal, é a partir deles que o RH pode ter uma visão ampla da empresa e dos colaboradores, identificando possíveis problemas e falhas na gestão de pessoas.

Sendo assim, os indicadores de desempenho departamento pessoal servem principalmente para:

  • Amparar as tomadas de decisão em relação a processos em geral;
  • Contribuir com a retenção de talentos;
  • Evitar despesas desnecessárias em relação ao pagamento de indenizações e horas extras;
  • Potencializar a produtividade e o engajamento das equipes, a partir da identificação de problemas;
  • Permitir que os investimentos que giram em torno da gestão de pessoas sejam mais assertivos;
  • Reduzir taxas como absenteísmo e rotatividade.

Entenda a importância dos indicadores de DP

Os indicadores de departamento pessoal (DP) na empresa, como citado anteriormente, é parte essencial no levantamento de dados referentes à gestão de pessoas. Sua importância está na identificação de problemas e erros na relação colaborador e empresa.

Já que dessa forma é possível desenvolver ações estratégicas que permitam à empresa elevar a produtividade e o desempenho dos seus colaboradores, atuando exatamente naqueles pontos que estão impedindo o crescimento da companhia.

Como implementá-lo na empresa?

O primeiro passo para saber como fazer a elaboração de indicadores de departamento pessoal na empresa é determinar quais as metas e objetivos a partir dos dados que serão colhidos.

Já que de nada adianta levantar possíveis erros e problemas sem que ações sejam tomadas para reverter a situação. Outro passo importante é verificar quais indicadores de departamento pessoal precisam ser levantados.

Questionar sobre o que a empresa quer e precisa saber é determinante para essa escolha. Como o motivo das faltas serem recorrentes, atrasos rotineiros e a alta rotatividade que insiste em se fazer presente no dia a dia da companhia.

O terceiro passo é definir quem serão os responsáveis do setor por fazer o levantamento dos dados, por quanto tempo será feita essa análise e como será a comunicação quando for necessária a participação dos colaboradores para que os dados sejam levantados.

Após esses passos, a empresa deve absorver os dados e informações coletadas e criar ações estratégicas para que consiga mudar o cenário de problemas e criar um ambiente propício que foque na produtividade e engajamento da empresa como um todo.

Principais indicadores para adotar na sua empresa

Dentro de um processo de mensuração de dados e resultados da empresa, diversos KPIs de RH se destacam, aparecendo como fundamentais nesse processo. Conheça abaixo quais indicadores de departamento pessoal mais utilizados na rotina empresarial.

Rotatividade de funcionários

O índice de rotatividade responde pelo número de profissionais que deixaram a empresa ao longo de determinado período.

Ele é importante para que a companhia compare o número de saída e entradas e identifique os motivos que vêm levando os colaboradores a deixarem a empresa.

Além disso, esse medidor é um dos indicadores de departamento pessoal mais importantes já que apontam para a empresa sua real condição para reter talentos e se os processos de recrutamento são efetivos ou não.

A principal fórmula para medir esse indicador é a seguinte:

  • Turnover = ([admissões + desligamentos] ÷ 2) ÷ quantidade total de funcionários

O ideal é que o índice de rotatividade esteja sempre abaixo de 5% na empresa.

Custos de rotatividade

A alta rotatividade é muito custosa para a empresa já que segue um caminho de pagamento de verbas rescisórias, processo seletivo e nova contratação. Se esse gasto não é mensurado fica ainda pior para que a empresa consiga conter essas saídas.

Partindo desse pressuposto, é importante que a empresa mensure seus gastos referentes à rotatividade. Visto que, medindo esse indicador, ela obtém informações importantes sobre os impactos financeiros que uma saída pode ter na empresa.

Essa visualização de um dado tão importante instiga a companhia a criar ações prévias de gestão de pessoas para evitar que um colaborador saia da empresa e traga prejuízos financeiros para a organização a curto, médio e longo prazo.

Eficácia de treinamentos

Os treinamentos são fundamentais para que a empresa se desenvolva e esteja sempre apta para alcançar seus objetivos. No entanto, é importante mensurar se essas formações alcançaram os objetivos traçados, para que o investimento não tenha sido em vão.

Por isso, a empresa precisa medir a efetividade dos seus treinamentos, fazendo um comparativo do antes e depois da formação.

Esse dado de eficácia pode ser levantado por meio de provas de conhecimento ou de índices comparativos, que levem em conta o pré e o pós-treinamento.

Assim, a empresa consegue saber exatamente quais formações trouxeram reais benefícios à empresa e pode investir em novas de forma mais assertiva.

Satisfação dos funcionários

A satisfação do colaborador eleva seu engajamento e sua produtividade no trabalho em até 20%, de acordo com um estudo da Forbes. Até por isso, medir a taxa de satisfação é primordial para que a empresa desenvolva ações com foco na gestão de pessoas.

Dentre os indicadores de departamento pessoal é esse em especial que pode apontar quão o colaborador está satisfeito com a empresa, com sua função, com os benefícios que ela oferece, com o clima organizacional e outros detalhes.

Para medir essa taxa a empresa pode começar aplicando pesquisas de clima, como o Employee Net Promoter (ENPS), e também obter informações por meio de feedbacks constantes para ouvir o que o colaborador tem a dizer.

Fazer um contraponto entre horas extras x horas trabalhadas também é importante dentro dos indicadores de departamento pessoal.

Além de permitir que a empresa avalie a produtividade efetiva dos seus colaboradores, evita que eles façam horas extras de forma desnecessária. Esse controle da rotina do colaborador pode ser feito por meio de um sistema que registre a jornada de trabalho dele.

Por esse tipo de índice, inclusive, a empresa consegue identificar se existem profissionais ou equipes sobrecarregadas, pelo número de horas extras que o gestor do departamento pessoal terá em mãos.

Facilitando assim, a realocação de funcionários, novas contratações e reajuste nos horários de trabalho. Permitindo que a produtividade não seja impactada negativamente por falta de controle do banco de horas.

Taxa de absenteísmo

Muito da queda de produtividade das empresas está ligada ao alto índice de absenteísmo. Isso significa que quando as faltas e atrasos se tornam rotineiras a empresa acaba tendo seus resultados comprometidos.

Por esse motivo, a taxa de absenteísmo aparece como um dos indicadores de departamento pessoal fundamentais para medir a produtividade e efetividade do trabalho.

Calculando esse índice, a empresa pode não só identificar concretamente o número de atrasos, faltas e quais colaboradores estão nessa lista, como pode criar estratégias para evitar esse cenário.

Índice de reclamações trabalhistas

A imagem da empresa no mercado é um item essencial para atrair talentos, conseguir parceiros e clientes.

Por esse motivo, saber exatamente qual o índice de reclamações trabalhistas pode contribuir para que a organização tome medidas para evitar que o seu nome fique “sujo” no mercado de trabalho.

Além disso, conhecer esse número ajuda a identificar as principais motivações que levaram um colaborador a entrar na justiça contra a empresa.

Permitindo à companhia uma visão melhor sobre suas obrigações relacionadas à lei trabalhista, como o pagamento de horas extras, recolhimento do FGTS e outros.

Evitando, portanto, que a companhia sofra com processos trabalhistas e tenha gastos desnecessários com indenizações.

O que fazer se os indicadores apontarem um mau desempenho?

A grande pergunta que fica para quem aposta nos indicadores de departamento pessoal é: “o que fazer se eles apontarem um mau desempenho?”. O primeiro passo ao identificar dados ruins é procurar os motivos que levaram a isso.

Por exemplo, se existe um excesso no cumprimento de horas extras em determinado setor, será que não há sobrecarga de trabalho e a necessidade de novas contratações?

Visualizar problemas como esse pode ajudar a empresa a antever outros maiores, como a rotatividade e absenteísmo que podem ser a consequência desse excesso de horas extras.

Dessa forma, se existe um apontamento negativo dos dados, a empresa precisa reavaliar suas estratégias, aplicar medidas corretivas e mirar em ações que foquem principalmente no engajamento e no aumento da produtividade.

Conclusão

Ao longo deste artigo foi possível perceber a importância que os indicadores de departamento pessoal têm para que as estratégias direcionadas à gestão de pessoas sejam assertivas.

Por meio desses indicadores, como você pôde ver, fica mais fácil identificar o que leva a companhia a ter uma alta taxa de rotatividade, absenteísmo e até mesmo identificar os motivos que levam o colaborador a se sentir insatisfeito.

Contudo, antes mesmo de sair aplicando uma série de indicadores, é essencial um planejamento prévio que determine os objetivos desse levantamento de dados para que ele não se torne uma burocracia na rotina deste setor.

O ponto principal e fundamental é que a aplicação desses indicadores de departamento pessoal sejam efetivos para que a empresa tenha um propósito de mensurar o desempenho e a produtividade de seus colaboradores e visualize falhas de gestão para corrigi-las.

Gostou deste conteúdo sobre os indicadores de departamento pessoal e quer saber mais sobre gestão de pessoas e a rotina do RH nas empresas? Então, acesse o blog Pontotel e fique por dentro dos melhores artigos sobre o assunto.

Compartilhe em suas redes!

Fonte: PontoTel

Fiscal Ti