(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Como saber qual a faixa da minha profissão?

Como saber qual a faixa da minha profissão?

Quando o assunto é trabalho, um dos itens mais importantes a ser considerado é a faixa salarial dos funcionários. Isso porque o valor que um profissional recebe está diretamente atrelado ao seu poder aquisitivo, à realização de sonhos e à obtenção de bens materiais.

Por isso, antes mesmo dos benefícios e das condições de trabalho, o candidato se preocupa em saber qual será o salário pago pelo cumprimento das suas funções. E não só isso: é importante saber, também, se a remuneração está de acordo com o mercado.

Portanto, cabe às empresas seguirem as diretrizes do mercado por meio da criação de tabelas salariais contendo informações justas e valiosas para os colaboradores. Neste artigo, você entenderá como isso é feito e quais são suas implicações.

Boa leitura!

O que é faixa salarial?

A faixa salarial é a variação entre o menor e o maior valor de salário pago por determinado cargo ou posição. Em termos populares, é a oscilação entre o piso e o teto salarial que as profissões geralmente recebem no mercado.

É importante ressaltar que a faixa salarial é apenas uma estimativa para o pagamento dos salários, e não uma diretriz rígida de valores exatos. Isso ocorre porque existem outros fatores que podem alterar o salário de um colaborador, como por exemplo:

  • Mérito por seu desempenho e eficácia;
  • Tempo de serviço;
  • Inflação;
  • Incorporação de dissídios trabalhistas.

Por essa razão, a faixa salarial existe para que não haja uma discrepância muito grande entre as remunerações e para que não ocorra divergências salariais entre colaboradores que desempenham a mesma função.

Como funciona

A faixa salarial está inserida dentro do sistema de remuneração da empresa, uma série de bases que compila todos os dados relacionados ao pagamento dos salários. Esse sistema é de responsabilidade do departamento de recursos humanos (RH).

Em geral, as empresas confeccionam uma tabela salarial tendo como base a estrutura interna da empresa (cargos e hierarquia) e a influência externa (tendências do mercado).

Existem muitas empresas que disponibilizam suas tabelas salariais na internet para consulta pública, de forma gratuita. Desta forma, o trabalhador pode consultá-las para confirmar se o seu salário está de acordo com o cargo que ocupa.

Como saber a faixa salarial da minha profissão?

Para saber a faixa salarial da sua profissão, o trabalhador precisa consultar alguma base de dados disponível na internet. O site Salário, por exemplo, conta com um banco de dados abrangente sobre tabela salarial contendo informações de fácil acesso para análise.

Além disso, muitas empresas disponibilizam seus guias salariais e estudos de remuneração para consulta, como por exemplo:

Logo, é fácil saber a faixa salarial da sua profissão: basta escolher uma das referências, solicitar o acesso às pesquisas e contrastar o resultado com o seu próprio salário.

No entanto, se você faz parte do time de recrutamento e seleção, os guias e estudos salariais oferecerão uma visão geral e mais abrangente de salários e das tendências de contratação do seu setor.

A importância da faixa salarial para as empresas

A faixa salarial é importante para as empresas de modo a manter uma política salarial justa e competitiva mediante o mercado externo. Ao pagar salários que atendam às expectativas dos colaboradores, a empresa demonstra prezar pela atração e retenção de talentos.

Além disso, a implementação de faixas salariais também permite a montagem de equipes de alta performance devido ao maior engajamento dos colaboradores.

Outro ponto importante é a realização de processos seletivos para contratação. Ao divulgar a faixa salarial das vagas, é possível elaborar perfis de cargos que representem a estrutura organizacional da empresa, já sinalizando a evolução salarial através de possíveis promoções.

Assim, torna-se possível harmonizar os interesses econômicos e financeiros da empresa com os interesses de crescimento e qualidade de vida do colaborador, contribuindo para a construção do wellness corporativo.

Faixa salarial X piso salarial

Uma das dúvidas mais recorrentes é a confusão entre faixa e piso salarial. Para ajudar você a entender melhor essa diferença, imagine uma rua. De um lado, tem-se a calçada, seu ponto de partida. Ao caminhar pela faixa de pedestres, você tem o outro lado: seu destino.

A faixa salarial funciona da mesma forma:

  • Seu ponto de partida, ou seja, o salário pago no momento em que você ingressa na profissão (ou na empresa) é o piso salarial. O piso é o menor valor pago pela execução daquela função;
  • O destino almejado, neste caso, o outro lado da calçada, é o valor máximo pago pelos serviços prestados (neste caso, o teto);
  • Portanto, assim como a faixa de pedestres, a faixa salarial é uma maneira segura de percorrer esse trajeto do piso ao teto, almejando sempre construir uma carreira mais sólida e com maior reconhecimento.

Além de servir aos propósitos de remuneração, a faixa salarial também pode ser aplicada para a contribuição previdenciária junto ao INSS.

Faixa salarial INSS

O Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) também leva em consideração a faixa salarial do trabalhador para realizar o cálculo relativo às contribuições.

Desde a Reforma da Previdência de 2019, as alíquotas de arrecadação passaram a ser progressivas, ou seja, vão aumentando de acordo com a faixa salarial do contribuinte. O objetivo da mudança foi proporcionar uma contribuição mais justa.

Isso ocorre porque utiliza-se o princípio da capacidade contributiva, em que quanto maior o salário, maior é a contribuição ao imposto.

Para entender melhor na prática, vamos observar a tabela de contribuição pós-reforma:

SalárioDesconto 
Até R$1.212,007,5%
R$ 1.212,01 até R$ 2.427,359%
R$ 2.427,36 até R$ 3.641,0312%
R$ 3.641,04 até R$ 7.087,2214%

Nessa nova modalidade de cálculo, quem ganha menos acaba contribuindo menos, o que é justo com trabalhadores recém-ingressos ou em transição de carreira.

Portanto, isso mostra como é importante que as empresas organizem suas diretrizes orçamentárias e sistema de remuneração utilizando a faixa salarial como base.

Como funciona a tabela salarial?

A tabela salarial é um documento de utilização prática e divulgação pública. Isso significa que as informações contidas nela devem ser diretas e objetivas, e a tabela deve estar disponível para consulta em local de fácil acesso.

Para que a tabela seja funcional, ela precisa conter informações como:

  • Inscrição no CBO (Código Brasileiro de Ocupações);
  • Nome do cargo;
  • Carga horária;
  • Faixa salarial (piso, salário médio e teto);
  • Valor pago por hora trabalhada.

No entanto, esses são apenas alguns itens mais mecânicos da tabela. Para confeccioná-la, é preciso combinar planejamento e pesquisa.

Como criar uma tabela salarial?

A primeira etapa para criar uma tabela salarial é a de planejamento. Nessa fase, a empresa coleta informações que permitam um conhecimento técnico, organizacional e hierárquico das funções disponíveis.

Além disso, também leva-se em consideração o mercado concorrente e os aspectos políticos, estratégicos e sindicais relacionados às posições.

Na sequência, é preciso fazer um levantamento das atribuições e providenciar descrições dos cargos para que se entenda o escopo de cada função. Por meio disso, pode-se estabelecer a remuneração adequada de acordo com a carga de trabalho condizente.

Por fim, vem a parte monetária: a pesquisa e a determinação da estrutura salarial. É nesse momento que a tabela, em si, é confeccionada.

A tabela é um agrupamento de classes às quais são atreladas remunerações. Na prática, ela representa a hierarquia de funções da empresa, evidenciando a importância que cada uma delas tem para o negócio.

Para se ter algumas ideias de como se criar uma tabela salarial, é possível utilizar plataformas como a plataforma de vagas Catho e a Glassdoor e buscar por informações complementares que possam fazer sentido para a sua empresa.

Para finalizar, veja a seguir de forma mais detalhada os dois aspectos mais importantes da tabela: as classes e a faixa salarial na prática.

Classes

As classes são um categorias qualitativas dentro da empresa, ou seja, números ou letras que agrupam as funções mediante o seu grau de importância. Logo, ela distancia os cargos não somente pelos salários, mas pelo grau de demandas e exigências.

Por exemplo, em determinada empresa, a nomenclatura para cargos de supervisão e gestão é a letra A. Na tabela salarial, os cargos de liderança estarão agrupados sob essa letra e receberão a faixa salarial adequada.

Faixa salarial e amplitude da faixa

Dentro de cada classe, existe uma faixa salarial que corresponde ao limiar pago pela empresa aos colaboradores inseridos dentro dela. Neste limiar, estão inseridos o salário inicial, o médio e o final pago para cada classe.

Outro item importante na tabela salarial é a amplitude da faixa, ou seja, a distância entre o maior e o menor salários pagos pela empresa para cada classe.

Qual a diferença entre as faixas e os steps salariais?

Agora que você já entendeu o que são as faixas salariais, é preciso diferenciá-las de um outro conceito parecido: os steps salariais.

Step é um termo originário da língua inglesa que significa “passo” ou “marco”. Nesse sentido, um step salarial é um marco que altera o salário do colaborador. Esse marco, muitas vezes, é de característica temporal.

Em termos práticos, no evento da admissão de um funcionário, ele recebe um salário-base. Após seis meses, seu primeiro step salarial, ele tem um aumento salarial por conta da mudança de categoria, e assim sucessivamente.

A diferença entre faixas e steps salariais é, portanto, a elasticidade. Enquanto os steps são rígidos e inflexíveis, a faixa salarial tem mais fluidez para que o RH encontre a melhor forma de remunerar o funcionário de acordo com os critérios da empresa.

A faixa salarial e a equidade de gênero

Para finalizar, a implementação de uma faixa salarial contribui, também, com a promoção da equidade de gênero nas empresas.

De acordo com uma pesquisa realizada em 2019, as mulheres ganham um valor que corresponde a 77,7% do salário dos homens no Brasil ocupando a mesma função.

Nesse aspecto, ter uma faixa salarial atribuída às classes de cargos e não aos gêneros dos colaboradores, ajuda a reduzir as diferenças entre homens e mulheres no local de trabalho.

Isso ocorre porque ao se ter uma diretriz de salário, é possível argumentar pela padronização dos valores pagos. Deste modo, as mulheres podem reivindicar seus direitos e assegurar que haja equidade na forma de remunerar e no manuseio das tabelas salariais.

Conclusão

Toda empresa necessita de diretrizes e parâmetros a seguir. No que diz respeito à remuneração, esses parâmetros são ainda mais importantes. Afinal, o objetivo primordial de toda empresa é gerar uma maior margem de lucro.

Para que a empresa tenha maior lucratividade, é preciso pensar em seus colaboradores. De acordo com pesquisas recentes, a valorização do capital humano tem sido um dos maiores agentes de vantagem competitiva no mercado.

Portanto, é importante que seja criada uma tabela salarial justa, que contemple as características da cultura da empresa e leve em consideração o mercado externo de forma justa e igualitária.

Gostou do conteúdo? Então, compartilhe em suas redes sociais e continue acompanhando o blog da PontoTel!

Compartilhe em suas redes!

Fonte: PontoTel

Fiscal Ti