(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Diversidade etária nas empresas: desafios e vantagens!

Diversidade etária nas empresas: desafios e vantagens!

A diversidade etária é um dos pilares que podem garantir o sucesso de uma empresa ou ameaçar sua estrutura. Atualmente as organizações devem se posicionar e aderir aos padrões sociais relevantes.

Portanto, para serem diversas e inclusivas, as organizações precisam ir além e ter uma visão de mundo diferente. Caso contrário, um ambiente unificado e padronizado pode tornar o ponto de vista de uma organização unilateral.

Sabemos que no ambiente de trabalho, o fator idade pode até decidir pelo fim da carreira. Portanto, este conteúdo visa abordar a diferenciação etária do mercado de trabalho, seus desafios e seus benefícios.

Sendo assim, neste artigo explicaremos o que é diversidade etária, quais os desafios que uma empresa multigeracional pode enfrentar e quais as principais vantagens dessa diversidade nas empresas.

Além disso, você conhecerá as diferentes gerações, os impactos da diversidade etária no trabalho e como o RH pode auxiliar na gestão da diversidade etária. Veja os tópicos que abordaremos a seguir:

Vamos lá!

Diversidade etária: o que é?

A diversidade etária é a capacidade de admitir todos os tipos de idade em uma organização. A idade pode ser um fator importante de discriminação no trabalho, especialmente em áreas como tecnologia.

Porém, em alguns negócios percebemos que a chave do sucesso é a integração das gerações, desde o processo de recrutamento até à promoção dos colaboradores.

Seu objetivo é abranger todas as gerações desde o ponto de partida do colaborador na empresa, no processo de recrutamento.

Desde que o candidato apresente energia, capacidade e maturidade para desempenhar as demandas e alcançar os resultados, sua idade pouco importa. É na convivência entre gerações em que os mais novos aprendem com os mais velhos e vice-versa.

Quais os desafios que uma empresa multigeracional pode enfrentar?

Primeiro, uma pesquisa da Infojobs constatou que, no Brasil, 61% dos maiores de 40 anos têm dificuldade em encontrar empresas que contratem profissionais nessa faixa etária.

Além disso, alguns participantes indicaram viés de idade. O estudo apresenta, no entanto, que 78% dos entrevistados admitem que as pessoas maduras não têm as mesmas oportunidades que os mais jovens.

Na verdade, infelizmente, os profissionais mais velhos enfrentam a concorrência de profissionais mais jovens. Sendo assim, outro desafio se trata do estigma social, o que pode ser visto como uma forte reprovação das características, ameaçando a longevidade dos colaboradores entre 40 e 60 anos no mercado de trabalho.

Ademais, outro desafio é a falta de políticas públicas voltadas para essa faixa etária de modo a incentivar essa inclusão.

Por outro lado, as empresas estão incorporando tecnologia em trabalhadores mais velhos. Isso deixa claro que os profissionais seniores podem aprender a lidar com novos profissionais como qualquer outro profissional.

É claro que profissionais maduros precisam de treinamento para aprender a lidar com novas tecnologias, e contratados mais jovens por estarem inseridos neste contexto já apresentam maior familiaridade com ferramentas. Como resultado, as barreiras digitais para as empresas foram reduzidas significativamente, mas a tecnologia é um desafio, pois está em constante atualização.

Quais as principais vantagens da diversidade etária nas empresas?

Como dissemos anteriormente, a diferenciação etária é a aceitação de várias pessoas de diferentes idades no mesmo ambiente de trabalho. Nesse sentido, é importante que as empresas tomem medidas para promover o envelhecimento gradativo da população, de modo a evitar o viés da idade no mercado de trabalho.

Melhora o desempenho, criatividade e produtividade

Em organizações com equipes de trabalho de diferentes idades, funcionários mais velhos e mais jovens são mais produtivos, estimulam a criatividade e demonstram maior desempenho.

Isso ocorre porque a diversidade etária das equipes de trabalho está positivamente correlacionada com a performance em situações que é mais difícil tomar decisões.

Reduz do turnover

Com bons resultados e produtividade, as pessoas raramente são demitidas ou pedem demissão, pois estão em um ambiente saudável, construindo bons relacionamentos e contribuindo para o crescimento da empresa.

Melhora clima no local de trabalho e traz mais dinamicidade

O ambiente corporativo de diferentes idades proporciona um bom equilíbrio entre o pensamento tradicional e o moderno. Com isso, o trabalho fica mais tranquilo, a convivência fica mais leve e o clima organizacional positivo.

Potencializa a inovação

Basicamente, as organizações que promovem a diversidade etária são mais inovadoras. Isso porque, as pessoas que são mais velhas tendem a trazer mais conhecimento, expectativas, experiências e perspectivas diferentes. Em outras palavras, é a base da inovação. No entanto, é importante gerenciar suas informações de forma decisiva.

Elimina o preconceito

O principal propósito ao desenvolver uma política de inclusão e diversidade é eliminar todos os preconceitos na organização. À vista disso, um ambiente organizacional mais diverso pode resolver esse problema e acabar com o preconceito e a discriminação, garantindo que todas as vozes sejam ouvidas.

Programas de mentoria

Enquanto os profissionais mais velhos repassam todo o seu conhecimento e experiência, informações aos profissionais mais jovens, os profissionais jovens, por outro lado, podem repassar todas as tendências atuais aos mais velhos. Por isso, é importante incentivar a mentoria, já que ela mostra que todos na empresa conseguem ensinar e aprender.

Melhora a imagem da empresa

Uma empresa que valoriza a diversidade e cumpre seu papel social é extremamente importante na construção de uma boa imagem. Em suma, para que uma empresa seja bem avaliada, ela deve ter uma abordagem consciente e responsável em relação à sociedade na totalidade.

Conheça as diferentes gerações

A interação entre diferentes perfis exige mais do que apenas vagas para públicos mais velhos. Assim, as empresas precisam projetar e desenvolver políticas inclusivas para acolher esses profissionais.

Vários estudos atualmente dividem as gerações em categorias com características próprias. Pessoas conhecidas como baby boomers que nasceram entre 1946 e 1964 e estão à beira da aposentadoria podem ter dificuldades com a tecnologia.

Por outro lado, a Geração X classifica os nascidos nas décadas de 1960 e 1980 como aqueles que ainda querem a estabilidade dos baby boomers, mas têm dificuldade em lidar com impulsos interdisciplinares, principalmente a Geração Z nascida no final dos anos 1990 e com dificuldades na gestão do tempo, impulsivos e míopes, mudam de emprego com frequência.

Por fim, a Geração Y, mais conhecidos como Millennials inclui aqueles nascidos entre 1981 e meados da década de 1990 que são mais individualistas e apegados aos seus próprios valores pessoais, apesar de estarem em um ambiente conectado.

Impactos da diversidade etária no trabalho

Essa diversidade não é apenas essencial, mas também benéfica para a organização. Como dissemos anteriormente, a empresa faz parte da sociedade em que atua ou ao menos, deveria ser dessa maneira.

Isso faz sentido também na recente aquisição de discursos sobre diversidade e inclusão coral. Para que uma organização sirva bem à sociedade, ela deve representar bem a sociedade.

Outra questão é que a diversidade contribui para a diversificação do conhecimento e aumenta o nível de inovação na empresa. O estudo realizado pela Forbes indica que as empresas mais diversas são 85% mais inovadoras do que outras.

Há uma razão pela qual tudo isso tem a ver também com a diversidade etária. Cada geração e cada indivíduo tem um modo de ação diferente e uma visão de mundo diferente.

Possíveis conflitos

Um dos principais desafios é entender que vivemos em uma plantação. Gerações diferentes sempre experimentam algum conflito e exigem uma abordagem diferente.

No entanto, os nativos não digitais que são os baby boomers, Geração X e os nativos digitais que compartilham o mesmo ambiente de trabalho, onde se encontra a Geração Y e parte da Geração Z, só surgiram recentemente.

Basicamente, pela primeira vez no mercado de trabalho, a geração mais jovem tem muito a aprender com a geração mais velha. Isso muda toda a dinâmica e pode contribuir para um conflito intergeracional mais forte.

Diferentes gerações lutam para falar a mesma língua. Haverá concessões de todos os lados para que a linguagem se encaixe melhor. Os jovens precisam entender que nem tudo acontece em números, então você precisa conseguir expressar de uma maneira diferente.

A conversa sobre o combate ao envelhecimento e à discriminação etária vem acontecendo recentemente em nossa sociedade. Além de ser uma visão muito subjetiva, o RH precisa estar atento a isso.

De fato, a lei brasileira proíbe qualquer tipo de discriminação ou restrição de permanência no emprego, mas sabemos que a prática é completamente diferente. Veja o que diz a lei:

“Art. 1o  É proibida a adoção de qualquer prática discriminatória e limitativa para efeito de acesso à relação de trabalho, ou de sua manutenção, por motivo de sexo, origem, raça, cor, estado civil, situação familiar, deficiência, reabilitação profissional, idade, entre outros, ressalvadas, nesse caso, as hipóteses de proteção à criança e ao adolescente previstas no inciso XXXIII do art. 7o da Constituição Federal.  (Redação dada pela Lei nº 13.146, de 2015)  (Vigência).”.

Assim, pode-se dizer que nem todas as empresas se atentem às regras, colocando características além do cumprimento da cultura da empresa e limitando a participação de diferentes classes no processo seletivo.

Como o RH pode auxiliar na gestão da diversidade etária?

O primeiro passo é desenvolver uma campanha de conscientização. Nesta etapa, foram apresentadas as principais mudanças trazidas pela era tecnológica para o cenário profissional, e sua definição de geração profissional foi explicada a toda a empresa, uma a uma.

Examine os nomes que o mercado costuma atribuir a cada pessoa, as características mais distintivas, os comportamentos prováveis, etc. Os recursos humanos devem transformar possíveis conflitos de interesse intergeracionais em encontros e quebrar estereótipos tendenciosos. Os profissionais se conhecem e se identificam pela formação, não pela idade.

Depois de mergulhar nas características gerais de cada geração e entender porque cada profissional se comporta de uma determinada maneira, é hora de colocar em prática essa empatia.

As motivações de cada geração devem ser consideradas. Especifique bônus, períodos de descanso, estabilidade e os benefícios mais adequados e importantes para cada tipo de profissional. À vista disso, o departamento de RH pode controlar os tipos de estratégias que pode usar para alcançar cada funcionário com confiança e inspirar seus resultados individuais.

Outro fator importante é identificar canais de comunicação para cada geração. Seja por e-mail, notificações virtuais, quadros informativos, redes sociais, é importante que a mesma informação chegue a todos os colaboradores, o que sofreu alteração foi a linguagem e os canais.

Portanto, o departamento de RH garante que todos os funcionários estejam bem coordenados e persigam os mesmos objetivos organizacionais.

À medida que se aprende mais sobre cada profissional, em qualquer geração, o RH deve identificar o lugar certo para cada profissional. Independentemente da idade, os cargos devem atender às habilidades, aptidões e qualificações. Além de qualidades pessoais como trabalho em equipe, controle emocional, liderança e etc.

As características naturais de cada geração devem ser combinadas com as características individuais de cada profissão. Desta forma, a definição de posição adquire maior propriedade.

A diversidade etária no trabalho é uma chance de reafirmar e oferecer os valores culturais de uma empresa, entender os talentos que compõem a força de trabalho e coordenar a comunicação interna. Por isso, combine o melhor de cada geração para aumentar a produtividade da sua organização.

Conclusão

Ao longo deste artigo, explicamos o que é diversidade etária, quais os desafios que uma empresa multigeracional pode enfrentar e quais as principais vantagens para as empresas. Além de mostrar as diferentes gerações e como o RH pode auxiliar na gestão da diversidade etária.

O trabalho é fonte de renda, satisfação pessoal e importante ferramenta para melhorar a qualidade de vida para muitas pessoas. Portanto, a diversidade etária no trabalho é um catalisador para a comunicação e o aprendizado mútuo.

Porém, além dos valores que fortalecem a cultura organizacional, a integração de pessoas de todas as idades é um estímulo para a sociedade na totalidade. Afinal, contratar os melhores funcionários de todas as gerações pode ser um grande benefício para a produtividade e o sucesso de sua empresa.

Se você gostou deste texto, compartilhe nas redes sociais e continue sua visita no blog da PontoTel.

Compartilhe em suas redes!

Fonte: PontoTel

Fiscal Ti