(11) 2942-0358
contato@veritasexacta.com.br

Entenda o que é fusão de empresas e suas vantagens!

Entenda o que é fusão de empresas e suas vantagens!

Os negócios estão sempre evoluindo, e as mudanças fazem parte do dia a dia, principalmente atualmente, onde tudo muda a todo tempo. Nesse cenário, muitas companhias semelhantes deixam de lado suas rivalidades, e encontram na fusão de empresas boas possibilidades para o futuro.

Muitos negócios com pretensões de crescimento tem medo de mudanças, principalmente quando essas mudanças envolvem outras empresas, porém, a fusão de empresas é uma prática que tem crescido muito, e é uma prática muito vantajosa, principalmente para startups e pequenas empresas.

Segundo informações da PwC, o volume de fusões e aquisições no Brasil aumentou 42% em 2020, batendo o recorde de 909 transações desse tipo. Essas fusões criam muitas oportunidades para o mercado brasileiro, e ampliam as movimentações econômicas do país.

Processos de fusão entre negócios podem acontecer por vários motivos, e eles incluem expansão, apenas união de forças, dentre outras expectativas, que geralmente consideram mais o lado positivo, do que questões negativas de uma fusão.

Mas, você sabe como acontece uma fusão de empresas exatamente? Para responder essa e outras perguntas, reunimos neste artigo as seguintes informações:

Se você tem interesse em aprender mais sobre o assunto, continue essa leitura!

O que é fusão de empresas?

O significado de fusão pode ser entendido como a união ou mistura de dois, ou mais elementos distintos, fazendo com que sejam transformadas em algo único. No ramo empresarial, esse procedimento é reconhecido quando duas ou mais organizações se unem para formar uma nova, com ação combinada judicialmente.

O principal objetivo da fusão de empresas é dar origem a um novo empreendimento, que seja mais forte do que as partes eram sozinhas. Com isso, imagina-se que as ações de ambas as empresas em fusão aumentarão de valor durante, e principalmente após a união.

Claro que é preciso considerar todas as questões do mercado, e isso inclui valores investidos na fusão e uma análise minuciosa de patrimônio de cada negócio.

Após a fusão os empreendimentos envolvidos se tornam um, e para não ocorrerem arrependimentos pós-fusão, é importante que tudo seja analisado antes da incorporação entre empresas.

Cisão e fusão é a mesma coisa?

Não, o processo de cisão ocorre quando a pessoa jurídica deseja dividir seu patrimônio com duas ou mais sociedades.

A principal diferença entre a fusão e a cisão está no fato da primeira resultar na criação de uma nova empresa, formada a partir do patrimônio das antigas, que são extinguidas e se fundem numa nova empresa.

Já em um processo de cisão, pode ou não haver essa extinção, mas, normalmente trata-se de uma ação que transfere uma parte ou a totalidade do patrimônio de uma empresa para outra.

Qual a diferença entre fusão e incorporação?

É chamado de incorporação o processo onde uma ou mais empresas são absorvidas por outra. Sendo assim, a empresa incorporadora se torna titular de todos os direitos, obrigações e patrimônio das empresas extintas por conta da incorporação.

No processo de incorporação, todas as empresas incorporadas desaparecem, e a empresa incorporadora se mantém como antes. Já no processo de fusão de empresas, todas as empresas envolvidas deixam de existir, já que a fusão dá origem a uma nova empresa.

E entre aquisição e fusão?

Nesse caso, a empresa adquirida muitas vezes perde sua identidade e se funde com o negócio adquirente. As aquisições como um todo são compras e não acordos. A empresa adquirente normalmente comprará as ações em circulação da outra empresa para concluir a transação.

Apesar de serem muito confundidos, aquisição e fusão carregam funções totalmente diferentes. A aquisição é um processo no qual determinada empresa compra ações ou até mesmo o controle total de outra organização, assumindo o controle por meio de transações monetárias do negócio.

Já no processo de fusão de empresas, duas ou mais organizações costumam unir suas forças em prol da criação de um novo negócio.

O que diz a lei sobre fusão de empresas?

Na legislação brasileira, a fusão empresarial é regulamentada pela Lei das Sociedades Anônimas (Lei 6404/76), e deve ser discutida e acordada em assembleia com todas as partes envolvidas na fusão.

Na Lei das Sociedades Anônimas é destacado que:

  • A fusão determina a extinção das sociedades que se unem, para formar sociedade nova, que a elas sucederá nos direitos e obrigações.

Apesar de cada caso ser extremamente específico e contar com diferentes particularidades, a operação de fusão resulta no desaparecimento das empresas anteriores para a criação de uma nova, e essa formalização só é realizada após uma análise muito cuidadosa de todos os pontos importantes de uma fusão de empresas.

Tipos de fusão de empresas

Existem cinco tipos principais de combinações de negócios conhecidos como fusões, sendo: fusão vertical, fusão horizontal,  fusão de conglomerados, fusão de extensão de mercado e fusão de extensão de produto.

Cada categoria de fusão se baseia principalmente na indústria e na relação comercial entre as empresas envolvidas no processo de fusão. Confira a seguir mais detalhes de cada tipo de fusão de empresas.

Fusão vertical

A fusão vertical ocorre quando empresas que operam no mesmo setor, mas em diferentes níveis da cadeia de suprimentos, se fundem.

Uma empresa pode produzir peças que a segunda empresa precisa para fabricar seus próprios produtos. Ao se fundirem, essas empresas não terão mais intermediários em suas fabricações, o que se torna econômico para ambas as partes.

Um bom exemplo de fusão vertical seria um fabricante de autopeças optar por fundir-se com uma empresa que fornece as matérias-primas necessárias para fabricar essas peças.

Fusão horizontal

As empresas que operam em mercados com menos negócios se fundem para ganhar um mercado maior.

A fusão horizontal é muito comum entre empresas que vendem produtos ou serviços similares. Isso resulta na eliminação da concorrência, torna os processos mais econômicos, e o crescimento mais rápido.

Ou seja, quando empresas que oferecem os mesmos produtos se fundem, na intenção de atingir maior escala no mercado, podemos dizer que esses negócios realizaram a chamada fusão horizontal.

Conglomerado

A fusão do conglomerado é uma união de empresas que atuam em atividades não relacionadas. A união só acontece se aumentar a riqueza dos acionistas.

Uma fusão de conglomerado ocorre quando duas ou mais organizações pretendem ganhar extensões de mercado. Embora operem em atividades comerciais não relacionadas, estão interessadas em expandir seus mercados usando os recursos da outra empresa.

Fusão de extensão de mercado

Empresas que operam em mercados diferentes, mas que vendem os mesmos produtos, combinam-se para acessar um mercado e uma base de clientes maior.

Uma extensão de mercado envolve empresas que competem com produtos semelhantes em mercados diferentes, e ao se fundirem, elas obtêm acesso a um mercado maior e a uma base de clientes mais diversificada.

Fusão de extensão de produto

Esse tipo de fusão resulta na adição de um novo produto à linha existente de uma companhia. Com a união, as empresas podem acessar uma base maior de clientes e aumentar sua participação no mercado.

Tais fusões acontecem entre empresas que atuam no mesmo mercado. A fusão de extensão de produto geralmente ocorre entre empresas cujos produtos já se complementam.

Por que as empresas se fundem? Quais as vantagens?

As fusões são uma ótima maneira de duas empresas com experiências e conhecimentos se unirem e formarem um negócio mais lucrativo do que seria se as duas empresas se mantivessem paralelamente.

Empresas que se fundem, muitas vezes, ganham mais participação no mercado, reduzem seus custos de produção,  aumentam seus lucros, conquistam mais consumidores e se tornam muito mais bem-sucedidas.

A fusão de empresas tem mais vantagens do que desvantagens, e isso fica nítido quando avaliado de uma maneira mais técnica, onde o mercado fica fortalecido graças ao surgimento do novo empreendimento. Veja a seguir as principais vantagens da fusão de empresas.

Crescimento organizacional

O crescimento organizacional é algo pelo qual muitas empresas se esforçam, independentemente de seu tamanho. Ele tem o potencial de fornecer às empresas uma variedade de benefícios, que incluem maior capacidade de resistir às flutuações do mercado, maior poder e maior eficiência de economias de escala.

Uma empresa que pretenda expandir seus negócios geograficamente, pode fundir-se com outra empresa semelhante que opere na mesma área. Assim também é com empresas com produtos semelhantes, ou complementares, que constatam na fusão uma oportunidade de crescimento organizacional.

Aumento de receita

Fusões de empresas podem ser observadas também como negócios lucrativos, principalmente em momentos de crise e insegurança financeira.

Muitas empresas se beneficiam ao se fundirem com outros negócios, principalmente por conseguirem dominar um nicho específico do mercado, garantindo mais lucro e potencializando oportunidades de crescimento e receita.

Redução de custos

Uma fusão de empresas unifica espaços, processos e pessoas, e isso pode ser muito positivo, principalmente se considerarmos redução de custos com duas locações, duas equipes e etc.

Uma fusão vertical, por exemplo, pode reduzir os custos de produção, agilizar os processos de desenvolvimento de produtos e diminuir o desperdício financeiro.

Transformação de cultura

Para organizações que buscam se tornar mais ágeis e inovadoras, a transformação da cultura organizacional se torna surpreendentemente positiva com a fusão de empresas, principalmente quando isso influencia em mudanças positivas de cultura.

Claro que mudanças podem ser desafiadoras, porém, numa fusão, espera-se que o melhor lado de cada empresa envolvida seja mantido, e isso influencia transformações e diversificação.

Diversificação de mercado

A estratégia de diversificação permite que as empresas encontrem mercados potenciais que possam explorar ou novos produtos que possam lançar para aumentar suas vendas e receitas.

A fusão permite o compartilhamento do seu nicho e uma vasta opção entre a dinâmica atual de ambas. Os benefícios de uma fusão de um conglomerado incluem a diversificação das operações comerciais, a venda cruzada de produtos e a minimização da exposição ao risco.

E quais as desvantagens?

Apesar da fusão de empresas proporcionar sinergias e economias que podem levar a maior eficiência e lucratividade, é importante observar que as fusões também podem ter um lado negativo.

Quando uma fusão é mal elaborada, surgem desafios como:

  • Aumento dos preços de produtos ou serviços: uma fusão resulta em redução da concorrência e uma maior participação de mercado. Assim, a nova empresa pode ganhar o monopólio e aumentar os preços de seus produtos ou serviços.
  • Lacunas na comunicação: se não houver certa atenção na adaptação dos funcionários com as novas culturas organizacionais, pode resultar em uma lacuna na comunicação e afetar o desempenho desses colaboradores.

Impedimento de economias de escala: nos casos em que há pouco em comum entre as empresas, pode ser difícil obter sinergias. Além disso, uma empresa maior pode ser incapaz de motivar os funcionários e alcançar o mesmo grau de controle.

Como funciona uma fusão de empresas?

Durante uma fusão, as empresas envolvidas provavelmente passarão por uma grande reestruturação, e isso interfere em lideranças corporativas e operações.

Primeiro, ocorre uma análise meticulosa de todo o patrimônio, bens, direitos e obrigações. Após os procedimentos legais para se concretizar o processo de fusão, as empresas garantirão mais recursos e escala das operações.

As fusões são geralmente projetadas para beneficiar mutuamente ambas as partes, com cada uma aumentando seu valor ao se tornar uma. Em uma fusão, em vez de uma empresa assumir a outra, ambas as empresas realizam sacrifícios para aumentar seus lucros e influência.

Nesse sentido, as duas organizações podem converter suas ações anteriores em uma nova ação da empresa combinada. Sendo assim, primeiro é preciso definir quanto vale cada empresa envolvida na fusão e, em seguida, dividir a propriedade da nova empresa de acordo.

Como ela acontece?

As empresas muitas vezes se fundem para se tornarem mais competitivas e beneficiar seus acionistas. Um processo típico de fusões inclui procedimentos que envolvem:

  • Desenvolvimento de uma estratégia — o desenvolvimento de uma boa estratégia de aquisição gira em torno de o adquirente ter uma ideia clara do que espera ganhar com a fusão.
  • Procura de potenciais alvos — Avaliar potenciais empresas alvo.
  • Conversa e planejamento — O adquirente entra em contato com uma ou mais empresas que atendem aos seus critérios de busca.
  • Negociações — Uma vez apresentada a oferta inicial, as duas empresas podem negociar os termos com mais detalhes.
  • Fechamento e integração — O negócio é fechado e as equipes de gestão do alvo e do adquirente trabalham em conjunto no processo de fusão das duas empresas.

Embora seja normalmente vista como uma divisão igualitária em que cada lado mantém 50% da nova empresa, nem sempre é esse o caso. Em algumas fusões, uma das entidades originais obtém uma porcentagem maior de propriedade da nova empresa.

4 exemplos de empresas que se fundiram

Para que você entenda o impacto do procedimento, trouxemos alguns exemplos de fusão de empresas que se destacaram nesses últimos anos e impactaram o mercado como um todo. Confira!

Itaú e Unibanco

Um dos maiores bancos brasileiros atualmente já passou pelo processo de fusão.

No ano de 2008, o Itaú Unibanco surgiu a partir da união entre o Banco Itaú e o Unibanco, duas das maiores instituições financeiras do país, resultando no maior conglomerado financeiro do hemisfério sul, e em um dos 20 maiores bancos do mundo em valor de mercado.

Raia Drogasil e Onofre

A Raia Drogasil também foi formada a partir da fusão entre a Droga Raia e a Drogasil, no ano de 2011.

Hoje, a empresa se tornou uma das maiores referências no varejo farmacêutico e possui filiais espalhadas na maior parte dos estados brasileiros.

Nextel e Claro

O ramo da telecomunicação também possui diversos casos de fusão, um deles foi anunciado no ano de 2019, onde a NII e AI Brazil Holdings, controladoras da Nextel, fecharam venda com a América Móvil, conhecida pela operadora Claro, por US $905 milhões.

Na transação, a Claro seria a detentora de 100% da Nextel. Porém, esta fusão causou muita discussão a respeito de um possível desequilíbrio no setor, já que a Claro então se tornaria a segunda maior operadora do país.

OLX e Grupo Zap

No ano de 2020 a OLX anunciou a aquisição do Grupo ZAP. A operação foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica com 100% da fusão, num valor de R$ 2,9 bilhões.

A empresa reúne agora as marcas OLX, ZAP e Viva Real para atuação no mercado de imóveis.

Conclusão

Como vimos ao longo deste conteúdo, o processo de fusão, apesar de não ser simples, é muito benéfico para as empresas envolvidas, desde que toda a fusão seja muito bem planejada e estruturada, para que assim, todas as partes envolvidas sejam beneficiadas.

Também pudemos entender que não existe apenas um tipo de fusão, e que antes de assinar qualquer documento de fusão, é importante que as empresas saibam bem quais as vantagens e desvantagens desse processo.

Claro que assim como qualquer grande mudança, uma fusão de empresas tem suas burocracias, sendo fundamental que todas as informações sejam analisadas com cuidado, para que esse processo não seja prejudicial para a expansão do negócio.

Por fim, cabe dizer que as fusões de empresas têm sido muito mais benéficas do que prejudiciais para as empresas brasileiras, e graças a esse processo, muitos negócios continuam até hoje no mercado.

E aí, conseguiu entender o que é uma fusão de empresa? Gostou do conteúdo? Para continuar se informando sobre assuntos como este, não esqueça de assinar a newsletter do blog do PontoTel, assim você se mantém antenado nas principais dicas do ramo empresarial.

Compartilhe em suas redes!

Fonte: PontoTel

Fiscal Ti